cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Gramado: Como Nossos Pais, de Laís Bodanzky, leva Kikito de melhor filme

    Vencedores foram anunciados no último sábado
    Por Iara Vasconcelos
    28/08/2017

    Terminou nesse sábado (16) a 45ª edição do Festival de Cinema de Gramado. Como já era esperado, o longa Como Nossos Pais, de Laís Bodanzky (Bicho De Sete Cabeças), foi o grande vencedor da noite seis Kikitos, incluindo os de "melhor filme", "melhor direção", "melhor ator" e "melhor atriz".

    Na trama, Rosa passa por uma fase muito complicada de sua vida. Aos 38 anos, ela tenta se dividir entre as obrigações diárias com a família e a carreira sem deixar de lado seus sonhos e anseios pessoais. Um dia, após uma notícia impactante vinda de sua mãe, ela decide deixar as regras de lado e descobre que a vida pode proporcionar muitas coisas boas.

    A cerimônia foi marcada por discursos políticos fervorosos, com atenção especial ao veto do presidente Michel Temer à renovação da Lei do Audiovisual, que rendeu até petição dos participantes.

    Outro longa que brilhou na premiação foi o drama As Duas Irenes, de Fábio Meira, que levou os troféus de "melhor roteiro" e "melhor direção de arte", além do prêmio da crítica.

    Já o prêmio de "melhor filme estrangeiro" ficou com o argentino "Sinfonía para Ana", dirigido pela dupla Virna Molina e Ernesto Ardito.

    Confira a lista dos vencedores por categoria:

    Longa-metragem brasileiro

    Melhor filme: "Como Nossos Pais", de Laís Bodanzky
    Melhor direção: Laís Bodanzky, por "Como Nossos Pais"
    Júri Popular: "Bio", de Carlos Gerbase
    Prêmio Especial do Júri: Carlos Gerbase, por "Bio"
    Troféu Cidade de Gramado, prêmio do Júri: Eliane Giardini e Paulo Betti
    Melhor ator: Paulo Vilhena, por "Como Nossos Pais", de Laís Bodanzky
    Melhor atriz: Maria Ribeiro, por "Como Nossos Pais", de Laís Bodanzky
    Melhor roteiro: Fábio Meira, por "As Duas Irenes"
    Melhor direção de arte: Fernanda Carlucci, por "As Duas Irenes", de Fábio Meira
    Melhor atriz coadjuvante: Clarisse Abujamra, por "Como Nossos Pais", de Laís Bodanzky
    Melhor ator coadjuvante: Marco Ricca, por "As Duas Irenes", de Fábio Meira
    Prêmio da Crítica: "As Duas Irenes", de Fábio Meira
    Melhor fotografia: Fabrício Tadeu, por "O Matador", de Marcelo Galvão
    Melhor trilha musical: Ed Côrtes, por "O Matador", de Marcelo Galvão
    Melhor desenho de som: Augusto Stern e Fernando Efron, por "Bio", de Carlos Gerbase
    Melhor montagem: Rodrigo Menecucci, por "Como Nossos Pais", de Laís Bodanzky

    Longa-metragem estrangeiro

    Melhor filme: "Sinfonía para Ana" (Argentina), de Virna Molina e Ernesto Ardito
    Melhor direção: Federico Godfrid, por "Pinamar" (Argentina)
    Melhor filme, pelo Júri Popular: "Mirando al Cielo" (Uruguai), de Guzmán García
    Prêmio Especial do Júri: "Los Niños" (Chile/Colômbia/Holanda/França), de Maite Alberdi
    Prêmio da Crítica: "Pinamar" (Argentina), de Federico Godfrid
    Melhor roteiro: Joel Calero, por "La Ultima Tarde" (Peru)
    Melhor ator: Juan Grandinetti e Agustín Pardella, por "Pinamar" (Argentina), de Federico Godfrid
    Melhor atriz: Katerina D'Onofrio, por "La Ultima Tarde" (Peru), de Joel Calero
    Melhor fotografia: Fernando Molina, por "Sinfonía para Ana" (Argentina), de Virna Molina e Ernesto Ardito

    Curta-metragem brasileiro

    Melhor filme: "A Gis", de Thiago Carvalhaes (SP)
    Melhor direção: Calí dos Anjos por "Tailor" (RJ)
    Melhor filme, pelo Júri Popular: "A Gis", de Thiago Carvalhaes (SP)
    Melhor ator: Nando Cunha, por "Telentrega", de Roberto Burd (RS)
    Melhor atriz: Sofia Brandão, por "O Espírito do Bosque", de Carla Saavedra Brychcy (SP)
    Prêmio 150 Anos Canadá Para Jovens Cineastas: Calí dos Anjos por "Tailor" (RJ)
    Prêmio Canal Brasil: "O Quebra-cabeça de Sara", de Allan Ribeiro (RJ)
    Prêmio Especial do Júri: "Cabelo Bom", de Swahili Vidal (RJ)
    Júri da Crítica: "O Quebra-cabeça de Sara", de Allan Ribeiro (RJ)
    Melhor roteiro: Carolina Markowicz, por "Postergados" (SP)
    Melhor fotografia: Pedro Rocha, por "Telentrega", de Roberto Burd (RS)
    Melhor desenho de som: Fernando Henna e Daniel Turini, por "Caminhos dos Gigantes", de Alois Di Leo (SP)
    Melhor trilha musical: Dênio de Paula, por "O Violeiro Fantasma" de Wesley Rodrigues (GO)
    Melhor direção de arte: Wesley Rodrigues, por "O Violeiro Fantasma" (GO)
    Melhor montagem: Beatriz Pomar, por "A Gis" de Thiago Carvalhaes (SP)