Condenação a prisão do cineasta Jafar Panahi é confirmada

Iraniano recebeu a pena de seis anos de prisão e 20 distante da atividade cinematográfica

15/10/2011 13h31

De nada adiantou os protestos contra a prisão do cineasta iraniano Jafar Panahi (Fora do Jogo) que terá de cumprir seis anos de detenção, além de ter de ficar 20 anos distante da atividade cinematográfica que inclui dirigir filmes, escrever roteiros, viajar ao exterior ou mesmo dar entrevistas. A sentença havia sido anuniciada em dezembro de 2010, mas o cineasta permanecia em liberdade até a confirmação de sua condenação neste sábado (15/10).

A situação do iraniano fez com que o mundo ocidental artístico e político se mobilizassem em protestos de repúdio à decisão do governo de Mahmoud Ahmadinejad, que alega que Panahi está envolvido em atividades contra a segurança nacional e propaganda contra o regime. O motivo de sua prisão foi o início da filmagem de uma obra sobre os distúrbios que se seguiram à polêmica reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad em junho de 2009.  O cineasta apoiou publicamente o líder oposicionista Mirhossein Mousavi.

A censura é uma política do Irã atual que ampliou sua represália a outros cineastas como Bahman Ghobadi, premiado em Cannes em 2009 por No One Knows About the Persian Cats. Os diretores iranianos também proibidos de filmar ou exibirem seus filmes em festivais internacionais sem a autorização do governo.

Com isso, diversos festivais como Cannes, Berlim, Locarno, Rotterdam e Karlovy Vary assinaram uma carta condenando as prisões tanto de Panahi, que chegou a ficar três meses detido em março de 2010, quanto de Mohamamd Rasulof, outro cineasta envolvido no mesmo projeto de Panahi. A pena de Rasoulof, condenado em primeira instância, foi reduzida para um ano.

Seu documentário Isso Não É um Filme é um retrato íntimo do sofrimento dos realizadores sob o regime de Ahmadinejad e tem previsão de estreia em 25 de novembro de 2011.


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus