Conheça Enola e a família de Sherlock Holmes

Família do detetive é importante na história do longa que se passa na Inglaterra, em 1884

23/09/2020 10h00

Por Daniel Reininger

Sir Arthur Conan Doyle, criador de Sherlock Holmes, nunca deu muito espaço para o passado do seu personagem, sempre focado na investigação da vez. Entretanto, com algumas informações de seus escritos e obras posteriores, como a série de livros publicados entre 2006 e 2010 pela autora Nancy Springer, podemos ter uma boa noção da família do detetive, pelo menos da forma como foi concebida para o novo filme da Netflix: Enola Holmes.

E a família é importante na história do longa que se passa na Inglaterra, em 1900. Na manhã do seu aniversário de 16 anos, Enola Holmes (Millie Bobby Brown) descobre que a mãe (Helena Bonham Carter) desapareceu. A jovem decide ir atrás de seu paradeiro, mas é enviada por seus irmãos Sherlock (Cavill) e Mycroft (Sam Claflin), muito mais velhos do que ela, para uma escola de etiqueta para aprender boas maneiras. A garota não aceita a decisão e foge do local para uma jornada de aventuras e mistérios em busca da mãe.

Conheça a família:

Pais

Nos contos originais de Sir Arthur Conan Doyle, os pais de Sherlock são: um agricultor inglês e uma mulher de origem francesa. Além disso, é sabido que sua avó era irmã do pintor Horace Vernet. E são basicamente essas informações que o autor nos fornece.

Já no filme Enola Holmes, eles são de uma família aristocrata, cuja mãe, Eudoria, é uma feminista membro do movimento sufragista, ocorrido em vários países democráticos entre o fim do século XIX e o início do século XX, para organizar a luta das mulheres pelo direito ao voto.

Sobre o pai, nada é revelado além do fato de ser um nobre dono de terras e ter morrido quando Enola era apenas um bebê. Nem mesmo sabemos seu nome, mas fica claro que ele era mais conservador. Após sua morte, a família se separa, com os dois irmãos mais velhos partindo para Londres.

Mycroft

Mycroft Holmes é sete anos mais velho do que Sherlock Holmes. O próprio Sherlock o considera mais observador e inteligente e o descreve assim: "Ele não tem nenhuma ambição ou energia. Ele não se preocupa em verificar suas próprias soluções e prefere que as pessoas digam que ele está errado a tentar provar que está correto. Eu compartilhei problemas com ele muitas vezes e recebi uma explicação que mais tarde descobri ser a correta. Ainda assim, ele é absolutamente incapaz de resolver os pontos práticos...", Sherlock Holmes, falando com seu parceiro Watson sobre o seu irmão em A aventura do intérprete grego.

Mycroft passa a maior parte do seu tempo livre no Diogenes Club, "um lugar aonde os homens podem ir e onde podem ler sem serem incomodados ou distraídos", segundo os escritos de Conan Doyle, e ocupa um papel no governo britânico, provavelmente de membro do parlamento.

Nos livros, Sherlock diz que Mycroft auditava livros para certos departamentos do governo; porém, é indicado que seu papel real é mais substancial e influente. Em algumas histórias, ele trabalha para o Serviço Secreto Britânico.

No filme Enola Holmes, não fica claro sua posição no governo, apenas que faz parte do parlamento. Ele também é um homem extremamente pragmático e sério, interessado em manter os costumes da era Vitoriana do Império Britânico.

Sherlock

Sherlock Holmes é um detetive fictício que viveu no final do século XIX e começo do século XX. Ele apareceu pela primeira vez em uma publicação em 1887. Holmes é um detetive brilhante, conhecido por usar lógica e observação para resolver casos.

Os detalhes sobre a vida de Sherlock Holmes, exceto as aventuras narradas nos livros, são escassas, mas é possível saber que Holmes nasceu em 6 de Janeiro de 1854.

Dr. Watson era a pessoa mais proxima de Holmes. Ele o considerava o homem mais sábio que já conheceu. Nas primeiras semanas como colegas de quarto, os hábitos do detetive despertaram a curiosidade de Watson e ele tentou desvendar qual era a profissão do seu colega.

Em março de 1882, a amizade entre os dois já era forte e Holmes pediu-lhe para acompanhá-lo na cena do crime do que se tornaria a primeira história: Um Estudo em Vermelho. Holmes trabalhou como detetive por vinte e três anos, com o Dr. John Watson ajudando-o por dezessete. Eles eram companheiros de quarto antes do casamento de Watson em 1887.

No filme Enola Holmes, ele é e sábio, carismátic e charmoso, além de ser a pessoa mais próxima de Enola, fora sua mãe.

Enola 

Enola é a mais jovem dos três irmãos, criada por sua mãe de forma livre e despreocupada, longe dos irmãos e das tradições britânicas do final do séciulo XIX. De espírito livre e independente, Enola é extremamente observadora e inteligente, com talento nato para ser detetive.

Criada no campo, teve uma vida feliz e pouco convencional. Enquanto as meninas de sua idade aprendem a bordar e a ter boas maneiras, a educação de Enola consiste em ciência, criptologia e artes marciais. Ela tem a mesma astúcia de seus irmãos Sherlock (Henry Cavill) e Mycroft (Sam Claflin) e vai conquistar seu próprio espaço, sem as vantagens que eles tiveram por serem homens.

Sua jornada é apresentada no filme Enola Holmes, da Netflix.

Vale lembrar que os primeiros romances de Sherlock Holmes são de domínio público, ou seja, passaram-se mais de 100 anos de sua criação e seus personagens podem ser usados livremente, por isso muitos autores, como Nancy, podem expandir seu universo, daí surgiu Enola.

Enola Holmes tem direção de Harry Bradbeer (diretor de episódios de Fleabag) e roteiro de Jack Thorne (Extraordinário). Sherlock Holmes é interpretado por Henry Cavill, o Superman da Liga Da Justiça e The Witcher da Netflix. O filme já está disponível. Veja o trailer:

Veja também:

Conheça Enola Holmes e entenda a polêmica do filme da Netflix

Crítica: Enola Holmes é aventura leve sobre empoderamento


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus