cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Motivos para ver Boca de Ouro, nova adaptação de Nelson Rodrigues

    Confira também o nosso bate-papo exclusivo com a atriz Lorena Comparato
    Por Alexandre Dias
    12/11/2020

    Boca De Ouro, obra de Nelson Rodrigues, já foi adaptada aos cinemas em 1963, sob a direção de Nelson Pereira dos Santos. Em 2020, a história ganha uma nova versão dirigida por Daniel Filho (Se Eu Fosse Você), que chega aos cinemas nesta quinta-feira (12). 

    Na trama, o personagem do título é um bicheiro que, quando bebê, foi abandonado pela mãe e eventualmente se tornou um dos criminosos mais temidos do Rio de Janeiro. A vida dele desperta a curiosidade do jornalista Caveirinha, que procura uma ex-amante do contraventor para desvendar material para uma reportagem.

    Confira motivos para ir assistir a essa ótima produção nacional nas telonas: 

    Adaptação de Nelson Rodrigues

    Nelson Rodrigues foi um dos maiores autores e dramaturgos da história do Brasil. Ele foi o responsável por obras como Vestido de Noiva e Bonitinha, Mas Ordinária, ambas adaptadas para o cinema. Com Boca De Ouro não foi diferente, tanto na repercussão do projeto como na caracterização única do escritor, conhecido por ser polêmico.

    Polêmica essa referente a traições, ganância, crimes e muito humor ácido. O Boca de Ouro é um criminoso impiedoso e ao mesmo tempo um membro bondoso do bairro de Madureira. O longa de Daniel Filho traz toda essa atmosfera de Rodrigues.

    Portanto, o filme é uma boa introdução aos espectadores que não conhecem Nelson para se familiarizarem com o trabalho dele. Para aqueles que já são fãs do autor, não vão se decepcionar e terão uma sessão com toques de nostalgia.

    Elenco magistral 

    A performance sensacional dos atores é outro bom motivo para conferir no longa na sala de cinema. Marcos Palmeira (A Divisão) interpreta o criminoso do título e atribui essa dualidade de caráter a ele; há momentos em que ele é desprezível e outros em que o público se compadece com o personagem. 

    O restante do time de atores também está incrível. As amantes do Boca, Celeste (Lorena Comparato) e Guigui (Malu Mader), demonstram afeto e repúdio ao bicheiro na medida certa; Thiago Rodrigues (Carlinhos E Carlão), o marido traído de Celeste, se mostra praticamente como um vilão, por ser ganancioso; Silvio Guindane (que contracenou com Palmeiras em A Divisão) também merece destaque como Caveirinha, um jornalista sagaz e intrigado com a história do Boca de Ouro. 

    Direção de Daniel Filho 

    Daniel Filho é um veterano da direção, mas independente disso não poderia ter sido uma opção melhor para comandar Boca De Ouro. O motivo? Ele atuou no filme de Nelson Pereira dos Santos! Ou seja, se há um cineasta com bagagem para uma nova versão da história é ele. 

    O diretor consegue transportar o espectador para o clima retrô dos anos 60 do Rio de Janeiro. Além disso, ele trabalha bem o humor e a dramaticidade da história, assim como é a obra original de Rodrigues. 

    Nem por isso, a sua versão fica completamente à mercê da adaptação de 1963 ou mesmo do texto original de Nelson. Filho traz ótimas discussões atuais, como o questionamento da verdade e o significado do dinheiro na sociedade. 

     

    Perdeu a nossa live com Lorena Comparato sobre Boca De Ouro? Não tem problema! Confira como foi o nosso bate-papo com a atriz:

     

    Veja o trailer do filme: