cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Esquadrão Trovão acerta onde Vingadores errou com representatividade de personagens

    Mais do que nunca, representatividade é um assunto em alta, e Esquadrão Trovão acertou em cheio
    Por Redação
    07/04/2021 - Atualizado há 2 meses

    Recentemente, a Netflix anunciou a data de lançamento de seu novo filme com Melissa Mccarthy (A Chefa, As Bem-Armadas e Caça Fantasmas) e Octavia Spencer (Histórias Cruzadas, Estrelas Além do Tempo e A Forma da Água). As atrizes interpretam duas heroínas que usam as suas habilidades especiais para combater o crime.

    O trailer legendado mal saiu e já tem dado o que falar, pois a produção levanta uma pauta que vem sendo discutida há bastante tempo no cinema: a representatividade das personagens, especialmente em um ponto em que Vingadores: Ultimato acabou errando feio.

    Veja a seguir mais detalhes sobre Esquadrão Trovão, o mais novo lançamento da Netflix!

    Esquadrão Trovão | Trailer legendado

    O enredo de Esquadrão Trovão

    Pelo que pudemos observar no trailer, Esquadrão Trovão é um filme de super-heroínas e, como a maioria das produções do gênero, começa com uma história de origem. A personagem de Melissa Mccarthy, a princípio, é uma mulher comum com uma vida normal.  Mas, ao visitar a empresa de sua amiga, Octavia Spencer, acaba se infectando com um soro que lhe dá habilidades especiais. No caso, uma força sobre humana. A personagem de Spencer também ganha superpoderes, porém mais estratégicos, como a invisibilidade.

    As duas heroínas começam a usar os seus novos dons para combater o crime e ajudar as pessoas. Ao som de uma trilha sonora de qualidade e ótimos efeitos especiais (o longa é uma superprodução da Netflix), a história deve se desenrolar com muita comédia. Ben Falcone, o diretor do filme e também esposo da Mccarthy, já esteve à frente de outros projetos cômicos com sua parceira, como Tammy, A Chefa e A Alma da Festa. Além disso, Jason Bateman (Uma Ladra Sem Limites), que também já esteve em outro projeto de comédia ao lado de Mccarthy, fará uma participação em Esquadrão Trovão.

    Por fim, um dos destaques da produção foi a escolha do figurino. Em filmes de super heróis é muito comum que os uniformes sirvam para ressaltar corpos esbeltos ou dar formas irreais a corpos comuns. Os uniformes em Esquadrão Trovão não tentam esconder os verdadeiros corpos das atrizes, mais um ponto positivo para o longa.

    Continua após o anúncio
    Divulgação Vingadores: UltimatoReprodução

    Qual foi o erro de Vingadores: Ultimato?

    Se estivéssemos falando do primeiro filme do Universo Cinematográfico Marvel, Homem de Ferro, que foi lançado em 2008, até que poderia passar batido, já que a sociedade estava em outro momento e pautas como representatividade estavam longe de sequer serem discutidas na mídia.

    Mas, um filme de 2019, no qual há uma produção gigantesca envolvida e milhões de dólares investidos em assessoria de marketing, engordar artificialmente um de seus personagens para fazer com que o seu peso seja motivo para fazer o público rir, realmente foi uma bola fora.

    Em Vingadores: Ultimato, Thor está em depressão devido aos acontecimentos do filme anterior (não daremos spoiler aqui, caso você não tenha assistido ao filme ainda). O personagem de Chris Hemsworth, que sempre foi apresentado ao público tendo a beleza física como um de seus atributos, desta vez aparece abatido e desleixado em relação à sua aparência por causa da tristeza profunda. Até aí “tudo bem”, o problema é a forma como o ganho de peso de Thor foi conduzido nas telas.

    O fato do ator não ter ganhado peso na vida real — já que foi usado maquiagem e roupas especiais para lhe dar a aparência que tem no filme — por si só, já foi encarado como uma afronta. Para piorar, um Thor gordo nas telas, depois de tantas aparições como um dos principais galãs da franquia de maior sucesso da Marvel, abre margem para uma enxurrada de piadas gordofóbicas e, é claro, afirmações preconceituosas já existentes na sociedade.

    Vingadores: Ultimato é quase uma obra prima do gênero de super heróis, mas a questão de enfatizar negativamente o ganho de peso de um dos personagens mais importantes foi um grande erro que a Marvel cometeu. A Netflix, por outro lado, não parece ter problemas com o peso dos heróis e protagonistas de seus filmes.

    Cena de Esquadrão TrovãoReprodução

    E a representatividade?

    Durante muitos e muitos anos, só havia uma forma de ser ver representada nas mídias: se encaixando nos padrões estabelecidos. Normalizar outros formatos de corpos é algo essencial na luta contra a gordofobia e outros tipos de preconceitos. Quanto mais o público ver personagens com corpos maiores nas telas, menor será a força do preconceito.

    É uma grande vitória nos depararmos com duas atrizes gordas interpretando super heroínas. Isso mostra que, aos poucos, a representatividade ganha força. Afinal, já não é a primeira vez que Melissa Mccarthy quebra paradigmas do cinema. Em 2016, na adaptação do clássico dos anos 80, Caça Fantasmas, a atriz integrou o elenco do longa ao lado de outras mulheres que, juntas, derrubam a ideia de que Hollywood só tem espaço para personagens femininas com corpos hipersexualizados.

    Mccarthy vem mostrando, ao longo dos anos, que a personagem gorda não precisa ser a coitada que sofre muito por causa de seu peso ou que fica em segundo plano, sendo ofuscada por outras atrizes por causa de sua aparência, narrativas que, infelizmente, são mais do que comuns.

    Esquadrão Trovão é apenas mais um passo em uma longa caminhada que, aos poucos, tem mostrado que a representatividade não deve ser encarada como algo excepcional. Seja como uma heroína, como a personagem engraçada ou até mesmo como vilã, o fato é que não são as pessoas que devem se adaptar aos filmes, mas os filmes é que têm a responsabilidade de fazer com que as pessoas se sintam incluídas.

    Esquadrão Trovão será lançado na Netflix na próxima sexta-feira, dia 9 de Abril.

    Continua após o anúncio

    Quais são as suas expectativas para o filme? Acredita que é uma boa ideia fugir dos padrões dos filmes convencionais e trazer representatividade para o universo audiovisual? Compartilhe a sua opinião com a gente deixando um comentário em nossas redes sociais!

    Conteúdo Relacionado