Estreia: Parasita é suspense com forte crítica social

Vencedor de Cannes é destaque da 43º Mostra Internacional de cinema de São Paulo

29/10/2019 10h04 (Atualizado em 03/02/2020 15h26)

Por Daniel Reininger

Bong Joon-ho sabe como tratar a desigualdade, afinal, Parasita explora esse tema, assim como o seu O Expresso Do Amanhã. Apesar do peso do tema, o longa começa como uma comédia, logo passa por drama, suspense e, eventualmente, se torna um horror ao contar uma história socialmente relevante e assustadora.

Na trama, os quatro membros da família Ki-taek estão desempregados, mas as coisas mudam quando o filho adolescente começa a dar aulas privadas de inglês à rica família Park. Fascinados com o estilo de vida luxuoso, os quatro bolam um plano para se infiltrar nos afazeres da casa burguesa. É o início de uma série de acontecimentos incontroláveis com consequências terríveis para todos.

São muitos os momentos desconfortáveis da produção e é fácil não ir com a cara dos Park, o que faz com que suas contrapartes mais pobres conquistem os espectadores e faz com que tenhamos vontade de ver seu esquema maluco e assustador ser bem-sucedido.

Destaque da 43º Mostra Internacional de cinema de São Paulo, Parasita é subversivo, capaz de brincar com as expectativas de quem assiste. O elenco ajuda muito, com performances compententes, capazes de alternar entre comédia e o drama com facilidade. É uma história trágica, que mostra as diferenças sociais da nossa sociedade, problema que parece não ter solução.

O Vencedor de Cannes é realmente um dos filmes mais interessantes do ano, de um dos diretores mais talentosos da atualidade e, certamente, merece ser visto.

Assista ao trailer:


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus