cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Descubra a história real por trás de série de sucesso da Netflix

    For Life é drama jurídico baseado em fatos
    Por Daniel Reininger
    04/04/2022 - Atualizado há cerca de 2 meses

    For Life não é um drama legal comum, afinal, o advogado central da série, Aaron Wallace (Nicholas Pinnock), está preso por um crime que não cometeu e cumpre a sentença de prisão perpétua enquanto tenta ajudar seus companheiros de prisão a ganharem a liberdade.

    A série conta com Curtis “50 Cent” Jackson como produtor executivo e é inspirada na vida de um homem de verdade, chamado Isaac Wright Jr., que foi vítima de um promotor corrupto e realmente vivenciou a sentença de prisão perpétua e se tornou advogado para lutar contra o sistema.

    Entenda a história real desse drama!

    História real

    Em 1989, Wright foi acusado de liderar uma quadrilha de tráfico de cocaína e as acusações mudaram sua vida. Antes de sua prisão, ele era um empresário e co-criou o grupo feminino Cover Girls, que contava com sua esposa Sunshine e teve alguns sucessos de dance-pop nos anos 80. “Tudo foi muito, muito, muito bom”, diz Wright à Revista Esquire.

    Enquanto isso, no final da década de 1980, Nova Jersey era o lar de um promotor chamado Nicholas Bissell, que se autopromovia como um homem da lei combatendo traficantes de drogas no auge da epidemia de crack nos EUA.

    Ele, na verdade, agia como um senhor do crime e posteriormente seria acusado de diversos crimes, inclusive por tentar incriminar um juiz que o irritou com uma acusação por dirigir embriagado e também por desviar milhares de dólares de empresas nas quais investiu. 

    Corrupção

    O promotor Nicholas Bissell era tãp corrupto, que ele não tinha medo de usar seu poder contra qualquer pessoa que o incomodasse.

    Segund relatos, o presidente de uma distribuidora de gasolina acusou o promotor de ameaçar plantar cocaína em seu carro, tudo por desavenças nos negócios. Olha o tamanho do absurdo.

    Ou sej,a não era apenas um policial desonesto, era o chefe da promotoria ameaçando plantar cocaína no carro de um CEO de uma companhia e isso era só parte de sua rede de corrupção.

    Advogado

    Embora tivesse apenas um diploma do ensino médio na época, Wright disse que inicialmente tentou representar a si mesmo no julgamento, um movimento que ele admite ter sido “insano”. “Eu não ia pagar alguém para me mandar para a prisão”, disse ele.

    Após sua condenação em 1991, Wright disse que foi enviado para a prisão estadual de segurança máxima de Nova Jersey em Trenton, onde começou a trabalhar em casos de outros prisioneiros. “Tirei mais de 20 pessoas da prisão, algumas com sentenças de prisão perpétua e outras por redução de suas sentenças”, disse Wright.

    Apesar de ter liberdade condicional somente após 30 anos, ele sentiu que poderia lutar contra a injustiça do sistema criminal defendendo outros presos que estavam ali erroneamente ou por mais tempo do que deveriam.

    Libertado

    Em meados dos anos 90, a vida do promotor Bissell estava desmoronando. Em 1996, ele foi condenado por dezenas de crimes, incluindo Peculato e Abuso de Poder.

    Confinado em prisão domiciliar, ele cortou sua pulseira de monitoramento e fugiu. Quando os policiais o encontraram em um quarto de motel barato em Nevada, ele se suicidou para evitar ir para a cadeira por seis a oito anos. 

    Nesse meio tempo, Wright vinha trabalhando duro em seu próprio caso, mas a queda de Bissell atraiu nova atenção para sua história. Em 1996, o The New York Times fez uma matéria sobre seu caso, em seguida, um juiz ordenou que Wright enfrentasse um novo julgamento e o novo promotor de New Jersey optou por adiar seu novo julgamento “indefinidamente”. 

    Depois de pagar fiança, Wright foi libertado pela primeira vez em mais de sete anos.

    Após sua libertação, Wright completou a faculdade de direito. Hoje, segundo a revista Esquire, ele trabalha com o escritório de advocacia Hunt, Hamlin e Ridley, de Nova Jersey, como especialista em direito penal.

    Assista

    A ótima série de tribunal está disponível na Netflix e ganhou recentemente novos episódios.

    Veja mais