cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    MOSTRA 2010: Um Homem Chato inaugura maratona do cinema norueguês

    Por Heitor Augusto
    22/10/2010

    A Noruega foi o país que a Mostra Internacional de Cinema escolheu para aproximar suas lentes em 2010. A maratona de filmes feitos no país do bacalhau começou nesta sexta-feira (22/10) com a exibição de Um Homem Chato. O longa terá sua próxima sessão no domingo (24/10), às 14h, no Cine Olido.

    Nome curioso, né? Porém, o título Um Homem de Saco Cheio seria mais próximo de como o filme de Jens Lien trata seu protagonista, Andreas (Trond Fausa Aurvåg), um homem comum, banal em demasia, que acaba de chegar numa cidade e descobre seu novo emprego: contador de uma empresa com aquele tipão majado de firma que Lars Von Trier mostrou em O Grande Chefe.

    Assim como as produções contemporâneas da vizinha Suécia (o curta Incidente no Banco ou o longa Vocês, os Vivos), Um Homem Chato tem um senso de humor apuradíssimo, às avessas. O cômico não vem das gags, mas de como Andreas reage à sua vida como não fosse sua. Um perdido, por assim dizer.

    Personagens que não se encaixam já sustentaram muitos filmes. Se fosse feitos nos Estados Unidos, Um Homem Chato seria um olhar cool sobre quem não se encaixa na engrenagem social. Como é feito na Noruega, Lien não dá trégua a Andreas.

    Um Homem Chato é a jornada de um personagem. Mas como não se trata de um filme bobo, é uma jornada de mentira. Quer dizer, os fatos que acontecem com Andreas são são nada demais, o que interessa são as interpretações possíveis. Traduzindo: numa cena, ele janta, conhece uma garota, sai com ela, se enamoram e dias seguintes, Andreas encontra outra.

    Isso é o que acontece, mas não o que significa. Um Homem Chato conta uma história ao pé da letra e, por trás, abre um campo vasto para a interpretação sobre como somos vítimas da mediocridade... Trata-se de um esperto filme sobre o quão medíocre é a normalidade, mesmo que sua essência esteja travestida de comédia nonsense. Na verdade, Um Homem Chato faz todo o sentido do mundo.

    Serviço – Sessões de Um Homem Chato
    Domingo (24/10), às 14h, no Cine Olido (Sessão 283)
    Terça-feira (26/10), às 20h10 no Multiplex Marabá 2 (Sessão 490)
    Terça-feira (2/11), às 19h, no Reserva Cultural 1 (Sessão 1166)