cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Há 15 anos, O Exorcismo de Emily Rose nos apavorou nas telonas

    Longa de 2005 foi estrelado por Jennifer Carpenter e baseado em uma história real
    Por Thamires Viana
    02/12/2020

    Eu aposto que você sentiu pelo menos um pouquinho de medo com O Exorcismo De Emily Rose, longa que chegava aos cinemas brasileiros em 02 de dezembro de 2005. Assustador e potente, o longa estrelado por Jennifer Carpenter se tornou um dos mais embelmáticos da década de 2000 e marcou o gênero pela forma realista com a qual chegou às telas. 

    Encabeçado pelo diretor Scott Derrickson, que mais tarde dirigiu A Entidade e Doutor Estranho, o longa é baseado na história real de uma jovem alemã que faleceu em 1976 após passar por várias tentativas de exorcismos. 

    Para celebrar os 15 anos do longa, relembramos a trama, as curiosidades, o caso real e também um antes e depois do elenco.

    Trama

    Na história, a jovem Emily Rose (Jennifer Carpenter) é uma universitária de 19 anos que começa a ter estranhas manifestações não explicadas pelos médicos. Por isso, ela passa a ser submetida a diversas tentativas de exorcismos, já que sua família e o padre Moore (Tom Wilkinson) acreditam que ela vem sendo vítima de uma posssessão demoníaca. Quando Emily morre de falência múltipla dos órgãos, o sacerdote é preso por negligência e Erin (Laura Linney), uma advogada amarga e agnóstica, envolve-se na defesa judicial de Moore na tentativa de livrá-lo da acusação pela morte da jovem.

    Antes e depois

    Jennifer Carpenter era Emily Rose

    Montagem 1 - O Exorcismo de Emily Rose



    A atriz viveu Emily Rose, jovem possuída que acaba morrendo após intensos exorcismos. Ela já atuou em títulos como As BranquelasQuarentena e nas séries Dexter e Inimigo Interno, a mais recente delas.

    Laura Linney era Erin Bruner

    Montagem 2- O Exorcismo de Emily Rose


    No longa, ela viveu Erin, a advovaga do Padre Moore. Seu trabalho mais recente nas telas foi na série Ozark, sucesso da Netflix. No cinema, ela atuou em longas como Animais Noturnos, Simplesmente Amor e A Última Profecia.

    Tom Wilkinson era Padre Moore 

    Montagem 3- O Exorcismo de Emily Rose


    Tom viveu o Padre Moore, acusado de negligência pela morte de Emily. O ator estrelou recentemente a série Belgravia e no cinema já esteve em filmes como Uma Beleza Fantástica, Snowden - Herói Ou Traidor e Selma.

    Campbell Scott era Ethan Thomas 

    Montagem 4- O Exorcismo de Emily Rose


    O ator interpretou um dos promotores do caso na justiça. Seu trabalho mais recente foi no filme The 11th Green e ele já está escalado para o elenco de Jurassic World: Domínio

    Colm Feore era Karl Gunderson

    Montagem 5- O Exorcismo de Emily Rose


    O ator interpretou Karl Gunderson, dono do escritório em que Erin trabalha. Atualmente, o ator está no elenco de The Umbrella Academy, série de sucesso da Netflix, e nas telonas já trabalhou nos filmes O Espetacular Homem-aranha 2: A Ameaça De Electro, Obsessão e Maligno

    Duncan Fraser era Dr. Cartwright

    Montagem 6- O Exorcismo de Emily Rose


    Duncan Fraser esteve na pele do Dr. Cartwright, um dos médicos presentes durante o exorcismo de Emily. Recentemente, ele fez uma participação na série A Maldição da Residência Bly e já atuou nos filmes O Predador, Resgate Abaixo De Zero e Em Nome Do Rei

    Curiosidades

    Contratada!

    O teste de Jennifer Carpenter foi tão convincente e assustador que o diretor decidiu contratá-la na hora. Para se preparar para o papel, a atriz passou horas em uma sala cheia de espelhos. Ela experimentou diferentes posições corporais e expressões faciais para ver qual era a mais assustadora.

    Flexível

    O diretor Scott Derrickson decidiu confeccionar duas bonecas para as cenas do exorcismo. Uma era para quando a personagem travaria seus membros e a outra durante a cena do dormitório, onde ela está no chão em uma posição torcida. No entanto, a produção não usou a boneca na cena do dormitório porque Jennifer Carpenter se mostrou incrivelmente flexível e as posições em que ela conseguia se contorcer eram mais perturbadoras. O mesmo aconteceu com o uso de efeitos especiais para as cenas.

    Realismo

    Os cineastas disseram na época das gravações que não estavam interessados em fazer apenas mais um filme de terror. Eles queriam fazer um filme inteligente mostrando como uma possessão demoníaca realmente acontece.

    Lenda

    Desde o lançamento do filme, uma lenda urbana surgiu entre os alunos da Universidade de Minnesota. De acordo com ela, um dormitório do local é supostamente mal-assombrado, do mesmo jeito em que Emily foi possuída pela primeira vez. No entanto, como a personagem é uma versão fictícia de Anneliese Michel, jovem alemã que nunca frequentou a universidade, essa lenda é obviamente falsa.

    Reparou?

    Um dos detalhes do filme é que sempre que algo ruim ou "fantasmagórico" está para acontecer, é possível ver uma luz roxa em algum lugar, geralmente emanando de uma janela. 

    Mudanças

    Algumas diferenças foram feitas ao levar a história para as telas. Uma delas é que na vida real, a jovem jejuou periodicamente por vários meses como parte de seu exorcismo e permaneceu sob medicação até sua morte. Já no filme, Emily era incapaz de comer devido às forças demoníacas e decidiu parar de tomar sua medicação por vontade própria.

    Caso real

    O Exorcismo De Emily Rose foi baseado na história real de Anneliese Michel, uma jovem alemã de 16 anos que sofreu com manifestações não explicadas no final da década de 1960. Diagnosticada com epilepsia, a jovem entrou em uma depressão profunda e tentou cometer o suicídio durante anos.

    Na início dos anos 1970, ela passou a ter diversos comportamentos estranhos como ouvir vozes, comer insetos, ingerir a própria urina e andar nua pela casa. Como sua família era extremamente católica, Anneliese foi levada à igreja, onde constataram que a jovem sofria de uma possessão demoníaca. 

    Em 1975, o padre Arnold Renz recebeu o direito de exorcizar Anneliese e, durante dez meses, a alemã passou por sessões de exorcismo, alguns com duração de até quatro horas. Ela morreu em 1976 enquanto dormia em sua casa. A autópsia revelou que a causa da morte havia sido desnutrição, visto que a Anneliese já não se alimentava por meses.

    Os pais dela e os dois padres que realizaram seu exorcismo foram processados, embora a promotoria tenha pedido que os pais fossem dispensados da punição por já terem sofrido o suficiente. No final do julgamento, os padres acusados foram considerados culpados de homicídio culposo resultante de negligência e condenados a seis meses de prisão, decisão posteriormente suspensa, e a três anos de liberdade condicional.

    Opinião