Doutor Sono: "Foi incrível", diz atriz sobre atuar na sequência

Em entrevista exclusiva, Kyliegh Curran, que vive a jovem Abra, falou sobre parceria com Ewan McGregor

06/11/2019 19h10

Por Thamires Viana

Depois de uma longa espera, Doutor Sono finalmente chegou aos cinemas! O filme estrelado por Ewan McGregor acompanha Danny Torrance, agora traumatizado por tudo que aconteceu no Hotel Overlook e enfrentando uma vilã vivida por Rebecca Ferguson. Na trama também conhecemos Abra, personagem da atriz mirim Kyliegh Curran, que se torna grande parceira de Dan durante essa jornada.

Em entrevista exclusiva, Curran contou um pouco mais sobre a emoção de fazer parte do elenco, além de detalhar como foi o processo audição e gravação de algumas cenas importantes e memoráveis da sequência.

CONFIRA A ENTREVISTA EXCLUSIVA:

CINECLICK: Como foi a audição para este filme?

KYLIEGH CURRAN: A primeira audição foi bastante apressada. Voltei do acampamento de verão e imediatamente tive que enviar meu teste. Eu não estava muito confiante na gravação, mas, então, recebi uma ligação e pensei: "Ok, eu vou tentar o meu melhor nisso." Passamos dois dias trabalhando na personagem com meu treinador de atuação. Nós não conhecíamos o filme no começo, porque eles mudaram os nomes Abra para Luna e Dan para Ben. Então, eu tenho uma leitura com Ewan (McGregor). Eu realmente não sabia quem ele era no início, e meu irmão disse: "Kyliegh, esse é Obi Wan". Eu estava nervosa de não me sair bem, mas quando entrei no set me senti confortável com todos. Alguns dias depois, eu estava na sala de aula e minha mãe bateu na porta. A professora disse: "Sua mãe está lá fora." Eu saí e ela me disse que eu tinha conseguido! Estávamos tentando ficar caladas enquanto pulávamos! Meus colegas estavam pressionando o rosto contra as janelas, como "O que ela está fazendo?" Foi um dos dias mais emocionantes da minha vida.

CINECLICK: Conte um pouco de Abra, sua personagem, para nós?

KYLIEGH CURRAN: Ela é uma jovem forte, mas inocente, e eu sinto que ela é realmente boa. Ela daria a vida por alguém que ela nem conhece. Ela também é muito franca e não quer esconder seu dom, é aberta sobre isso. Abra está bem em usá-lo para salvar as pessoas e não vê isso como como um fardo... Para ela, é como um truque de mágica.

CINECLICK: Os pais dela são amorosos e solidários, apesar de não entenderem sobre os seus dons. Como é essa relação?

KYLIEGH CURRAN: Eles estão com medo, eu acho. Eles ficam surpresos sempre que ela usa seus poderes, então ela tenta não usá-los. Eu acho que isso prejudica o relacionamento com os pais e, quando ela encontra Dan, ele meio que preenche esse buraco em seu coração, porque ela mantém seus pais à distância - para que eles não reajam mal a ela e a seu dom. Ela o chama de tio Danny, por causa da conexão que sente.

CINECLICK: Esta é provavelmente uma pergunta óbvia, mas por que ela se chama Abra?

KYLIEGH CURRAN: Eu acho que é dos pais dela, por causa de sua magia... Abracadabra!

CINECLICK: O dom dela é incrivelmente forte. Por que você acha que isso aconteceu?

KYLIEGH CURRAN: Como Rose diz, à medida que as crianças crescem, seu dom se torna mais denso. Eles veem mais coisas e são criaturas menos puras. Abra é jovem, ela é pura e seu dom não diminuiu. Eu acho que por isso ela pode usá-lo e controlá-lo melhor. Ela não tem medo disso. Eu acho que, como Danny não o entendeu quando menino, ele tinha medo. E o trauma no Hotel Overlook tornou ainda pior.

CINECLICK: Como Abra encontra Dan?

KYLIEGH CURRAN: Quando ela é mais jovem, sua mente que funciona como um rádio pega a estação dele. Eles começam a conversar, por meio de um quadro-negro, como se ela fosse sua amiga por correspondência. Como ele é o único que ela conhece ter o mesmo poder, ela o procura. A intuição dela diz que ele é único e é bom.

CINECLICK: Quem é Rose the Hat e o que ela e o Verdadeiro Nó querem?

KYLIEGH CURRAN: Rose e o Verdadeiro Nó estão buscando a imortalidade. E fazem isso sequestrando crianças e inalando seu poder e sua essência. Isso é o que realmente perturba Abra o suficiente para desafiar essas pessoas e procurar Dan. Eu acho que ela sente que ele passou por algo assim, com todas as suas experiências no Overlook. Ela sente que ele passou por esse trauma e ele poderá ajudar a derrubá-lo.

CINECLICK: Conta mais sobre como foi trabalhar com o elenco e diretor Mike Flanagan?

KYLIEGH CURRAN: Ewan é incrível. Ele é o melhor absoluto. Eu aprendi muito trabalhando com ele. Ele é tão gentil e me fez sentir confortável e calma. Não me sinto estressada quando estou trabalhando com ele. Eu poderia dizer o mesmo sobre o Sr. Mike, que é incrível. Ele conhecia todo mundo no set e foi muito gentil. Ele não era nada - como eu digo? - hardcore. Todo mundo tem sido tão gentil e incrível.

CINECLICK: Ele é um grande fã de Stephen King, então, obviamente, ele chegou com material com um pano de fundo. Você teve alguma experiência em livros ou filmes de Stephen King?

KYLIEGH CURRAN: Eu conheço! Mas eu realmente só comecei a assistir e ler os livros dele como referência quando recebi o roteiro de Doutor Sono. Eu não li tudo, porque ficou muito perturbador para mim. Eu li até a metade.

CINECLICK: Quais foram algumas das cenas mais difíceis para você filmar? E então, do outro lado, a mais divertida?

KYLIEGH CURRAN: As mais divertidas foram as cenas de grito e choro. Eram dramáticas e divertidas de fazer. As mais assustadoras provavelmente foram as do Overlook. Aquilo foi realmente esquisito!

CINECLICK: E você assistiu O Iluminado?

KYLIEGH CURRAN: Sim. Antes de começarmos a filmar, eu assisti. Ganhei uma liberação de filme de terror da minha mãe. Ter essa referência foi bom para ajudar com a personagem e controlar o trauma que Danny passou.

CINECLICK: Então, como foi participar de um projeto tão grande? Como foi a experiência?

KYLIEGH CURRAN: Eu realmente não acreditei nisso durante todo o tempo, até que minha mãe, logo após as filmagens, disse: "Kyliegh, tudo isso está realmente acontecendo". Eu pude ver o filme em uma exibição com a Warner Bros. e acho que me saí muito bem. Não gosto de assistir minhas fitas de teste, mas estou de bem com o filme. Sou muito crítica comigo mesma, mas desta vez me permiti ser um pouco feliz.

CINECLICK: Permita-se ser muito feliz! Você tem uma estrada divertida pela frente!

KYLIEGH CURRAN: Bom trabalho, Kyliegh! (risos)


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus