Cineastas negros que são donos de verdadeiros clássicos

Spike Lee, Nia DaCosta e Jordan Peele estão na lista

20/11/2020 10h30

Por Alexandre Dias

Felizmente, a diversidade no cinema está aumentando dentro e fora das telas. Nos bastidores, cineastas negros já comandaram verdadeiros clássicos e deram uma aula de arte audiovisual. 

Neste Dia da Consciência Negra (20), confira alguns dos grandes diretores e diretoras negras:

Spike Lee

Cena de Infiltrado na Klan

Um dos diretores mais autorais da lista. O cineasta explodiu em 1989 com Faça A Coisa Certa e desde então já fez obras-primas que discutem o racismo, como Malcolm X, Infiltrado Na Klan (filme da imagem, o qual ele venceu o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado) e Destacamento Blood

 

Jordan Peele

Cena de Corra!

O diretor era conhecido como um ator de comédia, de filmes como Entrando Numa Fria Maior Ainda Com A Família. Em 2017, tudo mudou com o sucesso do terror Corra! (filme da imagem, vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original). Peele voltou ao gênero em 2019, com o também aclamado Nós

 

Ava DuVernay

Cena da série Olhos que Condenam

Nos cinemas, Ava é conhecida por ter dirigido Selma, cinebiografia de Martin Luther King, e Uma Dobra No Tempo. Porém, duas grandes produções da cineasta foram lançadas diretamente na Netflix: o documentário A 13ª Emenda e a minissérie Olhos que Condenam (imagem), ambas produções que abordam o racismo. 

 

Antoine Fuqua

Cena de Sete Homens e um Destino

Um dos grandes nomes do cinema de ação. Fuqua é conhecido pela sua parceria com Denzel Washington, em filmes como Sete Homens E Um Destino (imagem), a saga O Protetor e Dia De Treinamento. Inclusive, nesse último, Washington venceu a categoria de Melhor Ator no Oscar pela sua performance. 

 

Steve McQueen

Cena do filme 12 anos de escravidão

Ele tem o mesmo nome do astro dos anos 60, mas fez história no cinema atrás das telas. O cineasta já comandou Shame, 12 Anos De Escravidão (longa da imagem, que venceu o Oscar de Melhor Filme) e As Viúvas. Um dos seus projetos mais recentes foi a série Small Axe

 

Nia DaCosta

Cena de Capitã Marvel

A diretora (imagem do topo) marcou presença no drama Little Woods, com Tessa Thompson, e em episódios da série Top Boy. Porém, é o futuro que promete lançar DaCosta nos holofotes. Ela é a responsável por A Lenda De Candyman e a sequência de Capitã Marvel (imagem). 

 

Jeferson De 

Cena de M8: Quando a Morte Socorre a Vida

O mesmo caso de DaCosta. O brasileiro Jeferson se destacou em filmes como O Amuleto e Correndo Atrás, mas o seu novo projeto já está fazendo muito barulho no cinema nacional: M-8 - Quando A Morte Socorre A Vida (imagem). O longa também é um terror que discute o racismo, como Corra!, e foi uma das produções a concorrer à disputa entre os indicados ao Oscar de Melhor Filme Internacional. Babenco - Alguém Tem Que Ouvir O Coração E Dizer: Parou acabou por ganhar a competição e será o representante brasileiro a tentar uma vaga na premiação. 

 

Barry Jenkins

Cena do filme Moonlight

Outro diretor que fez discussões poderosas sobre o racismo em seus filmes. Jenkins é o cineasta por trás de Moonlight - Sob A Luz Do Luar (longa da imagem, que venceu o Oscar de Melhor Filme) e Se A Rua Beale Falasse. Além disso, ele vai comandar a sequência do live-action de O Rei Leão.

 

Nesta lista você leu sobre: Faça A Coisa Certa, Malcolm X, Infiltrado Na Klan, Destacamento Blood, Entrando Numa Fria Maior Ainda Com A Família, Corra!, Nós, Selma, Uma Dobra No Tempo, Denzel Washington, Sete Homens E Um Destino, O Protetor, Dia De Treinamento, Shame, 12 Anos De Escravidão, As Viúvas, A Lenda De Candyman, Capitã Marvel, O Rei Leão, Se A Rua Beale Falasse, Moonlight - Sob A Luz Do Luar, O Amuleto, Correndo Atrás, M-8 - Quando A Morte Socorre A Vida, Babenco - Alguém Tem Que Ouvir O Coração E Dizer: Parou.

Veja também: 

Top 6: Filmes imperdíveis do Cinema Negro para ver no streaming

Conheça a trajetória e os marcos do Cinema Negro

Especial Mulheres na Direção: conheça a carreira de Nia DaCosta


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus