Conheça Alice Júnior, longa nacional que reflete sobre intolerância com leveza

Longa chegou nesta quarta-feira (14) ao catálogo da Netflix

22/09/2020 13h00 (Atualizado em 14/10/2020 10h55)

Por Thamires Viana

"Sou trans, sou osso duro de roer e estou pronta para o que der e vier". Essa frase recheada de orgulho integra o premiado Alice Júnior, longa que fez sua estreia em cinemas drive-in pelo Brasil após ser sucesso no exterior integrando a seleção da Mostra Generation, no Festival de Berlim de 2020.

Na trama, a jovem Alice, vivida pela atriz Anne Celestino, é uma youtuber trans cheia de carisma que precisa mudar sua vida quando o pai é transferido de Recife para uma conservadora cidade no interior do Paraná.  

Com muita leveza e bom humor, o filme escrito por Luiz Bertazzo e dirigido por Gil Baroni chega como uma forte reflexão às práticas intolerantes da sociedade e discute de forma sensível a jornada de uma jovem que só quer viver suas experiências da adolescência sem ser reprimida por aqueles que a rodeiam.

Conheça mais sobre Alice Júnior:

Trama

O filme conta a história de Alice, uma adolescente trans carismática e autêntica que divide seu tempo entre os estudos e os vídeos para o Youtube, onde faz o maior sucesso. Acostumada com a rotina em Recife, ela se vê em meio ao um dilema quando pai é transferido para a pequena e conservadora Araucárias do Sul, cidade fictícia no interior do Paraná.

Alice é logo matriculada em um colégio católico, que parece ter parado no tempo, e precisa encontrar um jeito de se adaptar a nova vida, aos novos amigos e à rotina oposta que levava na cidade grande. Enquanto isso, ela sonha em conquistar seu maior desejo: dar o primeiro beijo, mas, antes, quer o direito de ser quem é.

Diferenciais

Alice Júnior é um filme com potencial para conversar com todos os públicos pela sua linguagem leve e dinâmica, presente já no trailer da atração. No entanto, o diferencial é trazer a modernidade e a linguagem de internet para as telonas, incluindo memes e personalidades amadas pelo público, como é o caso da cantora Gretchen que aparece para dar um ar todo descontraído em algumas cenas.

Além de estrelar como Alice, a atriz Anne Celestino também contribuiu com várias mudanças na escrita do roteiro após ser escalada para o papel. A equipe logo se prontificou para que a história fosse contada a partir do seu olhar e da sua luta como mulher trans no Brasil, e que seu lugar de fala fosse respeitado dentro e fora das telas.

Prêmios

O filme se tornou um sucesso em festivais nacionais e internacionais, chegando a integrar a seleção da Mostra Generation, no Festival de Berlim em 2020. No Festival de Brasília, o longa saiu vencedor nas categorias de Melhor Atriz para Anne Celestino, que se tornou a primeira atriz trans a receber o prêmio, Melhor Atriz Coadjuvante para Thaís Schier, Melhor Montagem e Melhor Trilha Sonora. 

Já no Festival do Rio, Alice Júnior recebeu o prêmio de Melhor Filme da Mostra Geração pelo voto popular, e no Festival Mix Brasil saiu vencedor também na categoria de Melhor Filme pelo voto popular e pelo júri.

No Festival Norte-Americano aGLIFF recebeu o prêmio do júri e também uma menção honrosa no Festival OUTFEST, considerado o maior Festival com temática LGBTQIA+ do mundo.

Produção

Alice Júnior é uma co-distribuição entre a Olhar Distribuição e a Moro Filmes, com parceria da SECC - Secretaria do Estado da Cultura do Paraná.

Além de Anne, o elenco também traz nomes como Emmanuel Rosset, Surya Amitrano, Matheus Moura, Thaís Schier, Katia Horn, Gustavo Piaskoski, Antonia Montemezzo, Igor Augustho e Melissa Locatelli. 

Onde ver

Alice Júnior já está disponível no catálogo da Netflix.

Confira o trailer oficial:

Veja também:

Saiba tudo sobre cinema nacional

Clássicos filmes LGBTQ+ para conhecer

Conteúdos LGBTQ+ que você precisa conhecer no streaming

Documentários para ver e entender a temática LGBTQ+

Top 6: Filmes LGBTQ+ 

A importância de heroínas para inspiração e empoderamento feminino


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus