cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Já assistimos a Planeta Terror

    Por Da Redação
    27/09/2007

    Fãs brasileiros do mais clássico cinema trash norte-americano já podem começar a comemorar: Planeta Terror estréia no Brasil em 2 de novembro e é sensacional, atendendo ao apetite dos famintos por banhos de sangues, carnificina e piadas espertas.

    Foi realizada hoje (27), em São Paulo, a primeira exibição do longa dirigido por Robert Rodriguez (Sin City - A Cidade do Pecado). A cópia exibida na sessão estava com erros de legenda - tanto na sincronização quanto na tradução -, mas já pudemos ter a idéia de que é um filme especial, no mínimo. Nascido do projeto Grindhouse, concebido pelo diretor e por Quentin Tarantino (Kill Bill), Planeta Terror é um longa originado a partir do média-metragem exibido nos cinemas norte-americanos junto a À Prova de Morte, sob a direção de Tarantino - que tem uma divertida participação como ator neste filme. O projeto é uma homenagem aos filmes estilo exploitation, populares especialmente nos anos 70, misturam sexo e violência numa forma sensacionalista. O "Grindhouse" que nomeia o projeto era dado às salas que costumavam exibir os filmes do gênero. Nos EUA, Grindhouse foi um fracasso de bilheterias; para o lançamento internacional, os dois médias chegarão aos cinemas como longas independentes. Nos EUA, eles eram ligados por dois trailers falsos; aqui, Planeta Terror será antecedido pela ótima "prévia" de Machete, também dirigida por Rodriguez.

    Pincelado por polêmicos temas atuais - como militarismo, o terror envolvendo armas biológicas, conflitos bélicos no Oriente Médio e Osama Bin Laden -, Planeta Terror mostra o que acontece quando produtos químicos detidos e negociados pelo exército norte-americano caem nas mãos erradas. Como resultado, grande parte da população de uma pequena cidade texana vira zumbi. Todos sedentos por carne fresca e, claro, miolos.

    Paralelamente, acompanhamos a história dos renegados Wray (Freddy Rodríguez) e Cherry (Rose McGowan, extremamente sensual). Ele é um fora-da-lei que namorou Cherry, go go dancer que sonha em ser comediante. Os dois se reencontram quando os zumbis pestilentos tomam conta da cidade e se unem para liderar um bando de sobreviventes.

    Planeta Terror traz os elementos que formam uma típica produção com zumbis: criaturas se arrastando, humanos sendo devorados violentamente, tiros e abrigos incomuns para os sobreviventes. Pense nessas características e adicione altíssimas doses de violência e você terá idéia do que é o filme. O sangue jorra na tela (literalmente) enquanto zumbis caminham, exibindo enormes feridas na pele, daquelas que até se mexem sozinhas, até. Em meio a tiros e jatos de sangue, a produção também traz diálogos espertos, divertidos e repletos de palavrões, característicos dos filmes de Robert Rodriguez, que também assina o roteiro.

    Definitivamente, Planeta Terror não é para os estômagos fracos. Ao dosar zumbis, ótimas cenas de ação, humor e até toques de romance, este é um filme bastante divertido, que certamente agradará aos fãs de filmes B, sem ser, necessariamente, um longa mal produzido, muito pelo contrário.

    Em tempo: a primeira exibição de Planeta Terror no Festival do Rio será realizada amanhã (28), às 17h10. À Prova de Morte também está na programação do evento carioca e está na lista dos filmes que serão exibidos na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, realizada a partir de 19 de outubro.