cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Jessica Lange sofre por sua posição antiguerra

    Por Da Redação
    01/02/2007

    Cada vez mais, os astros de Hollywood se manifestam contra a ocupação do Iraque pelo exército norte-americano desde 2003. Não é de hoje que Jessica Lange (Estrela Solitária) defende sua posição contra a política bélica do atual presidente dos EUA, George W. Bush, e ela confessou que sempre sofreu conseqüências desagradáveis por isso: "Bush espalhou um cenário venenoso entre os norte-americanos. É desprezível", teoriza a atriz. "Em alguns momentos, era realmente incrível sair para protestar contra a guerra. Mas, no momento em que uma caminhonete com uma bandeira enorme dos EUA tentou me tirar da estrada por causa dos adesivos antiguerra em meu carro, me senti assustada", disse.

    Jessica também disse que esse tipo de repressão por suas opiniões também veio por parte da mídia. "Meu trabalho antiguerra começou há quatro anos, quando poucos já tinham a coragem de fazer isso, e fui reprimida até pela imprensa tida como liberal".

    Pelo que parece, os dias de sofrimento da atriz por causa de sua posição política estão contados, já que cada vez mais o coro antiguerra tem ganhado mais vozes, especialmente em Hollywood. Durante o Festival de Sundance, que terminou no último domingo (28), John Cusack falou abertamente sobre suas posições em relação à presença de soldados norte-americanos no Iraque enquanto promovia Grace is Gone, no qual interpreta um pai que tem de lidar com a morte da esposa, enviada ao Iraque em serviço para o exército dos EUA.

    Além disso, Susan Sarandon (Tudo Acontece Em Elizabethtown) lidera um grupo de atores que querem pedir para que os políticos - especialmente os que pretendem concorrer à presidência em 2008 - tenham consciência e exijam a retirada das tropas. Neste fim de semana, ela estará ao lado de Sean Penn (O Assassinato de um Presidente) e seu marido Tim Robbins (Sobre Meninos e Lobos) num protesto na capital federal norte-americana, Washington DC.