J.K Rowling, criadora de Harry Potter, é acusada de transfobia

A autora defendeu uma pesquisadora que perdeu o emprego após tweets transfóbicos

19/12/2019 19h51

Por Thamires Viana

Sem postar nada em seu Twitter desde novembro, J.K Rowling, criadora das histórias de Harry Potter, se manifestou no início desta quinta-feira (18) em apoio a uma pesquisadora que perdeu um caso no tribunal por usar linguagem "ofensiva e transfóbica" na rede social. (via The Guardian)

Rowling twittou sobre Maya Forstater, que perdeu o emprego depois de uma série de tweets, incluindo um no qual ela disse que "Os homens não podem se transformar em mulheres".

A autora, que tem 14,6 milhões de seguidores, disse: "Vista-se como quiser, chame-se do que gostar, durma com qualquer adulto que consinsta e queira você. Viva sua melhor vida em paz e segurança. Mas forçar mulheres a deixarem seus trabalhos por afirmarem que sexo é real?", disse ela usando as hashtags #IStandWithMaya e #ThisIsNotaDrill.

Confira: 

Em minutos, o nome de J.K já era um dos assuntos mais comentados no Twitter, e alguns usuários diziam que a autora propagava a transfobia. Em junho, Rowling já havia sido criticada ao se referir à mulheres trans como "homens de vestido".


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus