cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Difícil de acreditar! Até De Volta para o Futuro quase foi banido pela censura

    No passado, filmes clássicos quase foram proibidos no Brasil
    Por Da Redação
    06/05/2021 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Por causa da censura, grandes clássicos do cinema correram o risco de nunca chegarem aos olhos do público. Os motivos são variados - excesso de violência, sexo, conteúdo adulto no geral ou religião - e não perdoaram nem mesmo se as cenas tivessem a duração de meros minutos.

    Ficou curioso? Conheça 7 obras que quase foram barradas e hoje são consideradas clássicos do cinema!

    O ExorcistaReprodução

    O Exorcista (1973)

    É difícil encontrar quem nunca assistiu ou ouviu falar do grande clássico do terror: o longa O Exorcista, disponível na HBO GO. Se você é uma dessas pessoas, saiba que o filme virou referência para inúmeras outras obras - sejam elas do mesmo gênero ou não. A história é inspirada em fatos reais e conta sobre uma mãe que percebe que sua filha está se comportando de forma estranha e chama um padre para ajudar. O problema não é tão simples, uma vez que ela está possuída por um demônio poderoso. É quando um sacerdote especialista em exorcismos é convocado para enfrentá-lo.

    Como se pode esperar, o longa tem cenas fortes, mas algumas quase fizeram com que ele fosse censurado aqui no Brasil. Algumas que valem menção são a clássica virada de 180° da cabeça da protagonista e, principalmente, quando ela usa um crucifixo para se masturbar. Apesar disso, o filme passou no crivo e hoje é impossível falar de terror sem mencionar a obra!

    Continua após o anúncio
    Laranja MecânicaReprodução

    Laranja Mecânica (1971)

    Não dá para negar que Laranja Mecânica, disponível no Google Play Filmes, é um filme que exige estômago. Baseado no livro homônimo de Anthony Burgess, a história conta sobre o adolescente Alex (Malcolm McDowell) e sua gangue, que cometem uma série de atrocidades, como roubos e estupros, até que o líder acaba preso. Obrigado a participar de um experimento para inibir impulsos violentos, o jovem fica totalmente dócil e passa a ser vítima dos crimes que uma vez cometeu.

    Violência é o que não falta em Laranja Mecânica e isso não passou despercebido pelas censuras. Nos primeiros anos, não era possível assistir o longa em solo brasileiro, tendo que viajar para o Uruguai, por exemplo, para poder apreciar a obra-prima de Stanley Kubrick. Eventualmente, o filme saiu da lista de proibidos e foi liberado em território nacional. Ainda bem!

    A Paixão de CristoReprodução

    A Paixão de Cristo (2004)

    Se teve um filme religioso que deu o que falar foi A Paixão de Cristo, disponível no Telecine Play, dirigido por Mel Gibson. Com uma pegada bem gráfica, o filme narra as últimas 12 horas da vida de Jesus Cristo, que contaram com a agonia no Monte das Oliveiras, passando pelo julgamento e peregrinação até a cruz e o sofrimento de Maria, terminando com a ressurreição.

    Apesar de no seu núcleo ser a mesma história que já foi contada inúmeras vezes, o longa de Gibson foca muito na violência de todas essas etapas, não romantizando ou escondendo nenhum detalhe. Isso chocou bastante o público da época, alguns acharam de mau gosto, outros gostaram por mostrar de forma crua o sofrimento do profeta. Não é nem preciso dizer que todo esse rebuliço quase fez com que o filme fosse censurado.

    Continua após o anúncio
    De volta para o futuro 2Divulgação

    De Volta Para o Futuro 2 (1989)

    Talvez você esteja se perguntando se está certo mesmo, afinal a série De Volta Para o Futuro, disponível na Amazon Prime Video, não é um nome que se espera ver em uma lista de censura. Mas é isso mesmo. Para contextualizar, no segundo filme da trilogia Marty McFly (Michael J. Fox) se une novamente ao Doc Brown (Christopher Lloyd) para viajar até 2015 na tentativa de impedir que o filho do protagonista estrague o futuro de sua família. Como é de se esperar, as coisas saem de controle e a dupla precisa voltar para 1955 para consertar coisas na linha do tempo.

    Parece um enredo bem inofensivo, certo? De fato é, mas uma cena em particular foi censurada em diversos países - uma polêmica inclusive que voltou à tona recentemente quando a Netflix disponibilizou a versão com cortes. A cena da discórdia é quando Marty folheia uma revista de conteúdo adulto (que nem tem ninguém pelado, diga-se de passagem). 

    O último tango em ParisReprodução

    O Último Tango em Paris (1972)

    O Último Tango em Paris é um filme polêmico. Sua história gira em torno de um americano (Marlon Brando) que enquanto busca um apartamento em Paris conhece uma jovem (Maria Schneider), despertando uma relação sexual anônima que desencadeia uma série de acontecimentos.

    Por si só o filme tem muitas cenas de sexo e isso lhe rendeu 7 anos de censura em solo tupiniquim, uma vez que na época foi visto como uma apologia à depravação e aos bons costumes. No entanto, recentemente outra polêmica veio à tona: descobriu-se que a famosa cena da manteiga, na qual o personagem de Marlon Brando usa o alimento como lubrificante, foi planejada para de fato violentar a atriz Maria Schneider, que não sabia sobre os detalhes da cena.

    Continua após o anúncio
    A vida de BrianReprodução

    A Vida de Brian (1979)

    Obra do grupo de comédia inglês Monty Python, A Vida de Brian, disponível na Netflix, é sátira uma religiosa que por muito pouco não foi censurada. A história gira em torno de Brian Cohen (Graham Chapman), um judeu comum que acaba sendo confundido com o Messias desde o seu nascimento. A partir daí, ele percorre toda a jornada de Jesus Cristo e seus apóstolos, mas, é claro, com muitas pitadas e tiradas de humor.

    A censura que o filme quase levou está ligada diretamente ao cunho religioso e satírico da obra, o que por si só levantou a polêmica da liberdade de expressão - afinal de contas, até onde vai o poder católico em um Estado laico? O final da história já sabemos: ele escapou da censura e tornou-se um dos grandes clássicos do humor.

    O massacre da serra elétricaDivulgação

    O Massacre da Serra Elétrica (1974)

    Um dos maiores clássicos do terror e marco do subgênero slasher (caracterizado por assassinos em série que matam aleatoriamente), O Massacre da Serra Elétrica, disponível no Looke, chocou o mundo quando foi lançado. Divulgado como se tratasse de uma história real (estratégia para conseguir mais interessados), o filme contava sobre um grupo de amigos que foram perseguidos pelo deserto por um homem que usava uma máscara feita de pele humana.

    Apesar dos esforços do diretor Tobe Hooper de diminuir o sangue na produção para torná-la mais acessível, o filme foi censurado em vários países. A sorte é que essa restrição não durou muito tempo, afinal o filme é um grande clássico do cinema que inspirou inúmeras obras por aí.

    Continua após o anúncio

    Veja mais