cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Jogos Sagrados: Série original da Netflix é processada por difamação

    A produção chegou à plataforma no último dia 06 de julho
    Por Thamires Viana
    13/07/2018

    A primeira série original indiana da Netflix, Jogos Sagrados, está enfrentando a justiça por causa de seu controverso retrato do ex-primeiro ministro indiano Rajiv Gandhi. A série de oito episódios estreou mundialmente no serviço no dia 06 de julho e recebeu elogios da crítica. (via The Hollywood Reporter)

    Baseada no aclamado romance de mesmo nome de 2006, escrito por Vikram Chandra, Jogos Sagrados gira em torno do nexo entre a política e o submundo de Mumbai e também inclui trechos de notícias que abrangem cerca de quatro décadas da história política do país.

    Dirigida por Anurag Kashyap e Vikramaditya Motwane, a série traz Sartaj Singh, um policial de Mumbai que recebe uma chamada surpresa do notório gângster Ganesh Gaitonde, desaparecido e considerado morto há 15 anos. Gaitonde diz ao policial que ele tem 25 dias para salvar Mumbai e seus moradores.

    Uma sequência mostra imagens de Gandhi sendo empossado depois que sua mãe, a primeira-ministra Indira Gandhi, foi assassinada em 1984. A voz de Gaitonde explica como Gandhi estava entre aqueles que mais tarde foram acusados de corrupção relacionados à compra de armas para o exército indiano que causou um grande escândalo político.

    Ao longo de mais imagens de arquivo, a voz de Gaitonde acusa Gandhi de apaziguar os muçulmanos em um processo legal envolvendo direitos de divórcio para as mulheres muçulmanas, chamando-o de "fattu", uma gíria hindi usada para descrever alguém que é covarde.

    A Índia não censura o conteúdo da internet, ao contrário dos filmes e da televisão, que têm de aderir a determinadas diretrizes e normas. O processo contra a Netflix e os fabricantes da série foi arquivado no Supremo Tribunal de Delhi por Nikhil Bhalla, um advogado e membro do partido do Congresso que Gandhi liderou até seu assassinato em 1991.

    A audiência do caso está marcada para segunda-feira, dia 16 de julho.