cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Ícone do skate, Bob Burnquist diz que esporte terá mais reconhecimento no Brasil

    Por Amanda Carvalho
    22/11/2010

    Vinte anos do skate no Brasil. Esse é o período abordado no documentário Vida Sobre Rodas, dirigido por Daniel Baccaro, que mostra a transformação do skate de lifestyle a esporte: “Superamos o preconceito e somos reconhecidos como skatistas e esportistas”, afirmou Sandro Dias, o Mineiro, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (22/11), em São Paulo. O documentário estreia nesta sexta-feira (26/11).

    O surgimento, a precariedade e o descaso, os ícones internacionais, as revelações nacionais, os campeonatos, a proibição do skate em São Paulo no mandato de Jânio Quadros (1986-1989). O filme age como um contador da história do esporte, sem uma linha cronológica muito clara e focando nos quatro principais representantes do skate brasileiro: Bob Burnquist, Sandro Dias, Lincoln Ueda e Cristiano Mateus. Vida Sobre Rodas mostra o início da carreira desses meninos até a ascensão e reconhecimento internacional. Além deles, outras figuras do skate, nacional ou internacional, dão seus depoimentos ou aparecem nas imagens de arquivos como Thronn, Sergio Negão, Mureta, Tony Hawk, Danny Way, Christian Hosoi, Lance Mountain.

    Com o projeto iniciado em 2004, as filmagens só começaram em 2007, quando a produção de Vida Sobre Rodas conseguiu captar R$ 1,3 milhão (50% do total do orçamento). O diretor conta que, além do processo burocrático de captação de recursos, a restauração e catalogação das imagens de arquivo são responsáveis pelo hiato de seis anos desde a pré-produção até o lançamento: “Mas a previsão de finalização era de quatro ou cinco anos”, afirma.

    Baccaro acredita que valeu a pena investir em Vida Sobre Rodas já que se trata do segundo maior esporte praticado no Brasil e por contar com a participação de Mineiro, Burnquist, Cris Mateus e Ueda. Sobre o futuro do skate, as perspectivas são boas: Baccaro aposta no crescimento, enquanto Bob Burnquist acredita que o documentário ajudará a sociedade a entender a história do esporte: “Agora as pessoas vão conhecer melhor o skate brasileiro. Elas terão a oportunidade de ver não só os ‘verticaleiros’ [modalidade na qual os protagonistas são conhecidos] como os ‘streeteiros’”.