Cannes 2016: Britânico I, Daniel Blake leva Palma de Ouro e Aquarius fica sem prêmios

Brasil levou prêmio de Menção especial em curta-metragem

22/05/2016 16h27

Por Daniel Reininger

O drama britânico I, Daniel Blake, de Ken Loach, conquistou a Palma de Ouro no encerramento do 69° Festival de Cannes, que terminou neste domingo. O brasileiro Aquarius saiu sem prêmios.

O vencedor retrata um operário doente que não consegue receber seu seguro-desemprego devido à burocracia do sistema social no Reino Unido. É a segunda vez que o diretor britânico vence a Palma de Ouro. Ele levou o prêmio por Ventos Da Liberdade, em 2006.

Loach aproveitou para fazer uma crítica política. "O neoliberalismo político trouxe a miséria, da Grécia a Portugal, com um pequeno número de pessoas que enriquecem com isso. Defendo um cinema de protesto, que coloca os fracos contra os poderosos. Um outro mundo não é só possível, mas necessário".

A filipina Jaclyn Jose, do drama Ma'Rosa, venceu Sonia Braga como melhor atriz. Ela vive uma mulher que vende drogas para sustentar os filhos.

O Brasil pode não ter levado prêmios por Aquarius, mas levou um prêmio menor: Menção especial do júri para o curta A moça que dançou com o diabo, de João Paulo Miranda Maria. Entretanto, o vencedor da categoria curta é o espanhol Time Code.

A polêmica da noite ficou com o prêmio de direção para o francês Olivier Assayas pelo suspense Personal Shopper, com Kristen Stewart. O longa foi muito vaiado em sua primeira sessão. O longa foi novamente vaiado na sala de imprensa quando o prêmio foi anunciado.

Confira os vencedores da Palma de Ouro:

Palma de Ouro
I, Daniel Blake, de Ken Loach (Reino Unido)

Grande Prêmio do Júri
Juste la Fin du Monde (Apenas o Fim do Mundo), de Xavier Dolan (Canadá/França)

Melhor diretor
Olivier Assayas, por Personal Shopper (França), e Cristian Mungiu, por Graduation (Romênia) (empate)

Melhor atriz
Jaclyn Jose, por Ma' Rosa, de Brillante Mendoza (Filipinas)

Melhor ator
Shahab Hosseini, por The Salesman, de Ashgar Farhadi (Irã)

Melhor roteiro
Asghar Farhadi, por The Salesman (Irã)

Prêmio do Júri
American Honey, de Andrea Arnold (Reino Unido/EUA)

Prêmio Caméra d'Or (melhor primeiro filme)
Divines, de Houda Benyamina (Afeganistão)

Melhor curta-metragem
Time Code, de Juanjo Gimenez (Espanha)

Menção especial – curta-metragem
A Moça que Dançou com o Diabo, de João Paulo Miranda Maria (Brasil)

Palma de Ouro Honorária
Jean-Pierre Léaud, ator dos filmes de François Truffaut


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus