cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Como 'O Exorcista' continua assustador mesmo após quase 50 anos depois

    Título não ganhou o status de "clássico do terror" à toa
    Por Flávio Pinto
    30/10/2021 - Atualizado há 27 dias

    Aqui vai um desafio: procure por qualquer lista de "filmes clássicos de terror para o Halloween" e tente encontrar uma que não mencione O Exorcista (1973). Pode ser que apareça alguma seleção, mas, a tarefa será bem difícil. E não à toa. 

    O Exorcista é um desses clássicos eternos, cujo legado se perdura até 2021, quase 50 anos após o seu lançamento. Uma história que mistura terror psicológico, medo do culto, espiritualidade e suspense — além de brilhantemente dirigido por William Friedkin

    O Exorcista merece ser um clássico do terror

    Baseado no livro homônimo escrito por William Peter Blatty — que roteirizou o filme —, O Exorcista conta a história de uma menina chamada Reagan (Linda Blair), que começa a apresentar alguns comportamentos estranho, fazendo com que sua mãe, Chris MacNeil (Ellen Burstyn), uma atriz respeitada, leve sua filha a diversos médicos para ver o que está acontecendo. 

    Embora nada parece estar fora de controle, o comportamento da pequena Reagan começa a ficar mais e mais descontrolado, chegando ao ponto de Chris recorrer a um exorcista para atender sua filha. Sem dúvida alguma, um dos maiores méritos do filme é escancarar o comportamento doentio da menina possuída sem pudores. Reagan aparece em cenas ousadas demais para serem interpretadas por uma jovem de apenas 15 anos — idade de Blair na época.

    Essas sequências, de tão arrebatadoras, deixaram marcas eternas na cultura pop, como a cena em que Reagan gira a cabeça em 360.º enquanto se masturba com um crucifixo, assim como o momento em que a jovem garota desce as escadas de cabeça para baixo. Por si só, as situações as quais Reagan submete seus amigos e familiares já são muito excruciantes. 

    Talvez a falta de tecnologias tão gritantes para efeitos visuais nos anos 70 sejam um plus nos motivos pelos quais o filme é tão louvável ainda hoje. Com um aspecto mais "natural" e fresco em relação aos seus antecessores, os efeitos conseguem dar muito mais medo do que outras produções da mesma prole, tais como Exorcista - O Início (2004) ou O Exorcismo de Emily Rose (2005).

    Mas para além disso, o filme também conta com excelente estudo temático que faz questionamentos sobre fé e religião, muito envolventes e coerentes. Um dos exorcistas, o padre Karras (Jason Miller), está sob conflitos internos em relação ao seu ofício. O seu dilema perpassa a produção, nos levando também a fazer o mesmo questionamento. Para finalizar, o clímax da produção, o exorcismo da menina, é tão poderoso que também consegue atacar os cinco sentidos — algo que está em muita evidência nos filmes de terror da atualidade. 

    A fachada da casa dos MacNeil se tornou famosa em todo o mundoReprodução (Warner)

    Como assistir ao O Exorcista?

    Se tratando de um filme muito popular, a Warner Bros cuidou muito bem dos lançamentos posteriores da produção. 

    É fácil encontrar DVDs e Blurays do filme, assim como ele está disponíveis em uma série de plataformas de streaming.

    O Exorcista está disponível na HBO Max, no NET NOW, para aluguel no Google Play Films, na Apple TV+ e no Looke.

    Leia também