cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Entenda a treta que acabou com a amizade de Tarantino e Uma Thurman

    Os dois eram parceiros profissionais e amigos, mas tudo mudou após um acidente
    Por Daniel Reininger
    29/04/2021 - Atualizado há 3 meses

    Uma Thurman e Quentin Tarantino eram unha e carne até o começo dos anos 2000 e o diretor deixava claro o quanto admirava a atriz a todo momento que pudesse. Eventualmente, eles se distanciaram. Você sabe o motivo?

    Aproveitamos o aniversário da maravilhosa Uma Thurman para relembrar esse momento tenso e mostrar sua força por suportar tudo que suportou.

    Bem, em 2018, ela fez graves acusações contra o diretor em meio à revelação de detalhes sobre o assédio que sofreu de Harvey, ex-produtor de filmes e criminoso sexual condenado, acusado por Uma Thurman de assédio.

    Na entrevista, Uma revelou que Tarantino nunca fez nada para protegê-la e, para piorar, ele foi responsável por um acidente que ocorreu durante as gravações de Kill Bill: Vol. 1 e deixou sequelas.

    O acidente

    A estrela sofreu um acidente após a insistência do cineasta em não utilizar uma dublê. Uma extensa matéria sobre a atriz, intitulada "This Is Why Uma Thurman Is Angry (Esse é o motivo pelo qual Uma Thurman está brava, em tradução livre)", traz detalhes do acidente. 

    A sequência mostraria Beatrix Kiddo pilotando um carro em alta velocidade. Thurman insistiu que a cena deveria ser gravada por uma dublê porque ela não se sentia preparada, mas o cineasta negou o seu pedido e o resultado foi um acidente que a deixou com sequelas nos joelhos.

    Sobre o acidente, testemunhou: "O volante estava na minha barriga e minhas pernas presas embaixo de mim", disse Uma ao New York Times. "Senti uma dor lancinante e pensei: 'Meu Deus, nunca mais vou andar'."

    O acobertamento após o fato é imperdoável”, escreveu ela, sem culpar diretamente Tarantino por isso, mas deixando claro que a acusação era contra os produtores do filme.

    Tarantino se pronunciou sobre o caso ao Deadline e tentou explicar a sua decisão durante as filmagens: "A ideia era que ela dirigisse em torno de 30-40 por hora, apenas para mostrar o cabelo voando. Não havia obstáculos, era um caminho reto. Eu fiquei empolgado e disse a ela que conseguiria fazer já que o caminho seria reto e a sua resposta foi 'tudo bem'. Ela fez isso pois acreditava em mim. Eu disse a ela que tudo ficaria bem e que seria seguro. Infelizmente não foi. Eu não a forcei a entrar no carro, ela o fez pois confiava em mim".

    Ele acusa a empresa responsável pelo carro de não avisar sobre possíveis perigos. "Então, ficou decidido que ela entraria no carro. Eu não ouvi nada da empresa sobre o carro não estar funcionando e eles eram responsáveis por oferecer veículos seguros. Se eles tivessem dito algo sobre aquilo ser perigoso para a equipe de produção isso teria sido evitado", comenta.

    Ele se arrepende do acontecimento. "O momento [do acidente] foi horrível. Assisti-la sofrendo aquilo foi de quebrar o coração. É um dos maiores arrependimentos da minha carreira".

    Por conta do ocorrido, Uma e Tarantino ficaram brigados por muito tempo, já que a atriz o culpou por ter insistido na cena. Ela revelou, porém, que foi das mãos do próprio diretor que recebeu o vídeo que prova a existência do acidente.

    "Uma e eu discutimos sobre isso por um bom tempo para decidir como tudo seria feito. Ela queria esclarecer a situação da batida de carro depois de tantos anos. Ela me pediu as imagens e eu tentei encontrá-las, mesmo após 15 anos. Procuramos em caixas e arquivos e achamos. Fiquei muito realizado em poder fazer isso por ela. Nós tínhamos um combinado de que eu seria entrevistado pela Maureen Dowd para confirmar as afirmações da Uma. Mas isso nunca aconteceu. Depois, eu li o artigo e parecia que todos os caras contataram seus advogados e não foram citados e eu acabei ficando como alvo".

    Veja o acidente

    Continua após o anúncio

    Assédio

    O diretor também comentou as acusações de que ele teria acobertado as práticas do produtor Harvey Weinstein.

    O cineasta chegou a ignorar as reclamações de Uma e de Mira Sorvino, sua namorada na época. "A Mira me contou sobre as coisas que o Harvey fez com ela e eu fiquei incrédulo. Quando começamos a namorar, ele se afastou e conclui que ele tinha uma grande paixonite por ela. Ele tinha uma sexualidade inflada e quando ela me falou sobre a situação eu fiquei aterrorizado por ela e, francamente, envergonhado pelo desespero das atitudes dele".

    Uma revelou que falou do assunto com o cineasta. "Eu conversei com o Quentin e desabafei sobre como ele a deixou na mão, tanto como seu diretor, como seu amigo. Ele também sabia da história [com o Weinstein] e tentou desconversar falando que ele 'estava tentando ter as garotas que ele não podia ter'", revelou a atriz.

    Ele tentou resolver, mas não fez o suficiente. "Quando a Uma me disse que ele tinha feito o mesmo com ela, eu imaginei que tudo era um padrão e o fiz se desculpar com ela. Se nós quiséssemos fazer Kill Bill juntos, então isso teria que acontecer". 

    Tarantino chegou a falar sobre o comportamento de Weinstein na época em que os casos de assédio foram revelados e confessou que sabia de muitas histórias: "Eu sabia o suficiente para ter feito mais do que fiz. Havia algo mais na história do que um simples rumor ou uma fofoca normal. Não era indireto. Eu sabia que ele tinha feito algumas coisas. Se eu tivesse assumido a responsabilidade pelo que ouvi. Se tivesse feito o trabalho que eu deveria fazer, eu não teria trabalhado com ele. O que eu fiz foi marginalizar os incidentes. Qualquer coisa que disser agora soará como uma desculpa esfarrapada", concluiu.

    E, assim, acabou uma grande amizade, com Uma passando momentos terríveis, sem apoio de seu então amigo e parceiro.

    Post de Uma com desabafo