cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Festival de filmes musicais traz diversidades de gêneros a São Paulo

    Por Heitor Augusto
    18/03/2010

    De Rolling Stones a Bezerra da Silva, Bill Withers a Seu Jorge, White Stripes a Tom Zé, Woodstock a Novos Baianos, o In-Edit – Festival Internacional do Documentário Musical, que começa nesta quinta-feira (18/03) (apenas para convidados), traz uma programação que, sem dúvidas, pode ser considerada diversificada.

    Um detalhe curioso sobre a seleção internacional: a esmagadora maioria é composta por filmes sobre o rock ou roqueiros. Anvil! The Story of Anvil (heavy metal), Johnny Cash’s America (precursor do rockabilly), R.E.M: This is Not a Show (pop rock) e Led Zeppelin Live at the Royal Albert Hall (progressivo) são alguns dos exemplos.

    Mas, como maioria não significa totalidade, há espaço para outros ritmos na seleção internacional. Aí entra o espanhol José Sánchez-Montez, um dos homenageados desta edição, que exibirá três de seus documentários. Entre eles, Bola de Nieve, sobre um dos mais geniais músicos cubanos.

    Fugindo do rock e da salsa, Suffering and Smiling apresenta a obra de Femi Kut, filho do precursor do afrobeat Fela Kuti. Enquanto isso, do oriente vem Intangible Asset Nº 82, sobre a busca de um baterista de jazz pelo sul-coreano Kim Seok Chul, músico e figura cultural eminente.

    O que o Brasil tem

    A abertura oficial ocorre nesta quinta com a exibição de Mamonas Para Sempre - o Doc, às 19h30, no MIS. Na seleção nacional, um dos pontos altos é Meu Amigo Claudia, sobre Claudia Wonder, já exibido no Mix Brasil ano passado. Aos sambistas, o In-Edit traz uma ótima opção: Onde a Corjua Dorme, documentário sobre os compositores que alimentam Bezerra da Silva, tem agilidade e cadência dignas.

    Nas sessões especiais, duas oportunidades únicas: a exibição de Novos Baianos F.C., filme de 1973 sobre o terceiro álbum do quarteto revolucionário da MPB, e Banana is My Business, documentário de 1994, momento de queda da produção brasileira, sobre Carmem Miranda.

    Na seleção brasileira, destaque também para a curadoria de curtas, que agrupou por programas temáticos para não limitar o potencial de diálogos dos filmes. Assim, João do Vale conversa com Jorjão e o forró bate papo com o sertanejo.

    Serão dez dias de exibição (de 18 a 28 de março) em São Paulo, nas salas do MIS, Cine Olido, CineSESC, Belas Artes, Matilha Cultural, Auditório Ibirapuera e Instituto Cervantes.