cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Lima Duarte recebe prêmio em Gramado pelos 30 anos de Sargento Getúlio

    Ator e o diretor Hermanno Penna sobem ao palco três décadas depois para celebrar clássico do cinema brasileiro
    Por Roberto Guerra, enviado especial a Gramado
    14/08/2013
    Sargento Getúlio

    Há 30 anos o longa Sargento Getúlio fazia história no Festival de Gramado. A produção de recursos escassos, filmada em 16mm, com câmera na mão e equipe de 10 pessoas - incluindo o diretor Hermanno Penna - sagrava-se a grande vencedora daquela edição, amealhando os Kikitos de Melhor Filme, Ator (Lima Duarte), Ator Coadjuvante, Som Direto e Crítica. Três décadas depois, Penna e Duarte voltaram ao palco do Palácio dos Festivais para receber o Prêmio Cidade de Gramado pela longevidade e importância da obra.

    "Foi um momento muito, muito bom de minha vida. Fico muito feliz agora por ver e perceber que a paixão que nos moveu ficou impressa no celuloide. Não sei se foi uma interpretação perfeita, mas sei que foi visceralmente apaixonada. Eu amei cada fotograma, cada palavra. Amei com quase desespero. Foi um filme que construiu um homem", disse Lima Duarte, que antes brincou afirmando considerar-se velho com a homenagem.

    No filme, ambientado na década de 40, Duarte interpreta Getúlio, sargento encarregado de levar um desafeto político de seu chefe do sul da Bahia até o Sergipe. No meio do caminho, porém, recebe uma contraordem para soltar o prisioneiro, mas decide cumprir sua missão a qualquer custo, quase perdendo a sanidade mental no processo.

    "Foi aqui que esse filme começou há exatamente 30 anos. Aqui comecei minha carreira cinematográfica. Lembro que na noite que ganhei o Kikito eu me joguei nesse palco. Eu faria isso agora novamente se não fossem os ossos, os músculos, a idade. Se pudesse faria o mesmo porque a alegria é a mesma", afirmou Hermanno Penna.

    Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, o cineasta revelou que Sargento Getúlio só chegou às telas brasileiras porque o produtor Luiz Carlos Barreto assistiu ao filme e ficou entusiasmado a ponto de chamá-lo de "Apocalypse Now do terceiro mundo". A produção, então, entrou em cartaz após uma adaptação para o formato 35mm e se pagou em oito meses, tornando-se um clássico do cinema nacional.

    O Festival de Gramado segue até o próximo sábado (17), quando serão conhecidos os vencedores da 41ª edição do evento gaúcho.