cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Matthew Lewis causa alvoroço na pré-estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte

    Por Amanda Carvalho
    19/11/2010

    No Brasil para divulgar o lançamento de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I, o ator Matthew Lewis, intérprete de Neville Longbottom na franquia, foi motivo de gritaria, tumulto e choro durante a pré-estreia promovida pela Warner Bros., em São Paulo.

    Como de praxe, os fãs da saga compareceram caracterizados e as fantasias e fanatismo atingiam desde os pequenos até os mais crescidinhos. Dos mocinhos aos vilões, o mundo bruxo tinha aparatado no shopping. “Olha Hogwarts inteira está aqui”, comentou uma mãe com sua filha, ambas com brilho nos olhos de ver o entusiasmo da galera.

    Muitos Harry Potter, algumas Hermione Granger. A turminha investiu em todo o elenco da série, passando por Luna Lovegood, Vitor Krum, Fleur Delacour, os professores Dumbledore, Minerva McGonagall e Sprout. Teve até quem se arriscou a usar as vestes de personagens menos queridos, como Bellatriz Lestrange, Severo Snape, Lúcio Malfoy e os Comensais da Morte. “Eu queria vir de Voldemort, mas a maquiagem dele é complicada, ele nem tem nariz”, brincou Marcos Júnior.

    Show de cosplay à parte, Matthew Lewis foi quem causou o maior alvoroço no local. Nem todos os convidados sabiam da presença do ator, mas o empurra-empurra pra chegar perto do ídolo para tentar tirar fotos ou pegar um autógrafo foi grande. Lewis disse estar curtindo a recepção dos fãs brasileiros de Harry Potter, e comentou: “Estou um pouco sem voz de ter de falar tanto o tempo todo, mas é bacana”.

    O ator fez a alegria de muita gente. Gritos de alegria eram constantes assim que ele assinava algum pedaço de papel para os fãs, especialmente quando o autógrafo era dado nos livros de Harry Potter e as Relíquias da Morte: “Meu livro agora vale muito mais. Espera aí, consegui o autógrafo, agora eu quero foto”, dizia Aline Leite.

    Alguns não tiveram a mesma felicidade de Aline. Uma garota contava, aos prantos, que saiu do Rio de Janeiro para ver Matthew de perto. Segundo ela, este era o presente de aniversário que sua mãe tinha lhe dado, mas ela não conseguia chegar perto do ídolo.

    A expectativa e ansiedade estavam em alta entre os fãs. Antes das 22h, as filas para as quatro sessões da meia-noite – todas lotadas, de acordo com um funcionário do cinema – já estavam formadas. Enquanto a sessão fechada para convidados estava rolando, conversamos com Delmir Soares, de 26 anos, um fã da série que resolveu se isolar das informações que a mídia deu sobre Relíquias da Morte e confessou que não sabia das mudanças que estavam por vir ou do ponto de corte na história. Não sabia, ao menos, que Matthew Lewis estava no Brasil.

    Na saída do filme, a satisfação era geral. Entre choros de emoção, gargalhadas, discussões acaloradas e mãos trêmulas, o comentário era um só: “É fantástico, a melhor adaptação.” Hermes Barreto, brasiliense de 39 anos, admite que não esperava muito do filme: “Mas foi uma adaptação muito bem feita”, disse. Concordando com a crítica de Celso Sabadin, os Pottermaníacos acreditam que, esse sim, foi um filme feito para quem é fã da série de livros de J.K. Rowling.