cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Monster Hunter é bom descanso para o cérebro, com visual perfeito para o cinema

    Protagonizado por Milla Jovovich, filme é diversão leve com visual de tirar o fôlego
    Por Daniel Reininger
    24/02/2021 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Monster Hunter é a terceira adaptação de videogames realizada pelo diretor Paul W.S. Anderson. O cineasta começou bem com Mortal Kombat, de 1995 e, depois de encarar a franquia Resident Evil, parte para o mundo de fantasia e ficção científica da série japonesa de RPG de ação.

    Protagonizado por Milla Jovovich (Resident Evil), casada com Anderson, o longa tinha o desafio de transportar uma franquia com pouca história de fundo em uma narrativa coesa e divertida de duas horas para o cinema. 

    Pode não parecer, mas quando você adapta uma série focada puramente em combate e evolução de personagens por meio de equipamentos para as telonas, ser fiel é mais complicado, afinal, cada adição muda a ideia básica da franquia.

    O lado ruim ao se fazer um filme de Monster Hunter, obviamente, é perder o grande atrativo da série: o sentimento de sucesso do jogador ao evoluir seu personagem. 

    Não que não seja lindo ver as batalhas entre caçadores humanos e monstros gigantes nas telonas, mas você ser o agente de todo esse caos é um dos fatores que fazem do game um sucesso esmagador.

    E como no início de 2020 Sonic chegou como enorme surpresa para todos como uma das melhores adaptações de videogame já feitas, a expectativa era grande para Monster Hunter. 

    Bem, o mais novo longa não segue o caminho do Ouriço azul, mas ainda possui alguns bons motivos para ser visto numa tela grande.

    Mas antes, relembre a trama:

    História

    No filme, a Tenente Artemis (Milla Jovovich) e seu esquadrão de elite do exército norte-americano são transportados através de um portal antigo para outro mundo, onde eles precisam sobreviver ao ataque de seres terríveis e gigantes.

    Em sua desesperada tentativa de voltar para casa, a tenente encontra um caçador misterioso (Tony Jaa) também perdido e longe de casa. As habilidades únicas desses dois guerreiros permitem com que eles sobrevivam nessa terra hostil enfrentando incansáveis e aterrorizantes ataques, tudo para voltarem para casa.

    Motivos para ver

    O longa é lindo e quem gosta do videogame terá boas razões para assistir:

    Continua após o anúncio

    Monstros gigantes

    Seguindo a lógica de longas como Godzila Vs Kong e Círculo de Fogo: é sempre divertido ver monstros gigantes nas telonas, ainda mais quando essas criaturas são realistas e criativas. Os seres do videogame foram muito bem traduzidos para o filme e são divertidos de serem vistos em ação.

    Artemis contra Rathalos em Monster HunterReprodução

    Visual

    O visual é lindo. A fotografia é inspirada, os cenários são criativos e as cenas de ação bem coreografadas. Sem falar que as lutas contra os seres gigantes são bem feitas. Essas criaturas se movem com um realismo impressionante e os combates são coerentes com o videogame.

    Cena de Monster Hunter, com Mila Jovovich correndo ao lado de Tony JaaReprodução
    Continua após o anúncio

    Fiel ao jogo

    O visual é bem parecido com o do game, mas isso já estava claro desde o trailer e primeiras imagens reveladas. Entretanto, outro ponto de coerência com o jogo vem de algo inusitado: A evolução dos personagens.

    A priori, não existe muita evolução na trama, o que é algo negativo para o cinema, porém, Artemis e o Caçador enfrentam bichos e evoluem ao conseguirem armas e armaduras mais eficientes para enfrentar seres maiores e, assim, serem capazes de evoluir para a próxima "fase". No game, é exatamente assim que os personagens e a trama evoluem, tanto em termos de poder quanto de narrativa. Anderson pegou ou não o espírito da franquia?

    Trilha sonora

    As músicas épicas são atrativos à parte. Inclusive, vale seguir a trilha sonora oficial no Spotify. Quem joga, vai se sentir em casa com os temas tocados na hora da ação. E com o som de uma sala de cinema, fica ainda melhor.

    Caos e ação

    O longa tira proveito das situações caóticas, das batalhas ágeis e da brutalidade da ação. Monster Hunter não é um jogo com foco na história, o seu objetivo é porrada, diversão e visual de primeira. E isso consegue entregar muito bem.

    Cena de Monster Hunter, com Mila Jovovich usando metralhadoraReprodução
    Continua após o anúncio

    Perfeito para o cinema

    Ação desenfreada, qualidade técnica e monstros gigantes. Sem dúvida o longa pede o escurinho do cinema, uma poltrona confortável, pipoca, telona na frente e som estourando com extrema qualidade. O longa foi feito para divertir sem grandes expectativas e faz isso bem, ainda mais no ambiente certo.

    Brasileira no elenco

    O longa tem a atuação de uma brasileira: Nanda Costa. Ela já participou de diversas produções nacionais conhecidas, como os filmes Entre Irmãs, Apaixonados - O Filme e Gonzaga - De Pai Para Filho

    Porém, foi nas novelas que a atriz se destacou. O seu currículo na TV inclui os seguintes destaques: Segundo Sol, Pega Pega, Malhação, Império, Salve Jorge e Cordel Encantado

    No filme, sua personagem aparece em meio a boas cenas de ação. Ela faz parte da tripulação do navio do almirante (Ron Perlman).

    A atriz mostrou sua preparação para as gravações:

    Nanda Costa se prepara para filme

    Elenco e produção

    Bom, o filme conta com boa parte da equipe responsável pela franquia Resident Evil nos cinemas. Como vocês já sabem, Milla Jovovich (Resident Evil - O Hóspede Maldito) é a estrela do longa, que também contará com a presença de T.I. Harris (Atl - O Som Do Gueto), Ron Perlman (Hellboy), Tony Jaa (Ong Bak - Guerreiro Sagrado), Meagan Good (Hóspede Indesejado) e Diego Boneta (Rock Of Ages: O Filme). 

    Se você gosta da série de zumbis, já sabe o que esperar por aqui. 

    Continua após o anúncio

    Trailer oficial do longa