cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    EXCLUSIVO: Entrevistamos Anthony Daniels, o C-3PO

    Por Da Redação
    21/09/2007

    O ator britânico Anthony Daniels - que cravou sua marca na história do cinema ao interpretar o robô C-3PO na série Star Wars - está no Brasil para promover a exposição Star Wars Brasil, realizada em São Paulo em março de 2008. Entre sessões de autógrafos e encontros com fãs brasileiros da saga criada por George Lucas - ontem (20), cerca de 600 pessoas estiveram presentes numa sessão com o ator -, Daniels reservou um tempo para conversar com o Cineclick.

    Como já havíamos comprovado ontem (20), durante a coletiva de imprensa, Anthony Daniels é educado, bem-humorado e realmente parece adorar o personagem que interpreta nos seis filmes da série Star Wars. No começo da entrevista, ele já sacou uma réplica de C-3PO da bolsa para me explicar como foi a composição dos movimentos tão limitados do personagem. "O C-3PO não mostra seus sentimentos por meio do olhar, mas sim por sutis movimentos na postura e pescoço", explica o ator. "Primeiramente, foi feito um molde do meu corpo para que a roupa fosse confeccionada baseado nisso", conta.

    Quando Daniels foi convidado para fazer parte de Star Wars: Episódio IV - Uma Nova Esperança (1977), o ator não acreditou muito no projeto de Lucas, assim como a maioria das pessoas. "É estranho ter atuado em todos os Star Wars, já que eu não queria estar nem em um filme!", brinca o ator. Daniels já estudou direito e administração de empresas, mas acabou rendendo-se às artes dramáticas, principalmente depois do sucesso que foi Star Wars. "Queria ser rico e famoso, mas nem eu nem meus pais acreditávamos que poderia ser ator", lembra. "Finalmente, aos 24 anos, estava frustrado e infeliz por não trabalhar com atuação, apesar de saber que era isso que queria. Por isso, sempre digo aos jovens que eles devem pensar na satisfação pessoal e em questões práticas, como ter dinheiro para se alimentar e sobreviver."

    A carreira atual de Daniels ainda está totalmente ligada à série. Ele vem acompanhado a exposição que chega ao Brasil em março do ano que vem - inclusive, ele voltará ao país quando ela estiver pronta. Nos eventos, ele está acostumado a lidar com os animados fãs da série. "Sempre que dou um autógrafo, gosto de olhar no olho da pessoa, escrevo seu nome e dou uma atenção especial a cada um", conta o ator, que, em 2002, foi acusado por alguns fãs insatisfeitos por ter cobrado aproximadamente US$ 25 por um autógrafo. "Essas acusações são coisa de gente que queria causar barulho", explica o ator. "Cobrar por um autógrafo é bem comum nesse tipo de evento; alguns atores chegam a cobrar US$ 80. Além disso, há autógrafos vendidos pela internet, muitos deles falsos", denuncia. Daniels mostra-se bastante bravo com pessoas de má índole que exploram a paixão que algumas pessoas têm pela série ao vender objetos e autógrafos falsificados. "Infelizmente, temos de lidar com isso porque pessoas mal-intencionadas existem e sempre existirão". O ator, que mantém pessoalmente seu website, até se preocupou em colocar esclarecimentos sobre seus autógrafos na seção The Dark Side (O Lado Obscuro).

    Daniels voltará ao Brasil em março do ano que vem, já que ele é porta-voz oficial das exposições sobre a série, como esta que será montada no Brasil. E ele avisa que não pretende ficar somente em São Paulo: pretende conhecer melhor as famosas belezas naturais do país.