cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Depois a Louca Sou Eu: Débora Falabella e Julia Rezende revelam como a ansiedade se destaca em novo filme

    A atriz e a diretora conversaram com o Cineclick para contar mais detalhes da comédia que estreia nesta quinta-feira (25)
    Por Thamires Viana
    24/02/2021 - Atualizado há 7 meses

    Depois a Louca Sou Eu, comédia estrelada por Débora Falabella e dirigida por Júlia Rezende, chega aos cinemas nesta quinta-feira (25) trazendo uma abordagem bem-humorada sobre um assunto ainda delicado: a ansiedade.

    "Eu acho que o humor se torna uma via facilitadora nesses casos. Às vezes quando o assunto é um tabu, o humor vem para criar pontes de identificação com as pessoas", conta a diretora em entrevista exclusiva ao Cineclick

    Na história baseada no best-seller homônimo da escritora Tati Bernardi, Débora interpreta Dani, uma jovem publicitária que sonha em se tornar uma escritora de sucesso, mas que se sente presa às diversas crises de ansiedade e pânico que enfrenta desde a infância. Ela recorre a diversos tratamentos e terapias para conseguir se sentir mais livre.

    "Eu tinha uma identificação muito grande com o livro da Tati [Bernardi]" diz a atriz. "Quando eu fui chamada para fazer o filme, acredito que foi através dessa identificação que eu fui construindo a minha própria personagem", completou ela.

    A identificação de Débora com Dani não é a toa. Sua personagem chega às telas trazendo um lado muito humano e realista sobre uma geração que está cada vez mais ansiosa. Sobre isso, Débora conta como foi trazer muito de si mesma para compor o papel. 

    "A gente vive em um país rodeado de pessoas muito ansiosas porque estamos em um mundo muito acelerado. Acho que a ansiedade é mesmo um mal do século e não tem como viver sem ter passado por algum episódio. Eu acho que essa inspiração também veio através das pessoas que estão ao meu redor e, claro, de experiências que eu já passei", relevou.

    Um dos pontos altos de Depois a Louca Sou Eu é inserir em sua narrativa uma inteligente condução à abordagem sobre os transtornos psicológicos. Sem extremismos ou banalizações, a comédia cria um paralelo entre divertir o público em muitas cenas cômicas, mas também desmistificar todos os tabus que ainda fazem parte dessa discussão.

    Sobre isso, Júlia afirma que o grande objetivo do filme é tornar o diálogo ainda mais aberto, principalmente sobre a busca por ajuda e acompanhamento. "Eu acho que [o filme] é sobre tirar qualquer mística em fazer uma terapia ou então procurar um psiquiatra de que "isso é coisa de gente doida", né, pois ainda se usa esse tipo de expressão. Então eu acho que o filme procura quebrar um pouco dessas barreiras e permitir que as pessoas busquem ajuda e facilitem as próprias vidas", completa ela.

    Depois a Louca Sou Eu

    Na trama, Dani é uma jovem intensa e muito autêntica que sonha em levar uma vida normal. Porém, desde criança ela vive em descompasso dentro de seu próprio mundo. Enquanto todos ao seu redor se encantam com o talento que a torna uma brilhante escritora, ela tenta de todas as formas controlar seus medos e as constantes crises de ansiedade que sofre.

    Escrito por Gustavo Lipsztein, Depois a Louca Sou Eu ainda traz no elenco nomes como Yara de Novaes, Gustavo Vaz, Cristina Pereira, Evandro Mesquita e Débora Lamm

    A estreia está marcada para esta quinta-feira, dia 25 de fevereiro, nos cinemas. 

    Opinião

    "No longa, a discussão do assunto é muito bem colocada através do roteiro de Gustavo Lipsztein e da direção de Júlia. A dupla criou uma adaptação muito direta e bem-humorada para a história de Tati, autora que colocou nas páginas do best-seller toda a sua vivência com a ansiedade. Sem quaisquer exageros ou banalização, o sofrimento da personagem, assim como suas grandes realizações, é trazido com um tom muito cuidadoso ao público. A produção assinada por Mariza Leão conta com sensibilidade e realismo capazes de criar identificação direta com quem se sente ou já sentiu ansioso." 

    Leia aqui a crítica completa de Depois a Louca Sou Eu 

    Trailer oficial