cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    CANNES 2008: 61ª edição começa hoje

    Por Da Redação
    14/05/2008

    Começa nesta quarta-feira (14/5) a 61ª edição do Festival de Cannes, uma das mais prestigiadas vitrines do cinema mundial. Este ano, o Brasil marca presença com dois filmes concorrendo à cobiçada Palma de Ouro: Linha de Passe, dirigido por Walter Salles e Daniela Thomas, e Ensaio Sobre a Cegueira, de Fernando Meirelles. Inclusive, é o novo longa de Meirelles - filmado em locações paulistanas, entre outras - que abre o evento para convidados na noite desta quarta. O Festival de Cannes ocorre até dia 25 de maio.

    Representando a América do Sul, junto de Salles e Meirelles, estão os argentinos Lucrecia Martel, com La Mujer Sin Cabeza e Pablo Trapero, com Leonera, que conta com produção de Salles e Rodrigo Santoro no elenco.

    Outros cineastas consagrados também escolheram o Festival de Cannes para exibir seus filmes pela primeira vez, como é o caso de Steven Soderbergh (Treze Homens e um Novo Segredo), que apresentará o projeto Che - sobre o revolucionário Che Guevara, interpretado por Benicio Del Toro, em competição no evento. The Changeling, no qual Clint Eastwood dirige Angelina Jolie, é outro destaque entre os longas que concorrem à Palma de Ouro.

    Estes nomes em competição prometem dar um toque mais hollywoodiano ao evento, mas a organização também selecionou algumas "figuras carimbadas" no Festival de Cannes, como Atom Egoyan, que concorreu à Palma de Ouro em 2005 com seu último filme, Verdade Nua. Este ano, ele apresenta seu novo trabalho, Adoration, podendo sair com prêmios do evento. Jia Zhang-Ke, diretor de Em Busca da Vida, apresenta 24 City, e o francês Philippe Garrel (Amantes Constantes) é selecionado, pela primeira vez em sua carreira para competir em Cannes com La Frontiere de l'aube. Os irmãos Dardenne, que venceram a Palma de Ouro em 2005 por A Criança, podem levar para casa o cobiçado prêmio novamente com seu novo trabalho, The Silence of Lorna. O júri será presidido pelo ator e cineasta Sean Penn (Na Natureza Selvagem).

    Fora de Competição - Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, de Steven Spielberg, terá sua pré-estréia mundial no festival francês, conforme havia comentado o ator John Hurt (Manderlay). Além disso, a animação Kung Fu Panda, o drama coreano The Good, the Bad, the Weird, de Kim Jee-woon (Medo), e Vicky Cristina Barcelona, novo filme de Woody Allen, também serão exibidos em Cannes. Ashes of Time Redux, de Wong Kar-wai (Um Beijo Roubado), também foi selecionado.

    Brasileiros também dão o ar da graça nas mostras paralelas em Cannes. A Festa da Menina Morta, estréia do ator Matheus Nachtergaele na direção de um longa, será exibido ao público pela primeira vez, dentro da mostra Un Certain Regard (Um Certo Olhar). O Som e o Resto, de Andre Lavaquial, está na mostra Cinefondation e é outro representante brasileiro este ano. O Mistério do Samba, documentário de Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda, irá encerrar a Mostra Cinema de la Plage.

    Confira a lista completa dos trabalhos selecionados:

    Em Competição:
    Ensaio Sobre a Cegueira (Brasil/ Japão/ Canadá), de Fernando Meirelles
    Entre Les Murs (França), de Laurent Cantet
    Two Lovers (EUA), de James Gray
    24 City (China), de Jia Zhangke
    Adoration (Canadá), de Atom Egoyan
    Changeling (EUA), de Clint Eastwood
    Che (The Argentine e Guerrilla) (Espanha), de Steven Soderbergh
    Un Conte de noel (França), de Arnaud Desplechin
    Uc Maymun (Turquia), de Nuri Bilge Ceylan
    Delta (Alemanha/ Hungria), de Kornel Mundruczo
    Il Divo (Itália), de Paolo Sorrentino
    Gomorra (Itália), de Matteo Garrone
    La Frontiere de l'aube (França), de Philippe Garrel
    Leonera (Argentina/ Coréia do Sul), de Pablo Trapero
    Linha de Passe (Brasil), de Walter Salles e Daniela Thomas
    La Mujer sin cabeza (Argentina), de Lucrecia Martel
    My Magic (Cingapura), de Eric Khoo
    The Palermo Shooting (Alemanha), de Wim Wenders
    Serbis (Filipinas), de Brillante Mendoza
    The Silence of Lorna (Reino Unido/ França), de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
    Synecdoche, New York (EUA), de Charlie Kaufman
    Waltz With Bashir (Israel), de Ari Folman

