cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    'Dexter: New Blood' compensa as últimas temporadas (ruins) da série

    Contudo, o brilho dos primeiros anos da produção não são captados pela nova leva de episódios
    Por Da Redação
    09/11/2021 - Atualizado há 22 dias

    Há um tempão de anos, Dexter era a série do momento. Uma trama inteligente que retratava a dualidade de um serial killer "treinado" (isto é, que não matava pessoas aleatórias ou meros inocentes, e sim, apenas vilões) precisava esconder sua natureza enquanto trabalhava na polícia de Los Angeles.

    Seu astro, Michael C. Hall, vindo da fama de Six Feet Under, da HBO, deu um up à sua carreira, indicado a inúmeros prêmios (vencendo diversos deles), e dando vida a um icônico personagem da televisão — e um dos primeiros rostos da leva de "anti-heróis norte-americanos da televisão".

    O problema foi que a genialidade de Dexter morreu no meio do caminho. Na quarta temporada, atingiu o seu ápice criativo com o Trinity Killer (vivido gloriosamente por John Lithgow). Mas em seguida, tudo foi ladeira a baixo. 

    Perdeu o fio da meada

    Após discutivelmente a melhor temporada da série, a quarta, o showrunner de Dexter, Clyde Phillips, deixou oficialmente a produção.

    Como resultado, os anos subsequentes decaíram (muito) em qualidade. Temporadas repletas de arcos sem pé nem cabeça, situações fracos e repetitivas, novos personagens desconexos e forçados, entre outros problemas estruturais.

    Isso sem nem mencionar no desenvolvimento pífio do próprio Dexter, que ficou cada vez mais caricato. Quanto ao final da série, sem comentários — simplesmente um dos finais mais horripilantemente ruins da última década televisiva.

    Tanto é que fãs fizeram pouco alarde quando o canal Showtime anunciou o retorno do serial killer mais famoso da televisão. O primeiro episódio de Dexter: New Blood já está no ar pelo Paramount+. A boa notícia é que o começo compensou as temporadas ruins da produção. 

    A má notícia é que ela ainda está longe de alcançar o primor inicial.

    'Dexter: New Blood' já está no ar pelo Paramount+Divulgação (Showtime)

    Primeiras impressões de Dexter: New Blood

    Em New Blood, passaram-se 10 anos após os eventos do último episódio da série. Dexter Morgan é visto morando Iron Lake, Nova York — bem longe da Califórnia, trabalhando como vendedor em uma loja de peixes e jogos sob a alcunha de Jim Lindsay. 

    Se esforçando para ter uma vida normal, Dexter aparenta ser bom vizinho e tem até um relacionamento estável com a chefe do departamento de polícia local.

    Mesmo assim, a sombra do seu passado ainda está presente. Em conversas com Deb (Jennifer Carpenter), sua falecida irmã, o serial killer exibe preocupação com "se manter" nos eixos. Ele precisa matar, afinal de contas, é um serial killer, mas não sabe como nem quem. 

    É possível entender que a série está meio perdida. Embora esteja levar seu personagem adiante, é nítido como ela ainda quer fazer uma homenagem ao passado. O problema é que essa narrativa da dualidade e inteligente ficou enferrujada de alguns anos para cá. 

    Existem acenos para uma exploração inteligente de seu protagonista, mas ainda é cedo para fazer uma afirmação certeira sobre o seu retorno e suas reais motivações. Felizmente, com o retorno do seu roteirista original, Clyde Phillips, é possível ficar bem animado com os próximos episódios.

    Confira uma prévia da temporada

    Assista

    Dexter: New Blood está disponível com novos episódios exibidos semanalmente pela Paramount+.

    Leia também