cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Há 10 anos, filme salvava franquia Planeta dos Macacos

    A Origem contou como tudo começou no universo dos símios
    Por Daniel Reininger
    26/08/2021 - Atualizado há 23 dias

    Planeta dos Macacos marcou uma geração dos anos 60, 70 e até 80, mas não conseguiu cativar novos públicos nas décadas seguintes. O filme de 2001 dirigido por Tim Burton, por exemplo, é uma vergonha, por não saber capturar o espírito da produção e nem se distanciar o suficiente da franquia para se tornar relevante.

    Aí veio Planeta dos Macacos: A Origem em 2011, capaz de mudar tudo com uma obra de qualidade, mas principalmente com um grande protagonista, capaz de liderar uma trilogia épica focada na luta dos macacos por seu lugar no mundo.

    Trama

    A trama se passa no mundo contemporâneo, quando o jovem cientista Will Rodman (James Franco) está a frente de um grupo de pesquisadores que desenvolvem experimentos genéticos em macacos. 

    Uma das experiências do cientista tenta modificar geneticamente o símio César (Andy Serkis), que adquire super inteligência. O símio, ao perceber o mundo ao ser redor e a injustiça enfrentada por ele e sua raça, tratados como meros animais, então decide liderar uma rebelião contra os humanos, que mudará para sempre a face da Terra.

    Opinião

    O diretor inglês Rupert Wyatt usou alguns clichês para fazer essa história funcionar, mas é fato que o longa se destaca pela relação entre o macaco César (Andy Serkis) e o cientista Will Rodman (James Franco).

    Não há dúvidas de que o segundo filme da franquia, Planeta dos Macacos: o Confronto, é superior à esse longa. Só que é importante deixar claro que se não fosse por A Origem não teríamos acompanhado a bela história de César, de macaco de laboratório à símbolo de uma raça.

    Com A Origem, logo ficou claro que temas recorrentes da franquia são tão relevantes hoje quanto no passado, como preconceito e ódio entre indivíduos com ideias e passados diferentes, simplesmente por não entenderem uns aos outros.

    A sequência, O Confronto, trabalha ainda melhor esses aspectos. Mais inteligente e profundo do que qualquer outro da série cinematográfica, o longa de Matt Reeves funciona em todos os aspectos e ainda é capaz de causar reflexões enquanto diverte, algo raro em blockbusters.

    Mas chega de falar da sequência, o foco aqui é o bom longa de 2011.

    Um dos destaques de A Origem é o foco na importância da família, do encarceramento como punição, a falta de empatia e preconceito. Esse é o tipo de filme que Hollywood deveria fazer mais vezes, capaz de tratar de assuntos relevantes e ainda divertir. 

    Sem falar que visualmente o filme é muito bonito. Mesmo cenas simples como dois macacos conversando mostram a atenção ao detalhe da equipe de direção de arte e efeitos especiais

    A Origem funciona, apesar de suas falhas, mas a produção se destaca mesmo por apresentar César como um protagonista extremamente relevante e carismático, além de ter sido o pontapé para duas boas sequências.

    Meu conselho é: reveja toda a trilogia, o caminho trilhado por César vai te emocionar.

    Onde ver

    Planeta dos Macacos: A Origem está atualmente disponível no Telecine Play e Claro Video. Veja o trailer:

    Veja mais