    Fora de Competição:
    Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (EUA), de Steven Spielberg
    Kung Fu Panda (EUA), de Mark Osborne, John Stevenson
    The Good, the Bad, the Weird (Coréia do Sul), de Kim Jee-woon
    Vicky Cristina Barcelona (EUA/ Espanha), de Woody Allen

    Midnight Screenings:
    Maradona (Espanha/ França), de Emir Kusturica
    Surveillance (EUA), de Jennifer Lynch
    The Chaser (Coréia do Sul), de Na Hong-jin

    Exibições Especiais:
    Ashes of Time Redux (China), de Wong Kar-wai
    Of Time and the City (Reino Unido), de Terence Davies
    Roman Polanski: Wanted and Desired (EUA/ Reino Unido), de Marina Zenovich
    Sangue Pazzo (Crazy Blood) (Itália/ França), de Marco Tullio Giordana

    Exibição do Presidente do Júri:
    The Third Wave (EUA), de Alison Thompson

    Um Certo Olhar
    A Festa da Menina Morta (Brasil), de Matheus Nachtergaele
    Afterschool (EUA), de Antonio Campos
    De Ofrivilliga (Suécia), de Ruben Ostlund
    Je veux voir (França), de Joana Hadjithomas e Khalil Joreige
    Johnny Mad Dog (França), de Jean-Stephane Sauvaire
    La vie moderne (profiles paysans) (França), de Raymond Depardon
    Los Bastardos (México), de Amat Escalante
    Milh handha al-bahr (Salt of This Sea) (Palestina), de Annemarie Jacir
    O' Horten (Noruega/ Alemanha), de Bent Hamer
    Soi Cowboy (Reino Unido), de Thomas Clay
    Tin Che (Parking) (Taiwan), de Chung Mong-Hong
    Tokyo! (França/ Japão), de Bong Joon-ho, Michel Gondry, Leos Carax
    Tokyo Sonata (Japão), de Kiyoshi Kurosawa
    Tulpan (Alemanha), de Sergey Dvortsevoy
    Tyson (EUA), de James Toback
    Versailles (França), de Pierre Schoeller
    Wendy and Lucy (EUA), de Kelly Reichardt
    Wolke 9 (Cloud Nine) (Alemanha), de Andreas Dresen
    Yi ban haishui, yi ban huoyan (China), de Fendou Liu
    Hunger (EUA), de Steve McQueen

    Cinefondation
    Ba Yue Shi Wu (EUA), de Jiang Xuan
    Blind Spot (França), de Johanna Bessiere, Cecile Dubois Herry, Simon Rouby, Nicolas Chauvelot, Olivier Clert e Yvon Jardel
    Et dans mon coeur, j'emporterai... (Bélgica), de Yoon Sung-A
    Forbach (França), de Claire Burger
    Gata (Rússia), de Diana Mkrtchyan
    Gestern in Eden (Alemanha), de Jan Speckenbach
    Himnon (Anthem) (Israel), de Elad Keidan
    Illusion Dwellers (Reino Unido), de Rob Ellender
    Interior. Scara de bloc (Romênia), de Ciprian Alexandrescu
    Kestomerkitsijat (Finlândia), de Juho Kuosmanen
    The Maid (EUA), de Heidi Saman
    Naus) (Cazaquistão), de Lukas Glaser
    O Som E O Resto (Brasil), de Andre Lavaquial
    El Reloj (Argentina), de Marco Berger
    Shtika (Silence) (Israel), de Hadar Morag
    Stop (Coréia do Sul), de Park Jae-ok
    This Is a Story About Ted and Alice (EUA), de Teressa Tunney

    Curtas em Competição
    411-Z (Hungria), de Daniel Erdelyi
    Buen Viaje (Bon Voyage), de Javier Palleiro, Guillermo Rocamora
    De Moins en Moins (França), de Melanie Laurent
    El Deseo (The Desire) (México), de Marie Benito
    Jerrycan (Austrália), de Julius Avery
    Love You More (Reino Unido), de Sam Taylor Wood
    Megatron (Romênia), de Marian Crisan
    My Rabbit Hoppy (Austrália), de Anthony Lucas
    Smafuglar (Islândia), de Runar Runarsson

    Pela Memória do Cinema - Em 61 edições, o Festival de Cannes tornou-se uma das mais prestigiadas vitrines do cinema mundial, exibindo em primeira mão novas obras de diretores, consagrados ou novatos. No entanto, pelo quinto ano consecutivo, o evento também tem se firmado como painel para exibição de tesouros produzidos pelo cinema por meio da mostra Cannes Classics, sempre com projeções de longas restaurados, muitos deles inéditos nos cinemas e em DVD.

