HARD: elenco fala sobre nova comédia inusitada da HBO

Série estreia na HBO e no HBO GO em 17 de maio

07/05/2020 16h25

Por Gabriella Lopes

A HBO realizou na manhã desta quinta-feira (07) uma coletiva de imprensa on-line para promover a série Hard, nova comédia do canal. Além da presença do diretor Rodrigo Meirelles, do produtor Fabiano Gullane e do Vice-presidente Corporativo de Produções Originais da HBO Latin America Roberto Rios, Natália Lage, Julio Machado, Denise Del Vecchio, Fernando Alves Pinto e Martha Nowill também participaram do bate-papo com os jornalistas. A equipe dividiu os detalhes sobre a produção, que estreia em 17 de março, às 23h.

Baseada em uma série francesa homônima, a trama acompanha a vida de Sofia (Natália Lage), mulher elegante e recatada que renunciou à carreira de advogada para cuidar da família. A vida parece desabar quando ela perde o marido repentinamente e, para piorar, descobre que ele era dono de uma produtora de filmes pornô à beira da falência. No processo de adaptação à sua nova rotina, ela assume os negócios e encarna a empresária.

Natália Lage incorpora a protagonista Sofia, que para a atriz, passa por um processo de desconstrução e amadurecimento ao longo da narrativa. "Tenho uma opinião pessoal de que a humanidade é muito conservadora. Acho que a indústria pornográfica provoca curiosidade e certa repulsa em algumas pessoas. O percurso da Sofia é de uma pessoa que vai entrar em contato com isso e ver através do universo os seres humanos que estão ali", revelou a atriz.

Roberto Rios conta que a ideia do projeto surgiu quando ele tomou conhecimento sobre a série original francesa. Ao decidir produzi-la aqui, conversou com os irmãos Gullane para levá-lo adiante: "Quando nos aproximamos do Fabiano e do Caio Gullane para fazer a adaptação no Brasil, por sorte ambos conheciam o projeto e conheciam inclusive os produtores da série francesa e nos ajudaram muito. Obviamente essa não é uma série documental sobre a indústria pornográfica. Existem coisas muito boas que foram feitas, inclusive algumas delas da própria HBO, que produziu uma série chamada Pornocópia. Nosso objetivo é fazer uma comédia de costumes, um estilo muito tradicional francês".

Sobre o diferencial da série, o produtor Fabiano Gullane destacou a leveza com que a produção trata do tema da pornografia. "A gente botou na frente aspectos muito mais humanos, especialmente na personagem Sofia (Natália Lage).

Para ela, o assunto pornografia nasce nos primeiros episódios como um tabu e ela vai desvendando esse universo da produtora que herdou do marido, vai se assustando com algumas coisas e se adaptando com outras. Até perceber que o tema também gera um interesse para as pessoas mais diversas e tinha conexão com pessoas que ela conhecia. A gente vai mergulhando nesse universo da pornografia de um jeito muito suave, muito delicado e equilibrado. A Sofia quer fazer daquele negócio algo mais bonito, emocionante e sensível", reforçou.

Além do trabalho de adaptação para a realidade brasileira, a produção passou também por uma adaptação temporal. "Temos um gap de 10 anos de quando a série francesa foi produzida para hoje. E o pornô viveu uma grande transformação nessas últimas décadas, então incluímos isso na história.

O personagem Alex entrou na pornografia na época áurea da pornografia brasileira, com a venda de DVDs em banca de jornal e quando muitas pessoas conhecidas foram fazer pornô. A pornografia tinha muito dinheiro para atrair essas pessoas, vendia muito e o Alex ganhou muito dinheiro nessa época. Aí o mundo pornográfico se transformou quando começaram a surgir os sites pornográficos gratuitos. Aquele modelo de negócio antigo passou a não existir mais", explicou o diretor Rodrigo Meirelles.

O diretor comentou, ainda, sobre as inspirações que teve para o projeto. "O primeiro embasamento é o roteiro, que você vai ler e descobrir do que se trata. O pano de fundo é a pornografia. Eu estou na casa dos 40 anos e minha grande referência desse universo foi o filme 'Boogie Nights', com o Paul Thomas Anderson, que marcou a minha geração. Tentei não fazer uma nova versão de 'Boogie Nights' porque temos um aspecto na série que é anterior à pornografia: uma protagonista mulher vivendo uma grande transformação. Acho que dentro disso, 'Blue Jasmine' foi uma outra referência dessa mulher que ve seu mundo desabar e as reações que ela tem a partir disso", disse.

Para compor seu personagem Marcello Mastroduro, grande estrela pornô da produtora, o ator Julio Machado revelou que houve muito empenho e cumplicidade nos bastidores. "A dificuldade de interpretar um ator pornô se dá por ser algo completamente distante de mim. Fui encontrando respostas e caminhos para essa composição através do outro. O trabalho que a gente fez para tentar emprestar para esse coletivo ou seja, para os funcionários dessa produtora, um clima familiar de muita camaradagem só foi construído através do outro. Os atores que fazem atores pornôs na série entraram no processo com uma disponibilidade incrível. Fomos encontrando respostas graças a essa entrega e às condições colocadas pela produção e pela direção para que esse trabalho fosse o mais cuidadoso possível", ressaltou.

A atriz Martha Nowill relembrou que precisou se despir dos próprios pré-conceitos para interpretar Lucia. "Confesso que, quando eu iniciei minha preparação para fazer Hard, comecei a assistir alguns documentários e filmes mais feministas sobre o universo pornográfico. Feministas no sentido de que tem o olhar para o prazer da mulher. E eu me vi muito preconceituosa, algo como 'legal, tem o pornô lá e eu aqui'. Então eu percebi que tinha que fazer um trabalho de naturalizar o assunto em mim porque existem pessoas atrás desses personagens que fazem parte dessa indústria".

Filmada em diferentes locações por São Paulo, a primeira temporada de Hard conta com seis episódios de 30 minutos cada e chega à HBO e à HBO GO no domingo, dia 17 de maio, às 23h. Veja o trailer:

Veja também: Conheça His Dark Materials, série baseada em A Bússola de Ouro


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus