cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Conheça um dos grandes favoritos ao Oscar 2022

    Produção biográfica de diretor britânico tem ganhando atenção em festivais internacionais
    Por Flávio Pinto
    10/09/2021 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Embora difícil, não é incomum meses antes já saibamos alguns títulos que devam disputar a próxima edição de uma entrega do Oscar

    Durante os meses de agosto a outubro já é possível descobrir quais devem ser os principais filmes que farão estardalhaço na vindoura temporada de prêmios, por se tratar do período em que diversos festivais internacionais de cinema estão em andamento, como o de Veneza ou o de Toronto. E é justamente nesses eventos em que os estúdios apostam seus principais títulos. 

    Este ano não é diferente. Aparentemente, o futuro campeão do maior prêmio do cinema já tem nome e diretor: Belfast (2021), drama dirigido pelo ator Kenneth Branagh (Tenet), vem recebendo elogios rasgados e muita aclamação em diversos festivais, que devem catapultá-lo a algumas vitórias no prêmio do ano que vem. 

    Saiba mais sobre o atual favorito ao Oscar 2022. 

    Filme conta com Jamie Dornan, Caitriona Balfe, Judi Dench e Ciarán Hinds no elencoDivulgação (Focus Features)

    Descrito de forma simples, a produção conta com a seguinte sinopse: “Um menino e sua família, de classe trabalhadora, vivenciam o tumultuoso final dos anos 1960.

    O menino em questão é o próprio diretor — e também ator —, Kenneth Branagh, que emprestou páginas da sua infância para o projeto biográfico. No filme, Branaugh é vivido pelo novato Jude Hill

    Em entrevista à revista Vanity Fair, o diretor contou que Belfast é baseado nas suas memórias durante o verão de 1969, em que, com apenas oito anos, ele assistiu de perto os desdobramentos políticos e sociais por conta dos Conflitos na Irlanda do Norte. 

    Conhecido como The Troubles, o evento em questão foi um combate de grande violência pelo estatuto político da Irlanda do Norte, responsável pela morte de inúmeras pessoas durante a segunda metade do século XX. Ele aconteceu por conta das diferenças entre os católicos irlandeses e os protestantes no Norte do país durante os anos 60.

    Em preto e branco, Belfast será narrado pelo ponto de vista de um menino chamado Buddy, que vivia uma infância idílica em Belfast, mas vê tudo se perder quando seus pais e seus avôs precisam se proteger da onda de violência e mortes que assolam a região.

    Elenco de peso

    Catriona Balfe e Jamie Dornan interpretam os pais do protagonistaDivulgação (Focus Features)

    O novato Jude Hill não está sozinho na produção. 

    Outro ponto que pode servir como chamariz ao título é o seu elenco, recheado de atores conhecidos e premiados. Dando vida aos pais e aos avós do jovem Buddy, o filme conta com Jamie Dornan (Cinquenta Tons de Cinza), Caitriona Balfe (Outlander), Judi Dench (Shakespeare Apaixonado) e Ciarán Hinds (Game of Thrones).

    Muita aclamação

    Pôster do novo longa-metragemDivulgação (Focus Features)

    Desde a sua estreia no Telluride Film Festival, a crítica já o aponta como o franco favorito ao Oscar de melhor filme. Segundo Pete Hammond, crítico veterano e respeitado do Deadline, Belfast chega com pose e “é um dos melhores filmes do ano sem dúvida”. 

    Clayton Davis, da Variety, já o apontou como “um dos primeiros filmes desse ano com carinha de Oscar”. Em seu texto, ele descreveu a produção como um retrato tocante e comovente da infância e de uma família e que conta com a aura necessária para chegar no topo da disputa do maior prêmio do cinema.

    Finalizando os elogios grandiosos, Stephen Farber, do The Hollywood Reporter, contou que o filme tem capacidade emocional suficiente para fazer com que o público se envolva com a história pessoal do seu diretor. 

    Analisando as chances

    Sabendo que Belfast (2021) pode ser resumido como uma obra biográfica da infância de um diretor durante um período significativo da história, e em preto em branco, é muito fácil traçar paralelos entre a nova produção com Roma (2018), filme de Alfonso Cuarón para a Netflix que fez bonito durante a temporada de prêmios do ano em que foi exibido. 

    Contado com a premissa, os nomes envolvidos na produção e a recepção nos festivais, é possível apontar que o filme do diretor britânico consiga ser um grande favorito no momento sem outros títulos na disputa. Mas o que pode vir a impedir a sua vitória futuramente também é justamente isso. 

    Ao ser favorito inicial durante um bom tempo, é possível que a produção perca o prêmio máximo pelo “cansaço” atrelado ao fardo de ser o primeiro favorito da corrida. Geralmente, esses títulos não conseguem sustentar o burburinho até o final do Oscar. 

    Esse efeito aconteceu com Roma e também com La La Land - Cantando as Estações (2016), que gozaram com o status de favorito durante, praticamente, a temporada inteira, mas acabaram perdendo para outros filmes (La La Land foi derrotado por Moonlight - Sob a Luz do Luar, momento que gerou uma gafe histórica na cerimônia, enquanto Roma perdeu para Greenbook - O Guia).

    Veja o trailer de Belfast

    Após a estreia no Festival de Telluride, Belfast será exibido nos próximos dias durante o Festival de Toronto. No Brasil, filme tem previsão de estreia para o dia 16 de dezembro.

    Leia também