cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Glenn Close chega aos 74 anos e tenta a sorte novamente pelo Oscar

    A atriz já foi indicada sete vezes mas nunca conquistou o prêmio
    Por Thamires Viana
    19/03/2021 - Atualizado há 9 meses

    Glenn Close, uma das atrizes mais renomadas de Hollywood, chega hoje (19) aos 74 anos com vitalidade e talento de sobra. Com uma sólida carreira nos cinemas, a veterana que exala versatilidade já foi de vilã à mocinha em diversas produções e até mesmo interpretou um homem nas telonas.

    Porém, apesar de ser um dos nomes mais lembrados da sétima arte, Close ainda não tem uma estatueta do Oscar para chamar de sua, o que acabou virando piada na internet. 

    Em 2019, após perder o prêmio de Melhor Atriz para Olivia Colman, a americana se tornou a mulher que mais "bateu na trave" na premiação. Ao todo foram sete indicações e nenhuma vitória. Mas neste ano, ela concorre novamente na categoria de Melhor Atriz, por Era Uma Vez Um Sonho, e os fãs já estão na torcida para ver se, finalmente, Close levará seu aguardado careca dourado para a estante.

    Relembre os filmes pelos quais a atriz quase levou o Oscar:

    O Mundo Segundo Garp (1982)

    Glenn Close em O Mundo Segundo Garp (1982)Reprodução

    Em 1983, Close conquistou sua primeira indicação ao Oscar na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, mas a vencedora daquele ano foi Jessica Lange pelo romance Tootsie.

    Na trama de O Mundo Segundo Garp, ela é Jenny Fields, uma enfermeira independente que teve um filho em meio à guerra e escreveu um livro sobre como é ser mãe solteira. Anos após o best-seller, seu filho Garp agora busca publicar um livro e alcançar o mesmo sucesso de sua mãe. 

    O Reencontro (1983)

    Glenn Close em O Reencontro (1983)Reprodução

    Já em 1984, Close concorreu mais uma vez na categoria de coadjuvante pelo drama, mas acabou sendo desbancada por Linda Hunt, atriz de O Ano em que Vivemos em Perigo.

    Em O Reencontro, a atriz interpretou Sarah Cooper, membro de um grupo de amigos que se reúne para enterrar um amigo que cometeu suicídio. Com a reaproximação, eles criam não só novas lembranças, como revivem algumas dores do passado. 

    Um Homem Fora de Série (1985)

    Glenn Close em Um Homem Fora de Série (1984)Reprodução

    Em seu terceiro ano na busca pelo prêmio, a veterana foi a mais uma cerimônia como indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante mas, mais uma vez, batia na trave! A vitória acabou indo para Peggy Ashcroft por Passagem para a Índia

    O drama esportivo acompanha a história de Roy Hobbs, um jovem promissor na carreira do beisebol americano. Porém, um relacionamento acaba colocando em risco seus planos para se tornar um jogador de sucesso.

    Atração Fatal (1987)

    Glenn Close em Atração Fatal (1987)Reprodução

    Em 1988, Close recebeu sua primeira indicação ao Oscar no papel de atriz principal por um dos filmes mais marcantes de sua carreira. Porém, naquele ano a grande vencedora foi a atriz e cantora Cher, que disputava pela comédia romântica Feitiço da Lua

    Na trama de Atração Fatal, Close vive a executiva Alex Forrest, que se envolve com Dan Gallagher (Michael Douglas), um advogado casado, mas o romance que começou muito bem se desgasta com o passar do tempo. Apaixonada, Alex não aceita ser apenas um caso e dá início a uma perseguição doentia envolvendo chantagem, tentativa de suicídio e invasão de privacidade.

    Ligações Perigosas (1988)

    Glenn Close em Ligações Perigosas (1988)Reprodução

    No ano seguinte, em 1989, mais uma indicação à categoria de Melhor Atriz e mais uma derrota para a americana. No último Oscar da década de 80 quem saiu de lá carregando a estatueta foi Jodie Foster pelo drama Acusados

    No emblemático Ligações Perigosas, a trama é ambientada durante o período aristocrata francês e envolve uma emocionante competição sexual entre dois ex-amantes. Close é a Marquesa de Merteuil, mulher que vive em um jogo arriscado de sedução com o Visconde de Valmont (John Malkovich). Mas a chegada de uma jovem sonhadora pode trazer sérias consequências à dupla.

    Albert Nobbs (2011)

    Glenn Close em Albert Nobbs (2011)Reprodução

    Depois de muitos anos sem uma indicação, lá estava Close mais uma vez nomeada à estatueta por sua atuação em Albert Nobbs, filme no qual ela viveu o personagem título. Mas o prêmio acabou indo para Meryl Streep que concorria por A Dama de Ferro.

    Na trama de Albert Nobbs, um mordomo que vive na Irlanda do século 19 é, na verdade, uma mulher. Para realizar o sonho de ter sua própria tabacaria, ela se vestiu com roupas masculinas por 30 anos para conseguir se manter e poder concretizar seu objetivo.

    A Esposa (2018)

    Glenn Close em A Esposa (2018)Reprodução

    Em 2019, Close voltou à premiação para concorrer como Melhor Atriz pelo emocionante longa A Esposa. Porém, a estatueta foi dada à atriz Olivia Colman por seu trabalho em A Favorita

    Na trama de A Esposa, Close deu vida à personagem Joan, uma mulher que passa a repensar suas escolhas de vida após 40 anos ao lado do escritor Joe (Jonathan Pryce). Em uma viagem ao lado do marido, ela é assediada por um jornalista que quer escrever uma biografia sobre Joe. Agora, a mulher enfrenta um grande desafio e teme que segredos guardados há décadas venham à tona. 

    Era Uma Vez Um Sonho (2021)

    Glenn Close em Era Uma Vez Um Sonho (2021)Reprodução

    E neste ano, a atriz foi mais uma vez indicada à categoria de coadjuvante pelo longa da Netflix e já estamos no aguardo para saber como será o resultado. 

    No longa baseado no best-seller de J.D. Vance, ela vive Mamaw, a avó de um jovem que vai estudar Direito na universidade de Yale, mas precisa retornar para casa quando uma crise familiar interrompe seus estudos. O filme também traz Amy Adams no elenco e está no catálogo do serviço de streaming.

    Trailer oficial

    Conteúdo Relacionado