cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Confira uma linha explicativa exclusiva do caso Daniella Perez

    'Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez' chegou exclusivamente ao catálogo da HBO Max

    Por Thamires Viana
    26/07/2022 - Atualizado há 23 dias

    Na última quinta-feira, dia 21 de julho, chegou à HBO Max os dois primeiros episódios da série documental Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez.

    Dirigida por Tatiana Issa e Guto Barra, que também assina o roteiro, a produção Max Original reconstitui com detalhes os fatos e o julgamento do caso que impactou o Brasil no início dos anos 1990. Os últimos três episódios estarão disponíveis na próxima quinta-feira, dia 28 de julho. 

    Para se programar para os episódios finais da produção, a HBO Max divulgou com exclusividade ao Cineclick uma linha explicativa do caso, além de breve panorama sobre as novelas nos anos 1980 e 1990 e como a mídia cobriu o assassinato naquela época.

    Confira abaixo:

    Daniella Perez

    A atriz e bailarina Daniella PerezReprodução

    Nascida em 11 de agosto de 1970, Daniella Perez foi uma atriz e bailarina brasileira. Em 1989, aos 19 anos, estreou na TV no papel de uma dançarina de tango em Kananga do Japão, uma novela da extinta Rede Manchete. Neste papel, a atriz ganhou o coração do público e recebeu um convite para participar da novela De Corpo e Alma, escrita por sua mãe, Glória Perez.   

    Na novela, que deu início às gravações em 1992, Daniella interpretava Yasmin, uma dançarina que fazia parte de um enredo mais leve dentro da própria trama que, como a maioria das novelas de horário nobre, aborda temas mais polêmicos e tensos. Yasmin era apaixonada por Caio, papel feito pelo ator Fábio Assunção, mas namorava Bira, interpretado por Guilherme de Pádua

    O crime

    No final de semana de 26 e 27 de dezembro de 1992, logo após o Natal, os roteiros diminuíam cada vez mais o papel de Guilherme, que não ficou satisfeito.

    No dia seguinte, 28, Daniella foi ao estúdio de gravação da novela e combinou com Raul Gazolla, seu marido, que ensaiariam a peça escrita por João Falcão, a qual ambos estavam no elenco. Por volta das 21h as gravações da novela terminaram e Daniella e Guilherme pararam para tirar fotos com fãs e, então, ambos saíram dirigindo em direção aos seus destinos, em veículos separados. 

    Após uma fechada de Guilherme, Daniella foi levada para a Barra da Tijuca pelo ator e por Paula Thomaz, esposa dele na época. A atriz foi encontrada morta e Guilherme de Pádua e sua esposa foram presos definitivamente no dia 31 de dezembro, responsáveis pelo crime e condenados a 19 anos e 18 anos e 6 meses, respectivamente.

    A cobertura midiática

    O caso recebeu ampla cobertura da imprensa e causou bastante comoção popular. Manchetes de todos os principais jornais e revistas da época, com matérias, análises e capas. 

    Em grande parte da cobertura, a moral de Daniella Perez foi questionada, mesmo com todas as negações de pessoas próximas sobre qualquer tipo de envolvimento com o autor do crime. Capas insistiam em colocar ambos juntos, cenas de beijos e imagens dos personagens para ilustrar o falso rumor de afeto e romance que havia entre eles. 

    O impacto das novelas nos anos 1980 e 1990

    A guerra pela audiência marcou os anos 1980 e 1990 na TV. Nessas décadas, emissoras não mediam esforços para manter os telespectadores ligados em suas produções e, aquelas que importavam novelas latinas, passaram a produzir seus próprios conteúdos. 

    Com a ausência das redes sociais e os streamings VOD, as telenovelas tiveram o papel que a internet tem hoje. Na época, as novelas faziam a função de pautar socialmente diversas vertentes, desde moda, comportamento e linguagem até atitudes e tomadas de decisões. 

    Foram anos de grandes telenovelas como Dona Beija, Kananga do Japão, Vale Tudo, Pantanal, O Rei do Gado, Torre de Babel, e muitos outros sucessos que permanecem no imaginário dos brasileiros até hoje. 

    A série

    Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez é uma produção Max Original, produzida pela Producing Partners. A série documental é dirigida por Tatiana Issa e Guto Barra, que também assina o roteiro.

    Dois episódios já estão disponíveis na plataforma de streaming, enquanto os três capítulos finais serão lançados nesta quinta-feira, dia 28 de julho.

    Veja também: