cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    A evolução dos filmes da DC Comics pelas cores

    DC Comics e Marvel usam cores de formas bem diferentes
    Por C6 Bank - Oferecimento
    07/07/2021 - Atualizado há 4 meses

    Muito se discute sobre quem é melhor: Marvel ou DC. Isso começou bem antes da disputa nos cinemas, ainda na era dos quadrinhos. Independente de qual você prefere, é inegável que os filmes possuem identidades visuais bem diferentes, marcadas por cores e contrastes.

    A DC Comics, comandada pelo diretor Zack Snyder, apostou inicialmente no visual sombrio, com poucas cores e exagero de contraste. Já os filmes da Marvel Studios sempre foram mais alegres e animados, tanto no visual, quanto no clima de suas histórias. Cada um tem sua identidade, mas as coisas estão mudando aos poucos.

    Além disso, as duas possuem algo em comum: focam nas cores vermelho, azul e amarelo, com alguns verdes, brancos e pretos - tons mais fáceis para se trabalhar com muitos efeitos na tela. Tanto é que a diferença costuma estar na força, tonalidade e contrastes, usados de formas variadas como recurso narrativo. 

    Além disso, as duas empresas gostam de pesar a mão nos laranjas e azuis para efeito dramático, já reparou? E isso acontece cada vez mais em filmes de ambas as editoras, afinal, cores transmitem sentimentos e isso é algo que vêm desde os primórdios do cinema. 

    DC Comics

    Em Homem de Aço (2013), a DC Comics inaugurou seu universo cinematográfico de forma bem escura, sombria e contraste baixo. Na sequência, Batman Vs Superman (2015), o constraste aumentou, mas o foco permaneceu nas cores escuras e fortes.

    Com Mulher-Maravilha (2017), a diretora Patty Jenkins trouxe muito mais cor a esse mundo, mesmo no ambiente cinzento da Primeira Guerra, na qual a história é ambientada.

    E então Liga da Justiça (2017), finalizado pelo diretor Joss Whedon, trouxe mais de cor aos personagens na tentativa de suavizar o visual desse universo cinematográfico, deixando de lado o tom melancólico imposto pelo diretor Zack Snyder.

    Cena de Batman vs Superman: A Origem da JustiçaDivulgação

    Evolução da DC

    A partir daí, tudo mudou. Aquaman (2018) ganhou cores mais vibrantes, embora ainda possua momentos de pouca iluminação, mas a grande mudança aconteceu mesmo com Mulher-Maravilha 1984 (2020).

    Com o segundo longa da heroína mais famosa do mundo, os filmes da DC Comics deixaram para trás a obrigação de criar um visual sombrio. O longa traz cores vibrantes a fim de capturar o espírito dos anos 80 e também para deixar tudo mais bonito e alegre. 

    Inclusive, esse é um dos mais belos filmes da editora. Veja algumas imagens abaixo:

    Imagem de divulgação do filme Mulher-Maravilha 1984Divulgação
    Gal Gadot como heroina em Mulher-Maravilha 1994Divulgação

    Esquadrão Suicida

    No meio de tudo isso, a DC Comics lançou em 2016 um filme que trouxe muita cor, especialmente na personagem Arlequina, embora ainda mantenha o tom sombrio. Esquadrão Suicida se diferenciou o suficiente dos outros filmes da DC até então, a ponto de se destacar exatamente pelas cores vivas.

    E em breve veremos esse mundo colorido explorado de uma forma ainda mais incrível, já que o novo Esquadrão Suicida será dirigido por James Gunn, o diretor que trouxe toda a cor de Guardiões da Galáxia ao cinema. 

    Zack Snyder ama o preto e branco

    Entretanto, em um retorno inesperado ao passado, a DC Comics lançou diretamente no streaming o filme Liga da Justiça de Zack Snyder, versão do diretor do filme de 2017. A produção retomou o tom sombrio e sua fotografia está a um passo de ser em preto e branco. 

    Essa versão foi criada por causa da pressão dos fãs e pela decepção causada pelo filme lançado nos cinemas em 2017. Ou seja, foi uma maneira de dar uma sobrevida ao longa, mas não deve simbolizar o futuro da DC no cinema, pelo menos visualmente.

    Cena de Darkseid em Liga da Justiça de Zack SnyderReprodução

    Diferenças

    Fato é: Tonalidades diferentes são utilizadas pelos cineastas como um recurso que completa a narrativa, por isso as diferenças entre as produções são tão grandes.

    Quem já assistiu a um filme dos Vingadores ou dos Guardiões da Galáxia sabe bem que a Marvel variou melhor sua paleta de cores ao longo dos últimos anos, além de usar diversos tipos de iluminação, como vimos, por exemplo, em Vingadores Ultimato ou, até mesmo, na série Wandavision, lançada na Disney+.

    Já a DC veio com uma ideia sombria inicialmente, mas percebeu que a liberdade para criar o visual necessário de acordo com a temática e atmosfera de cada filme garante uma liberdade importante ao cineasta.

    Comparação

    No fim das contas, é fácil ver como as cores ajudam a criar o clima em torno dos personagens dos filmes. A diferença era óbvia entre essas duas gigantes dos super-heróis, afinal, ambas tinham propostas diferentes: uma foca na alegria e a outra na melancolia. 

    A diferença é clara e a variedade de cores garante uma maior gama de possibilidades e emoções nas telas, até por isso a DC começou a permitir essa mudança em sua identidade.

    A DC passou a permitir à equipe criativa de cada filme criar seu próprio mundo de cores, de acordo com a história.

    Uma maior variedade no quesito luz e cores é pura consequência dessa maior liberdade criativa, afinal, cada cena exige um tratamento diferente de cores. O que é ótimo!

    Como cor nunca é demais, é ótimo ter essa a variedade no cinema. Claro, desde que faça sentido para uma história a ser contada.

    Para mostrar as diferenças comentadas até aqui, comparamos abaixo o trailer de um filme mais antigo da DC (Batman Vs Superman), um mais novo (Mulher-Maravilha 1984) e um da Marvel Studios (Viúva Negra). Confira e repare como o visual muda:

    Marvel Comics

    Com Homem de Ferro (2008), a Marvel começou com muitas cores, luz e foco no realismo. Aos poucos, cores saturadas, efeitos cheios de contraste e até momentos de escuridão passaram a se tornar mais comuns em seus filmes, como vimos em Ultimato.

    Isso acontece exatamente pela liberdade da Marvel Studios em criar filmes ou cenas com climas diferentes, então um momento mais tenso e triste pode ser mais escuro, mesmo que vá contra o conceito central do estúdio.

    Liberdade para escolher suas cores é a maior arma de qualquer cineasta.

    Robert Downey Jr. como Homem de Ferro Reprodução
    Cena de Caveira Vermelha em Vingadores: UltimatoReprodução

    Entretanto, a Marvel continua com foco em filmes coloridos e iluminados, mesmo que de vez em quando recorra ao estilo da concorrente. 

    Essa visão mais "animada" garante leveza aos filmes da Marvel Studios, afinal, tudo deve ser mais divertido na franquia Vingadores e as cores têm papel crucial nisso.

    Cena de Viúva Negra com Scarlett Johansson no papel principalReprodução

    Identidade visual

    Cada filme ou franquia possui sua identidade visual própria e é preciso fazer um bom trabalho para encantar o espectador e ainda se manter fiel ao conceito inicial.

    É por isso que o uso personalizado das cores se torna extremamente importante como assinatura de universos como o DC Comics e da Marvel Studios.

    Publi EditorialDivulgação


    No C6 Bank você pode escolher entre 5 cores para o seu cartão, além de personalizar o nome que vem escrito nele. Conheça o C6 Bank, eleito o melhor banco digital do Brasil pelo prêmio Canaltech.

    Conheça os cartões C6 Bank.