cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Elenco e diretor falam sobre O Passado

    Por Da Redação
    19/10/2007

    Na tarde de hoje (19), o elenco principal de O Passado e seu diretor, Hector Babenco, conversaram com a imprensa em São Paulo, que lotou a sala de exibição de um cinema na cidade. O filme abriu ontem (18) a 32ª Mostra Internacional de Cinema em exibição somente para convidados e está na programação do evento, que começa hoje.

    O grande destaque da coletiva de imprensa foi a presença do ator Gael García Bernal, que, além de protagonizar o filme de Babenco, ainda está em outras duas produções em exibição na Mostra deste ano: Sonhando Acordado, de Michel Gondry, e Déficit, que marca sua estréia na direção de um longa. Tanto frisson envolvendo a figura do galã também foi ocasionada pela distância que ele tem tentado manter da imprensa nesta sua rápida passagem pela cidade. Tanto que a maioria das perguntas foi direcionada a García Bernal. Além dele e do diretor, também compunham a mesa as atrizes Analía Couceyro, Moro Anghileri e Ana Celestano, que interpretam Sofia, Vera e Carmen, respectivamente.

    O Passado é baseado no livro homônimo de Alan Pauls. A vida amorosa do jovem tradutor Rimini (Gael Garcia Bernal) e a forma como ele se envolve com três mulheres a partir do fim de seu casamento de 12 anos com Sofia (Analía Couceyro), um amor da infância. A bela jovem modelo Vera (Moro Anghileri) é seu relacionamento seguinte e Carmen (Ana Celentano) é a mulher que dá um filho ao protagonista.

    "Aceitei participar deste projeto porque é uma história universal", explica Bernal. "Além disso, tinha essa vontade de trabalhar com Hector Babenco, a quem admiro desde seus filmes anteriores. Também me seduziu a idéia de filmar em Buenos Aires, já que considero a Argentina minha segunda casa", completa o ator. "O Passado era diferente do que eu havia feito anteriormente porque nunca havia atuado como pai, nem em ficção nem na vida real", brinca.

    Essa admiração pelo diretor argentino parte não somente do ator, mas também das suas colegas de elenco. Anália, Moro e Ana salientaram que, enquanto passavam por testes para serem escolhidas a trabalhar no filme, pensavam na honra que seria trabalhar com Babenco. "O casting envolveu muita ansiedade", confessa Moro. "Foi um prazer trabalhar com Gael e aprendi muito com Hector", revela Moro. "Todo o processo foi muito fluído porque eu tentava não pensar na grande oportunidade que seria trabalhar com Hector e Gael", conta Analía, que está grávida.

    "Temos a tendência de imaginar que o cinema é a realidade, mas este é somente um filme", explica Babenco, em relação aos comentários referentes à forma como os personagens são tratados em O Passado - ou seja, mulheres loucas versus um homem totalmente passivo. "Fiquei assustada ao ver o filme pela primeira vez, mas precisamos pensar que este é um ponto de vista muito particular", completa Moro. "Essa inocência de Rimini, um anti-herói, tem a mesma força de um herói comum", define Bernal. "Ele é um elemento que caiu na correnteza e é levado por ela." Babenco concorda: "Por mais poderoso que um homem seja, ele sempre é levado pela mulher, senão não estaria na relação. O homem não precisa ser forte o tempo todo."

    Veja especial sobre a 32ª Mostra.