cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    História real por trás da série sobre 'Síndrome de Estocolmo'

    Clark é sucesso na Netflix
    Por Daniel Reininger
    02/06/2022 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Clark, da Netflix, é uma série sueca dirigida por Jonas Åkerlund e estrelada por Bill Skarsgård no papel de Clark Olofsson, o notório assaltante de bancos responsável pelo surgimento da expressão "síndrome de Estocolmo".

    Descubra a verdade por trás dessa incrível história antes de ver essa ótima série:

    A série

    A série de drama Clark acompanha o homem por trás da expressão "síndrome de Estocolmo", que fez todo o país se apaixonar por ele, apesar de várias acusações de tráfico de drogas, tentativa de assassinato, agressão, roubo e dezenas de assaltos a banco. 

    Baseada na autobiografia de Clark Olofsson, a série dirigida por Jonas Åkerlund traz uma abordagem ficcional de uma das personalidades mais controversas da história contemporânea da Suécia.

    História real

    Clark Oderth Olofsson nasceu em 1 de fevereiro de 1947 e é um criminoso sueco que vive atualmente na Bélgica. Ele passou mais da metade de sua vida na prisão na Suécia. Olofsson esteve presente no roubo de Norrmalmstorg cujos eventos resultaram na criação da frase "Síndrome de Estocolmo". 

    Tudo aconteceu da seguinte forma:

    No final de 1973, Olofsson estava encarcerado na Prisão de Norrköping quando o ladrão de bancos Jan-Erik Olsson fez reféns no Kreditbanken em Norrmalmstorg, na cidade de Estocolmo. Olsson exigiu que Olofsson fosse levado até o local e a polícia aceitou.

    Os assaltantes e os quatro funcionários conviveram por seis dias dentro do banco e os reféns criaram uma relação afetiva e de cumplicidade com seus sequestradores. Esse efeito foi batizado um termo psicológico que se tornou comum em todo o mundo: a "síndrome de Estocolmo".  

    No sexto dia, a polícia soltou gás lacrimogêneo no local e Olsson e Olofsson se renderam, sem deixar nenhum ferido. Os reféns se negaram a sair antes de seus sequestradores e a despedida aconteceu com abraços.

    Olofsson foi condenado no tribunal distrital, mas depois foi absolvido no Tribunal de Apelação de Svea. Ele havia, segundo ele, agido para proteger os reféns e tinha o consentimento silencioso da polícia.

    Ele foi levado de volta à prisão para cumprir o restante de sua sentença anterior. Ele pediu perdão ao governo, mas o pedido foi rejeitado, assim como seu pedido para estudar direito.

    Assista

    A boa série Clark está disponível na Netflix e vale assistir!

    Veja mais