    Em 2008, Cannes Classics faz um tributo ao cineasta português Manoel de Oliveira, que comemora 100 anos em 2008. Para tal, será exibido o primeiro trabalho do diretor, o curta Douro, Faina Fluvial (1931). Outro diretor também terá o centenário de seu nascimento comemorado em 2008, o britânico David Lean. Mas, diferentemente de Manoel de Oliveira, que continua na ativa, Lean morreu em 1991. Serão exibidos os longas A História de uma Mulher (1949), This Happy Breed (1944) e o documentário Il Etait Une Fois... Laurence D'Arabie, no qual Anne Kunvari investiga a produção de Lawrence da Arábia, dirigido por Lean em 1962. Outro destaque na mostra é a exibição de Ashes Of Time Redux, dirigido pelo queridinho de Cannes Wong Kar Wai em 1994.

    Outro destaque no programa Cannes Classics deste ano é a exibição da cópia restaurada de Lola Montès, último trabalho dirigido por Max Ophüls, em 1955. Outros oito filmes clássicos serão exibidos em versão restaurada, como o indiano Guide (1965), de Vijay Anand; O Preço da Solidão, dirigido em 1972 por Paul Newman; Let's Get Lost, documentário sobre Chat Baker assinado por Bruce Weber em 1988; Santa Sangre (1989), de Alejandro Jodorowsky; Orfeu (1949), de Jean Cocteau; Fingers (1977), de James Toback; Gamperaliya (1965), de Lester James Peries; e The Savage Eye (1960), de Ben Maddow, Sydney Meyers e Joseph Strick.

    Também estão na programação documentários sobre cinema, como No Subtitles Necessary: Laszlo & Vilmos, de James Cressanthis, e You Must Remember This
    : A History Of Warner Bros, sobre os 85 anos do estúdio. Por falar nos 85 anos do estúdios, vários clássicos da Warner serão exibidos este ano em cópias restauradas. São elas:

    - Dirty Harry (1971), de Don Siegel
    - O Fugitivo (1932), de Mervyn LeRoy
    - Essa Pequena é uma Parada (1972), de Peter Bogdanovich
    - Bonnie e Clyde - Uma Rajada de Balas (1967), de Arthur Penn
    - Operação Dragão (1973), de Robert Clouse
    - Banzé no Oeste (1974), de Mel Brooks
    - Capitão Blood (1932), de Michael Curtiz
    - Matrix (1999), dos irmãos Wachowski
    - O Que Terá Acontecido a Baby Jane? (1962), de Robert Aldrich
    - Coleção Looney Tunes

    Outra lembrança marcante na história do festival que será retomada este ano é a interrupção que ocorreu em Cannes há exatos 40 anos. Em 1968, aconteceu pela única vez a interrupção do festival por conta de eventos políticos relacionados à ebulição social na França naquela época. Este ano, os organizadores apresentarão filmes que não puderam ser exibidos em 1968 por conta dessa interrupção. Carlos Saura marcará presença na Riviera Francesa para apresentar Peppermint Frappé, assim como Claude Lelouch, que apresentará uma cópia restaurada de 13 Jours En France Também serão exibidos neste programa Anna Karenina, de Aleksandr Zarkhi, Quatro Devem Morrer, de Peter Collinso, e 24 Hours In The Life Of A Woman, também com a presença do diretor, Dominique Delouche.

    Pelo segundo ano, o World Cinema Foundation, que, presidido por Martin Scorsese (The Rolling Stones - Shine a Light), pretende prover ajuda financeira para a restauração e distribuição de clássicos do cinema mundial ao redor do mundo, marca presença em Cannes. Diferentemente do ano passado, que exibiu o clássico brasileiro Limite (1931), não há filmes brasileiros programados, mas sim a exibição restaurada dos seguintes longas:

    - Susuz Yaz (1964), de Metin Erksan
    - Hanyo (1960), de Kim Ki-young
    - Touki Bouki (1973), de Djibril Diop Mambéty