cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Há 10 anos Harry Potter chegava ao fim; o que aprendemos com a franquia

    Relíquias da Morte parte 2 faz aniversário
    Por Daniel Reininger
    15/07/2021 - Atualizado há 3 meses

    A franquia do bruxinho mais amado do cinema acabou há 10 anos! Pois é, Harry Potter E As Relíquias Da Morte - Parte II foi lançado há uma década aqui no Brasil. Acredite!

    Lançado em 2011, o último longa acompanha Harry, Rony e Hermione em uma aventura para salvar Hogwarts e todo o mundo mágico.

    Saiba o que aprendemos com Harry Potter:

    A Saga

    Criada por JK.Rowling, a saga de livros foi adaptada para os cinemas e é composta por oito longas lançados ao longo de dez anos, começando com Harry Potter E A Pedra Filosofal, em 2001, e terminando com Harry Potter E As Relíquias Da Morte - Parte II, em 2011. A aventura é estrelada por Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint, trio que eternizou os personagens Harry, Hermione e Rony.

    A história também ganhou dois filmes derivados. Anos depois do último livro de Harry Potter, a escritora J.K. Rowling surpreendeu os fãs e resolveu revisitar seu mundo mágico. Só que sem o bruxinho. Animais Fantásticos E Onde Habitam é uma história que acontece antes dos eventos retratados nos livros e filmes da saga, mais precisamente a partir de 1926, 54 anos antes do protagonista nascer. 

    Animais Fantásticos E Onde Habitam e Animais Fantásticos: Os Crimes De Grindelwald, que chegaram aos cinemas em 2016 e 2018, respectivamente. O terceiro longa tem previsão de estreia para 2022. 

    No filme, ela resolveu contar as histórias do autor de Animais Fantásticos e onde Habitam, livro fictício usado como material didático na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, cuja versão do mundo real chegou a ser lançada nas livrarias brasileiras em 2001, para alegria dos fãs. 

    O que aprendemos com a saga

    • A verdadeira amizade pode ajudá-lo a superar qualquer coisa - Harry, Ron e Hermione provaram que o companheirismo cria um vínculo inquebrável.

       
    • Bravura vem em muitas formas - Quer você enfrente seus amigos porque eles estão quebrando as regras, como Neville fez, ou pegue uma folha do livro de Hermione e lute pelo que você acredita, todas essas são demonstrações de coragem.
       
    • As pessoas podem te surpreender - O velho ditado "nunca julgue um livro pela capa" foi citado centenas de vezes e faz todo sentido. Fazer um julgamento precipitado sobre alguém é um negócio arriscado.
       
    • Você nunca deve ir a algum lugar sozinho e sem contar para alguém onde vai - Se aprendemos alguma coisa com Hermione atacada por um troll psicótico no banheiro feminino é que devemos, pelo menos, avisar onde vamos.
       
    • Não há problema em pedir ajuda - Harry frequentemente relutava em pedir ajuda, mesmo quando ele realmente precisava. Muitas vezes, é só preciso pedir.
       
    • Coração partido às vezes é inevitável - É triste, mas é verdade. Assim como Harry e Cho, Lilá e Rony e Lílian e Snape nos mostraram, às vezes as coisas não funcionam da maneira que gostaríamos. Você pode sofrer um término ou um amor não correspondido, mas os livros também nos mostram que a vida continua.

       
    • O amor verdadeiro dura, sempre - Esse é um tema forte em todos os livros e se você ama alguém completamente, isso nunca pode ser desfeito.
       
    • Enfrente os seus medos - Por mais assustador que pareça, às vezes temos que encarar nossos maiores temores de frente para conseguirmos o que queremos.

    Opinião

    O último filme da franquia Harry Potter mantém a altíssima qualidade de produção vista nos outros episódios. A direção de arte é impecável e faz o espectador mergulhar na fantasia do filme como se tudo fosse real. O bom entrosamento do trio central de atores continua o mesmo depois de 10 anos do primeiro episódio.

    Explicar o fenômeno de empatia do público com o menino bruxo não é tarefa fácil. Quando ainda rascunhava o que seria o primeiro livro da série, a inglesa J. K. Rowling não poderia imaginar que estava realizando uma mágica maior do que a de qualquer um dos bruxos citados em seus livros.

     E a bem-sucedida transposição deste universo para as telas se deve muito aos fãs que lotarão as salas de cinema do mundo inteiro a partir deste fim de semana. Foram eles que cobraram da Warner Bros. a maior fidelidade possível aos livros antes mesmo do lançamento do primeiro filme. E graças a eles merece quatro estrelas.

    Veja o trailer

    Veja mais