cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Mostra de SP: Três Anúncios para um Crime é filme imperdível

    Frances McDormand merece indicação ao Oscar por sua atuação
    Por Daniel Reininger
    23/10/2017

    Três Anúncios Para Um Crime, vencedor do prêmio do público no Festival de Toronto e de melhor roteiro em Veneza, é um dos destaques da 41ª Mostra Internacional de cinema de São Paulo. Um dos melhores filmes do diretor Martin McDonagh, de Na Mira Do Chefe, o longa traz uma mulher extremamente forte como protagonista em um drama pesado, porém com momentos de intenso humor negro.

    A abertura do filme, com os outdoors decadentes em meio a uma neblina pesada, cria um clima melancólico, reforçado pela música céltica que acompanham as cenas. Diante desse cenário, um plano é formado que acabaria com a paz estática da pequena Ebbing, Missouri.

    A incrível atriz Frances McDormand vive Mildred, mãe que sofre com o assassinato da filha e, sete meses após o crime sem nenhum suspeito preso, direciona sua raiva contra a polícia. Ela aluga três outdoors de uma estrada pouco usada para exigir respostas e forçar a cidade a lembrar do caso.

    Obviamente, os outdoors criam atrito não só com o chefe de polícia, interpretado por um inspirado Woody Harrelson, mas com boa parte da pequena cidade norte-americana. A revolta é tanta contra Mildred, a ponto do padre da cidade ir tirar satisfação com a mulher, em uma cena muito bem construída e de diálogo inspirado.

    Entretanto, é com outro policial, o racista Dixon, vivido pelo ótimo Sam Rockwell, que a disputa fica feia de verdade. O estado de guerra entre os dois personagens toma conta da narrativa, com repercussões inesperadas para ambos os lados e um desfecho inesperado. 

    Mildred Hayes é uma personagem poderosa e McDormand a traz à vida com uma fúria sombria, cheia de dignidade e consciência moral. Firme e sem medo de falar o que pensa, ela bate o pé e se recusa a recuar, é uma mulher confiante em suas crenças e sem medo de enfrentar quem quer que seja para ser ouvida. A atriz, sem dúvida, merece o Oscar por sua atuação.

    O longa ainda apresenta uma grande beleza estética, com fotografia inspirada, cenários bucólicos e tom decadente, quando necessário. A trilha sonora é outro ponto alto do filme, reforçando a atmosfera melancólica da obra e ajudando o espectador a entender os sentimentos dos personagens, mas sem exageros para forçar reações emocionais do público.

    O filme volta a ser exibido na quinta, 26/10, às 19h30 no Reserva Cultural. Veja o trailer: