cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Festival de Cannes: Brasil e Pixar marcam seleção de filmes

    O evento foi cancelado, mas levantou uma lista com 56 produções
    Por Alexandre Dias
    04/06/2020

    Apesar do Festival de Cannes ter sido cancelado por conta da pandemia de coronavírus, o evento não ficou apagado e fez a sua seleção de filmes de 2020. 

    Dentre as indicações está o brasileiro Casa de Antiguidades, do diretor João Paulo Miranda Maria. O longa narra a história de um operário que trabalha em uma fábrica de uma colônia austríaca, quando estranhos acontecimentos começam a ocorrer. 

    Outra produção que foi selecionada é Soul, da Pixar. A história traz a vida de um professor de música que acaba por parar em um mundo de almas. Pode-se notar que esse local vai discutir muito os vários tipos de sentimentos e sensações, um velho artifício utilizado pela empresa.

    O Festival de Cannes é um dos eventos mais tradicionais do cinema e estava marcado para acontecer entre 12 e 23 de maio. Agora, os 56 filmes selecionados vão carregar o selo do evento para as suas futuras exibições, sejam elas quais forem. 

    Confira a lista completa de filmes selecionados e os seus respectivos diretores:

    Wes Anderson — The French Dispatch

    Pete Docter — Soul

    Francois Ozon — Summer Of 85

    Naomi Kawase — True Mothers

    Steve McQueen — Lover's Rock

    Steve McQueen — Mangrove

    Thomas Vinterberg — Another Round

    Maïwenn – ADN

    Viggo Mortensen— Falling

    Francis Lee – Ammonite

    Magnus von Horn — Sweat

    Pascal Plante — Nadia, Butterfly

    Jonathan Nossiter — Last Words

    Im Sang-Soo — Heaven: To The Land of Happiness

    Fernando Trueba — Forgotten We'll Be

    Yeon Sang-Ho — Peninsula

    Sharunas Bartas — In the Dusk

    Lucas Belvaux — Home Front

    Koji Fukada — The Real Thing

    Marie Castille Mention-Schaar — A Good Man

    Danielle Arbid — Passion Simple

    Emmanuel Mouret — Les Choses Qu'on Dit, Les Choses Qu'on Fait

    Ayten Amin — Souad

    Ben Sharrock — Limbo

    Farid Bentoumi — Red Soil

    Ludovic e Zoran Boukherma — Teddy

    Kamen Kalev — February

    Elie Wajeman — Un Medecin du Nuit

    Oskar Roehler — Enfant Terrible

    Nir Bergman — Here We Are

    Ninja Thyberg — Pleasure

    Charlène Favier — Slalom

    Joao Paulo Miranda Maria — Casa de Antiguidades

    Jimmy Keyrouz — Broken Keys

    Samir Guesmi — Ibrahim

    Déa Kulumbegashvili — Beginning

    Fanny Liatard e Jérémy Trouilh — Gagarine

    Suzanne Lindon — 16 Printemps

    Peter Dourountzis — Vaurien

    Nicolas Maury — Garcon Chiffon

    Nora Martirosyan — Should the Wind Fall

    Pascual Sisto —John and the Hole

    Wei Shujun — Striding Into The Wind

    Dani Rosenberg — The Death of Cinema and My Father Too

    Dieudo Hamadi — The Billion Road

    Michael Dweck e Gregory Kershaw — The Truffle Hunters

    Xavier de Lauzanne — 9 Jours a Raqqa

    Ann Hui, Johnnie To, Tsui Hark, Sammo Hung, Yuen Woo-Ping e Patrick Tam — Septet: The Story of Hong Kong

    Caroline Vignal — Antoinette Dans Les Cévenènnes

    Bruno Podalydès — Les Deux Alfred

    Emmanuel Courcol — The Big Hit

    Laurent Lafitte — L'Origine du Monde

    Laurent Lafitte — Le Discours

    Goro Miyazaki — Earwig and the Witch

    Jonas Poher Rasmussen — Flee

    Aurel — Josep

     

    Nesta notícia você leu sobre: Soul.

    Veja também: Filmes que levaram representatividade negra às telas