cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    'Resident Evil' da Netflix foca no drama e funciona melhor sem zumbis

    Nova atração baseada no game de sucesso é nova aposta do streaming

    Por Daniel Reininger
    14/07/2022 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Resident Evil é sucesso dos games, com mais de 100 milhões de cópias vendidas no mundo, por isso a Netflix decidiu investir em Resident Evil: A Série, nova produção baseada no sucesso que acabou de chegar à plataforma.

    Mas será que essa série vale o seu tempo? A gente já viu a temporada e conta para você:

    A série

    A série se passa em duas linhas do tempo diferentes. A primeira delas envolve as irmãs Wesker se mudando para Nova Raccoon City e a outra em 2036, mais de uma década depois que um vírus mortal causou um apocalipse global.

    A trama no futuro é focada em Jade (Ella Balinska), jovem que busca uma cura para a doença que devastou o mundo. Assombrada por seu passado, ela tenta encontrar mais respostas sobre como conter o vírus criado pela Umbrella Corporation. Em 2022, conhecemos a vida das irmãs que começam a investigar a verdade sobre a corporação onde seu pai trabalha.

    Com foco em criar algo realmente novo, mas usando os games como base, a série traz ação e terror com novos personagens e um mundo diferente do que conhecemos nos jogos.

    Drama funciona melhor do que ação

    Essa série de destaca pela ótima atuação de seu elenco, combinada com um enredo intrigante capaz de se encaixar na linha do tempo dos jogos. Os efeitos especiais funcionam bem e são bem melhores do que os que vimos no filme recente Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City, com muitos zumbis de visual interessante e criaturas bem maneiras, como o Licker.

    Sem revelar muito, os eventos dos três primeiros jogos da franquia Resident Evil – particularmente o surto de Raccoon City - desempenham um papel fundamental na história. 

    No entanto, a série faz um ótimo trabalho ao condensar os grandes pontos da trama do jogo, enquanto ainda conta uma história original. É ótimo ver a série se esforçar para se conectar aos jogos sem deixar de apostar em algo novo.

    Como falamos, a série se passa em dois momentos diferentes, A linha do tempo de 2022 é ambientada em Nova Raccoon City, construída como uma comunidade planejada que abriga os funcionários da Umbrella Corporation e suas famílias. 

    A linha do tempo de 2036, à primeira vista, nos lembra bastante do filme Resident Evil 3 - A Extinção, com aquela atmosfera pós-apocalíptica dominada pelos experimentos da Umbrella. O mundo é bem construído, com cidades-estados muradas, facções rivais e a Umbrella tentando controlar o mundo todo. 

    Embora ambas as linhas do tempo contem interessantes originais, a de de 2022 é o destaque. Não só por trazer mais profundidade, mas também pela presença de Albert Wesker, vilão famoso da série e que é interpretado muito bem por Lance Reddick.

    Sem falar na ótima química de Tamara Smart e Siena Agudong, que vivem as filhas do cientista e estão em busca de respostas. As duas são ótimas e suas personagens realmente nos ajudam a mergulhar na história.

    E é exatamente a atuação de Lance Reddick como Wesker que dá brilho a série, porque o cara é fenomenal. Ele é um pouco estranho no começo, já que não é o mesmo Wesker que conhecemos nos jogos. Ele é um homem de família e mais equilibrado, mas essa caracterização faz muito sentido à medida que a série avança. 

    Outra atuação de destaque é Paola Núñez como Evelyn Marcus, CEO da Umbrella Corporation. Ela é ambiciosa, impaciente e disposta a fazer qualquer coisa para garantir que a corporação seja lucrativa. Curiosamente, seus laços familiares desempenham um papel importante na trama e a deixam mais humana, apesar de tudo.

    Mesmo que uma das linhas do tempo seja mais atraente e interessante do que a outra, a primeira temporada de Resident Evil oferece uma história nova, original e convincente que deixa muito espaço para uma segunda temporada expandir esse mundo.

    Apesar do desequilíbrio de qualidade entre as duas épocas retratadas, a qualidade da atuação, dos efeitos especiais e da narrativa como um todo fazem a série valer a pena, ainda mais porque é intrigante o suficiente para nos fazer ficar colados na tela e maratonar em busca de respostas.

    Assista

    Quem quer uma história interessante cheia de suspense e horror, com boas atuações e uma narrativa intrigante precisa dar uma chance a Resident Evil: A Série, da Netflix. 

    A série é produzida pela Constantin Films, responsável pelos seis filmes estrelados por Milla Jovovich. Essa produção garante momentos de tensão e apresenta bons personagens, mas se prepare para ver algo novo, que vai além dos games e bem diferente dos filmes do passado.

    Resident Evil: A Série já está disponível na Netflix.

    Veja mais