Crítica: Stranger Things 3 se reinventa de forma fascinante

Nova temporada chega à Netflix nesta quinta-feira (04)

03/07/2019 14h55

Por Thamires Viana

Stranger Things é um verdadeiro fenômeno da Netflix e não é por acaso. Mesclando drama e ficção-científica, a série que acompanha um grupo de amigos embarca para seu terceiro ano na plataforma. Ainda mais oitentista e dinâmica, a nova temporada é a mais fascinante até aqui. Repleta de amadurecimento, tanto de técnica, quanto do próprio elenco, o reencontro com a turma nos mostra que nada é como antes na pacata cidade de Hawkins.

+ Relembre a primeira temporada
+ Relembre a segunda temporada

Agora, será difícil encontrar as crianças com suas bicicletas e os jogos de tabuleiro. O clima de romance está no ar com Mike e Eleven vivendo as surpresas do primeiro amor, para o desespero de Hopper, o xerife local que adotou a garota no final da segunda temporada. Enquanto isso, Max e Lucas tentam entender como funciona um relacionamento amoroso. Dustin volta do acampamento de férias completamente apaixonado e Will ainda luta para voltar a ser o mesmo desde o retorno do Mundo Invertido e a possessão do Devorador de Mentes. 

Cena da terceira temporada de Stranger Things

Já nos primeiros episódios fica evidente a preocupação dos irmãos Duffer - criadores da série - em seguir em frente com os acontecimentos sem deixar que a essência da atração se perca. Se compararmos com a segunda temporada, onde o mais do mesmo se fez presente, o novo ano está repleto de novidades que não implicam negativamente no desenrolar da trama. Pelo contrário, a inserção de novos cenários, mistérios e personagens traz um outro lado da nossa velha e conhecida Stranger Things. Sua própria reinvenção é de fato um dos maiores acertos da temporada.

Em termos de roteiro, o novo ano entrega um equilíbrio satisfatório entre seus vários mistérios. Apesar de trazer tramas paralelas, os Duffer souberam dosar a importância dos assuntos abordados para que nenhum atropele o outro. Assim, cada personagem, principal ou secundário, tem seu próprio aprofundamento. Max e Billy, por exemplo, chegaram na segunda temporada sem um futuro traçado, no entanto, os novos episódios entregam a verdadeira relevância dos irmãos. O mesmo acontece com Robin, a jovem que trabalha ao lado de Steve na sorveteria Scoops Ahoy. Sua entrada na série se mostra tímida nos primeiros episódios, mas aos poucos, seu humor ácido toma conta da atração.

Cena da terceira temporada de Stranger Things

A divisão dos grupos também funciona muito bem por aqui. Enquanto Will, Lucas e Mike passam as tardes tentando lidar com seus próprios sentimentos, Dustin embarca em uma missão ultrasecreta com Steve, repetindo a parceria maravilhosa no final da temporada passada. Eles são acompanhados por Robin e o trio, claro, é um dos mais divertidos e dinâmicos desses novos episódios.

Eleven se une à Max em uma amizade inesperada, mas muito bem-vinda para o momento. Por ter passado a infância servindo de cobaia no Laboratório Hawkins, a agora Jane Hopper precisa de conselhos sobre seu namorado, sua convivência com o pai adotivo e também sobre o estilo que condiz com sua nova vida. A ida das novas amigas ao Starcourt, primeiro shopping inaugurado na cidade, é uma das melhores cenas nessa leva de episódios e nos faz perdoar os Duffer por terem criado tanta rivalidade entre as duas no ano anterior. 

Cena da terceira temporada de Stranger Things

Hopper e Joyce ainda buscam respostas para sua estranha relação, mesmo que a mulher ainda sofra com a morte de Bob. Enquanto isso, Nancy e Jonathan estão trabalhando no The Hawkins Post, jornal local, e buscam a resolução de mais um caso macabro que percorre a cidade.

Diferente das temporadas anteriores que traziam o clima cinzento do outono, a terceira traz as cores vivas do verão americano. As referências oitentista estão ainda mais presentes, indo além dos cenários e passando por figurinos, penteados, maquiagens e até sessões de Despertar Dos Mortos, filme de 1978 que se torna a grande diversão de férias do grupo. Se os fãs nascidos na saudosa década de 80 já estavam impressionados com a qualidade nostálgica da série, este novo ano chega com ainda mais elementos marcantes. 

Ainda há monstros, mistérios, mundos desconhecidos e muita aventura para o amado grupo de amigos que vem arrastando uma imensidão de fãs desde sua estreia na NetflixStranger Things 3 representa não só o crescimento do elenco, mas também uma reinvenção necessária para uma série que soube se consolidar como uma das melhores dessa década. 

NOTA: 10


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus