cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Comédia nacional Correndo Atrás aborda inclusão no Futebol

    Jeferson De dirige Correndo atrás, filme brasileiro com elenco quase todo formado por negros
    Por Daniel Reininger
    18/08/2020

    O cineasta Jeferson De lança (Bróder) em breve Correndo Atrás, longa que leva à tela um elenco e equipe quase todo formado por atores negros e leva inclusão às telas e fora dela, ao tratar sobre um assunto muito amado pelos brasileiros: o futebol.

    Essa foi a forma do diretor mostrar o trabalho e também protestar contra a falta de inclusão no meio cinematográfico. Um levantamento da Agência Nacional do Cinema (Ancine) sobre raça no cinema revela que, apesar de 54% da população brasileira ser formada por afrodescendentes, 75,4% das produções foram dirigidas por homens brancos, 19,7% por mulheres brancas e 2,1% por homens negros.

    Dentre a equipe de produção, os números são similares e na atuação de 97 filmes de ficção, 42,3% não têm nenhum ator ou atriz negra no elenco.

    Jeferson De é um dos grandes nomes do cinema nacional, agora se arrisca na comédia. Ele estudou cinema na USP e é roteirista e diretor dos premiados curtas Distraída para a morte (2001), Carolina (2003) e Narciso rap (2005). Seu primeiro longa, Bróder (2010), selecionado para o VI Laboratório de Roteiros do Instituto Sundance, recebeu o Prêmio da Crítica de melhor longa.

    E ele resolveu fazer isso tratando sobre inclusão. Saiba um pouco mais do filme:

    Correndo Atrás

    O filme é uma adaptação do livro Vai na Bola, Glanderson, do comediante Helio de La Peña (Casseta & Planeta), que também assina o roteiro ao lado de Jeferson e faz uma participação especial como ator. A trama acompanha Paulo Ventania, um caçador de talentos nos campos de futebol do subúrbio carioca.

    O olheiro roda o Rio de Janeiro até encontrar Glanderson, jovem que sonha ser jogador, mas possui uma pequena peculiaridade: não tem dois dedos do pé.

    O garoto quando chuta a bola gera efeitos impressionantes que iludem zagueiros e os mais ágeis goleiros. Ventania vê em Glanderson o craque que poderá ser a joia dos gramados e chegar a seleção brasileira. Iniciam-se os treinamentos e tentativas de encaixá-lo num time profissional. Em meio a diversas trapalhadas, Ventania consegue, através de seus contatos, levar o garoto para jogar na França, onde o jovem poderá enfim, ter visibilidade merecida. Só que, claro, os contratempos conduzem os dois companheiros por situações cômicas.

    O longa é uma coprodução da Buda Filme (produtora de Jeferson), Globo Filmes, Rio Filmes, La Peña Produções e foi rodado em Muriaé, Minas Gerais, São Paulo e no Rio de Janeiro, com orçamento de R$ 5 milhões.

    O elenco conta com Ailton Graça, Juliana Alves, Lázaro Ramos, Juan Paiva, Teka Romualdo, Francisco Gaspar, Rocco Pitanga e Tonico Pereira.

    O filme vai chegar aos cinemas com distribuição da Europa Filmes, mas ainda não possui uma data de estreia.