cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Círculo de Fogo: Em entrevista, Idris Elba fala sobre o filme

    Ator fala sobre seu personagem e Guillermo del Toro na direção
    Por Felipe Minozzi
    09/08/2013

    Com exclusividade no Brasil, a Warner Bros cedeu ao Cineclick uma entrevista com o protagonista de Círculo de Fogo, Idris Elba. O filme já está em cartaz em todo o país. Leia abaixo:


    O que te levou a aceitar o papel de Stacker Pentecost em Pacific Rim?

    O roteiro era muito bom e bem diferente. Nunca havia feito nada igual. Guillermo del Toro é um ótimo cineasta. Esta foi a principal razão: era uma oportunidade de trabalhar com ele. O Pentecost é um personagem muito interessante e eu achei que conseguiria trazê-lo à vida.

    O que você achou de Guillermo del Toro como diretor?

    Ele fala bastante e usa muito as artes conceituais. Ele explicava tudo: como se sentia, como era sua visão... Ele me mandou uma páginas que mostravam como tudo foi criado. Então foi apenas um processo de ouví-lo e, chegando em Toronto, onde foram as filmagens, ele me levou a todos os sets para me mostrar o que ele queria fazer com este filme. Os sets eram maravilhosos, lindos. Ele cuidou de cada detalhe.

    Durante as filmagens, você chegou a ver como seriam os Kaijus?

    Sim. A primeira coisa que Guillermo nos passou foi a escala do filme, do mundo e do tamanho das criaturas. A verdade é que eu acho que nós nunca vimos nada parecido com isso no cinema, com este nível de detalhes. Ele deixa os atores saberem como tudo vai ficar no final, então nós sabíamos onde estar e o que estávamos olhando.

    Me fale mais sobre seu personagem, o Stacker?

    Stacker é o líder da defesa humana contra os Kaijus, e é um soldado old school que já mostrou seu valor. Ele é muito determinado. É um cara durão que, no começo do filme, está sob pressão por causa da retirada do financiamento do exército. Mas, como eu disse, ele não desiste e vai atrás do que quer. Então, há muita dinâmica dessa coisa de "ele contra o mundo", e ele se garante nessa briga. Há apenas cinco ou seis Jaegers (os robôs gigantes) restantes no mundo, então ele tem que pensar em algo espetacular quando os ataques dos monstros começam a se intensificar. É um cara calmo, calculista, de muitas camadas.

    Idris Elba em

     Os membros do elenco chegaram a treinar juntos?

    Houve um pouquinho de treino, mas não tanto pro meu personagem; ele é meio isolado do resto da "gangue". Mas nós nos encontrávamos no set. E era um elenco muito grande e eclético. Todo mundo é muito bom ali. Mas nós levávamos a sério o que Guillermo queria. Era um ambiente de trabalho duro. Mas sim, todo mundo era bem legal.

    Você já esteve em Prometheus e, agora, neste filme. Você é fã de ficção científica?

    Definitivamente, não é um gênero que eu sigo de perto; não o quanto gostaria. É bem interessante estar em um sci-fi deste tamanho e ver como eles fazem esse tipo de coisa. Acho que Círculo de Fogo vai ser um marco especial na evolução do gênero. É um filme massivo. Então, eu sou fã por estar no filme. Acho que, agora que vi como tudo é feito, me liguei um pouco mais a esse tipo de produção.

    O que você acha que o público vai absorver de Círculo de Fogo?

    É um filme de desastre, essencialmente. Acho que o mundo viu, nos últimos três ou quatro anos, mais e mais desastres, o que te faz perguntar: "O que eu faria nesta situação?" Este filme faz exatamente isso. No centro de tudo, o filme é sobre a luta das pessoas pela sobrevivência e por seus direitos. Acho que o público vai entreter-se de verdade pela escala e fantasia do filme, e depois vai precisar voltar para a realidade. É um grande filme para se fazer parte.