Filmes nacionais que fogem do comum e que você precisa ver

Algumas produções brasileiras apostam em elementos ou gêneros diferentes para contar suas histórias

03/11/2020 15h30

Por Thamires Viana

Já há alguns anos que o cinema nacional vem apostando cada vez mais em temáticas curiosas e diferentes para seus filmes. Saindo um pouco do drama e da comédia, algumas produções nacionais trazem às telonas tramas repletas de suspense, ficção-científica e narrativas não-lineares que brincam com imaginário do espectador e apostam em uma nova forma de contar suas histórias. 

Conheça sete filmes diferentões do cinema brasileiro que você não pode deixar de ver:

A Febre

No novo longa da diretora Maya Da-Rin, que estreia em circuito comercial no dia 12 de novembro, o suspense se mescla ao drama e às críticas sociais em uma trama comovente. Justino é um indígena Desana de 45 anos que trabalha como vigia no porto de cargas. Desde a morte de sua esposa, sua principal companhia é sua filha mais nova, Vanessa, com quem vive em uma casa modesta na periferia. Enfermeira em um posto de saúde, a jovem é aceita para estudar medicina em Brasília e Justino se vê condenado a uma existência sem lugar. Com o passar dos dias, ele é tomado por uma febre forte enquanto sente que uma criatura misteriosa segue seus passos. A Febre é quase todo falado em tukano, língua-franca falada entre os povos do Alto Rio Negro, na Amazônia.

Verlust

Com direção de Esmir Filho, o longa chega aos cinemas nesta quinta-feira, dia 05 de novembro unindo mistérios e dramas surpreendentes. Na trama, a poderosa empresária Frederica está isolada na praia e preparando uma festa de Réveillon aguardada por muitos. Em meio a uma crise do casamento com o fotógrafo Constantin, que vem afetando diretamente a filha adolescente do casal, ela ainda tem que administrar a vida e a carreira de Lenny, uma estrela pop que decidiu escrever uma obra misteriosa ao lado do escritor João Wommer. Quando uma criatura estranha surge do fundo do mar, a crise se instaura na teia de afetos e Frederica terá que enfrentar seu maior medo.

Albatroz

O suspense dirigido por Daniel Augusto mescla dezenas de mistérios e uma trama não-linear para acompanhar a história de Simão, um homem casado com Catarina, que acaba se apaixonando pela atriz judia Renée, com quem viaja à Jerusalém. Lá o fotógrafo registra um atentado terrorista frustrado e as fotos tornam Simão mundialmente famoso. No entanto, elas disparam críticas a sua atitude, o que o faz refletir sobre os motivos de ter preferido fotografar o ocorrido ao invés de tentar evitar a tragédia.

Sem Seu Sangue

O longa que estreia no dia 20 de novembro na Netflix, traz fortes referências do horror para retratar a intensidade do primeiro amor a partir da perspectiva de Silvia, uma adolescente introspectiva que acredita ter encontrado em Artur algo que a faça se sentir mais viva. Eles se conhecem quando o jovem passa a integrar sua turma no colégio depois de ter sido expulso de várias outras escolas. Ela descobre que ele sofre de hemofilia, uma doença hereditária que impede o sangue de coagular corretamente. Quando um grave acidente abala e muda para sempre a vida de Silvia, ela assume os mais diversos riscos para trazer seu amor de volta.

Área Q

O longa de ficção-científica foi lançado em 2012 e acompanha Thomas Mathews, um repórter conceituado no meio jornalístico. Com o desaparecimento de seu filho, a carreira e a vida pessoal entram em declínio. Contrariado, Thomas acaba aceitando fazer uma reportagem no Brasil para investigar contatos imediatos de primeiro, segundo e terceiro grau. Já no Ceará, nas cidades de Quixadá e Quixeramobim, numa região conhecida como "Área Q", Thomas encontra João Batista, morador local com explicações sobre o que tem acontecido naquela região e, acima de tudo, sobre o filho desaparecido do jornalista. Thomas resiste em acreditar no que ele mesmo testemunha, mas, aos poucos, vai perdendo seu ceticismo diante de eventos evidentemente inexplicáveis.

Bacurau

O longa de sucesso que mescla suspense e ficção-científica segue a história de Bacurau, um pequeno povoado do sertão que se despede de Dona Carmelita, uma das moradoras mais respeitadas do local. Poucos dias depois, eles descobrem que a cidade não aparece mais nos mapas, coisas estranhas começam a acontecer, além de visitas inesperadas que aparecem por lá. É quando os moradores terão que identificar quem os está atacando e bolar um plano de defesa.

Branco Sai, Preto Fica

O filme de Adirley Queirós mistura elementos de documentário e da ficção científica para reescrever um evento trágico de brutalidade policial em Ceilândia, no Distrito Federal. Na trama, tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro indivíduo vem do futuro para investigar o acontecido e procura provar que a culpa é da sociedade repressiva.

Veja também:

Tudo sobre cinema nacional

Filmes nacionais que vão te dar orgulho de ser brasileiro

Os filmes brasileiros que já disputaram vaga no Oscar


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus