cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    "Maid" é relevante minissérie da Netflix que mostra pobreza nos EUA

    Estrelada por mãe e filha na vida real — e baseada em história verídica, série tem como produtora Margot "Arlequina" Robbie
    Por Flávio Pinto
    06/10/2021 - Atualizado há 17 dias

    Na última sexta-feira (1), a Netflix estreou uma nova e provocante minissérie, que já vem dando o que falar. 

    Maid, baseada em fatos — e adaptada da biografia de Stephanie Land, "Maid: Hard Work, Low Pay, and a Mother's Will to Survive" (ainda sem tradução em português) —, é protagonizada por Margaret Qualley (Era Uma Vez Em... Hollywood), nova queridinha da "fábrica dos sonhos".

    Com produção de Margot "Arlequina" Robbie e John Wells (nome proeminente por trás de séries provocantes como Plantão Médico e Shameless), a minissérie consiste em dez episódios que mostram a realidade das classes pobres nos Estados Unidos, tudo isso por meio de uma mãe solteira desesperada em dar uma vida melhor para a sua filha. 

    Veja se vale à pena acompanhar Maid

    Sobre o que é Maid, minissérie da Netflix?

    Com dez episódios, a minissérie Maid  gira em torno de Alex (Margaret Qualley), uma mãe solteira que começa a trabalhar como funcionária doméstica em casas para tentar sobreviver e dar uma vida melhor à sua filha, Maddy (Rylea Nevaeh Whittet). 

    Ao escapar de um relacionamento abusivo com o pai da criança, vivido por Nick Robinson (Com Amor, Simon), Alex também vai ter que precisar lidar com a falta de moradia e um complicado relacionamento com sua mãe (vivida por Andie MacDowell). 

    Adaptada diretamente do livro Maid: Hard Work, Low Pay, and a Mother's Will to Survive, um relato sobre a vida de Stephanie Land — que preenche o cargo de produtora-executiva na produção, a produção também pode ser vista como um levante feminista, considerando que há um número grande por trás das câmeras da série. 

    A roteirista-chefe é Molly Smith Metzler (que trabalhou nas séries Shameless, Orange is the New Black e Casual), e os episódios são dirigidos por Nzingha Stewart (Grey's Anatomy), Lila Neugebauer (Room 104), Helen Shaver (Lovecraft Country) e Quyen Tran (Palm Springs).

    Dupla dinâmica de MaidDivulgação (Netflix)

    Baseada em fatos e necessária

    Baseada em fatos e adaptando um livro muito forte, Maid é o tipo de série que faltava para a Netflix continuar a ser levada a sério. Isso porque ela aborda uma temática sensível e pouco explorada na televisão, a pobreza. 

    Mas sem partir para confabulações, Maid traz um retrato real da situação da pobreza do norte-americano. Em produções como Shameless, por exemplo, o cidadão pobre é visto como apenas alguém que não teve a oportunidade certa de se dar bem na vida — embora faça de tudo para sobreviver. 

    Aqui, não. O que é apresentado é uma trama crua e sem romantizações. Alex cai na vida de diarista em casas de mais ricos por falta de opção. Embora sonhe com uma vida melhor, ela simplesmente não tem como permanecer em um relacionamento com o pai da sua filha por sofrer diversos tipos de abusos.

    Assim, sem escolaridade e sendo habitante de um país em crise, ela se vê sem recursos para colocar um prato na mesa. Em uma performance aniquiladora de Margaret Qualley — que será com certeza indicada ao Emmy 2022, a série foca na luta que é se sentir sem lugar no mundo. 

    Veja um trailer de Maid

    Leia também