Na quarentena com Porchat: lives, projetos e boas risadas

Em entrevista exclusiva, humorista compartilha dicas de entretenimento com os leitores do Cineclick

15/05/2020 15h10

Comediante, ator, roteirista e apresentador. O fenômeno Fábio Porchat é um dos nomes mais falados nessa pandemia. Por quê? Com dois programas no canal GNT, uma série da Comedy Central com a Amazon Prime, os vídeos do Porta dos Fundos e o seu canal na Instagram, que contabiliza 5,7 milhões de seguidores, o comediante tem sido um sopro de felicidade em tempos tão sombrios.

Com bom humor e simpatia, Porchat tem entrevistado grandes nomes do entretenimento e da política e promovido debates plurais. "Eu comecei a fazer Live quando tudo era mato", brinca Porchat. "Primeiro entrevistei amigos e depois fui para pessoas com quem não tenho tanta intimidade. Resolvi embarcar para a área política, porque não dá para não falar de política no Brasil", afirma.

Ele também dá dicas do que está vendo durante a quarentena. "Comecei a assistir 'Um Contra Todos' e estou achando muito boa! Também tenho assistido 'Ozark' e 'After Life'", diz ele. No bate-papo exclusivo, Porchat ainda falou sobre seus novos projetos, a série "Homens", o Porta dos Fundos, as mudanças em seu processo criativo em razão da pandemia e muito mais.

Confira a entrevista na íntegra abaixo:

Mesmo antes de a quarentena ser oficializada pelo governo, você já tinha implantado nas suas redes as lives, que continuam até hoje, e muitos de seus entrevistados são políticos. Você sentiu alguma resistência de seus seguidores ou a repercussão foi positiva?

Eu comecei a fazer Live quando tudo era mato (risos). Foi uma ideia da minha mulher. Ela contou que a Miley Cyrus estava fazendo Lives entrevistando pessoas, que estava dando certo, e sugeriu que eu fizesse também. Comecei entrevistando amigos e depois fui para pessoas com quem não tenho tanta intimidade. Resolvi embarcar para a área política, porque não dá para não falar de política no Brasil. Tiro os comentários durante a entrevista, mas a reação tem sido muito positiva. As pessoas estão muito felizes de ver os políticos ali. Como não sou jornalista, tenho um pouco de salvo-conduto. O jornalista é preparadíssimo para fazer isso, mas eu posso não ser (risos). Posso ter um pouco de ignorância e ingenuidade nas minhas perguntas, que a Miriam Leitão, por exemplo, não pode. E acho que isso pode ser um bom aliado para entendermos um pouco o que tem acontecido e para que eu consiga fazer todas as perguntas dentro da minha ignorância.

Você tem sido a alegria e o escape de muita gente nessa quarentena. Quais diferenças você notou nos hábitos do público que te acompanha?

Sinto que o público está muito mais fiel nessa quarentena, tem acompanhado e assistido diariamente. As pessoas realmente estão buscando conteúdo, então poder fornecer todo tipo de produto - não só com Lives, mas com séries, conteúdos do Porta dos Fundos, batendo papo com as pessoas – tem sido ótimo. E é muito gratificante ver a resposta do público, que está acompanhando muito mais de perto.

A segunda temporada da série Homens, disponível no Comedy Central e na Amazon Prime Video, estreou recentemente, abril. Se a série for renovada, você como criador pensa em usar esse momento que estamos passando como inspiração para as próximas histórias?

É engraçado porque agora, em todas as séries que faremos a partir do Corona, não dá para ignorar o tema. Teremos que usar o Corona de alguma forma dentro disso ou não, não sei. Precisamos primeiro entender quando isso vai acabar, quando vamos poder voltar a gravar, para então começar a pensar que tipo de conteúdo vamos criar e se vamos ou não colocar a Covid-19 dentro disso.

Quais as principais mudanças a quarentena trouxe no seu processo criativo?

Durante esse período tenho sentido, até pelos meus papos com muitos artistas, que estão todos com uma dificuldade muito grande de se concentrar. Acho que a principal mudança dessa quarentena é o foco. Temos que ter uma força muito grande no foco para não nos deixar dispersar e pensar em produtos e conteúdos que se encaixem nesse novo modelo de fazer.

"Meu Passado Me Condena" 1 e 2, e "Totalmente Inocentes" estão em cartaz na Netflix. Você revê seus filmes antigos? Olhando hoje para eles, o que mais gosta e o que faria de diferente?

Não assisto aos meus filmes antigos, não gosto muito de me assistir. Quando me assisto é para ver onde errei e acertei, para que eu possa tentar consertar ou repetir nos próximos trabalhos. Como estou sempre acompanhando a edição do programa "Que História É Essa, Porchat?", eu me assisto sempre para ver o que eu deixei de falar. A mesma coisa acontece com os esquetes do Porta e séries. Em "Homens?", eu aprovo os cortes, então também vejo onde fui demais ou de menos e busco ficar atento a isso. Depois que vai ao ar, tento olhar a repercussão do público para entender se o caminho que escolhi foi bom ou ruim.

O que você tem visto nessa quarentena na TV e nos streamings? Poderia dar algumas sugestões do que mais gostou para os leitores do Cineclick?

Tenho visto muitos filmes antigos que eu tinha em DVD, por exemplo, muitos filmes na televisão e na TV a cabo. Também tenho assistido a muitas séries também, de todos os tipos e jeitos. Uma série que comecei a assistir nesta quarentena é "Um Contra Todos" (Globoplay), que estou achando muito boa! Eu não tinha assistido e ela foi minha parceira de Emmy no ano passado - aliás, eles concorrem todos os anos. O Júlio Andrade faz muito bem, a ideia é ótima, a série é bem escrita e bem realizada. Lógico que eu vou indicar "Homens?" para o pessoal assistir no Comedy Central, que está muito divertida e alegrando a quarentena da galera. Também tenho assistido "Ozark" e "After Life" (Netflix), são séries que eu já tinha visto em outras temporadas. Assisti a um filme muito bom chamado "O Jovem Ahmed", que concorreu em Cannes e ganhou Melhor Direção. Outro filme interessantíssimo a que assisti foi "Você Não Estava Aqui", do Ken Loach. É um filme muito bom, uma "porrada".

Apesar da Covid, você tem algum projeto para cinema em andamento? Pode nos contar um pouco sobre ele ou eles?

No final deste ano tinha o lançamento do filme "O Palestrante", que eu fiz com a Dani Calabresa, mas agora está tudo em suspenso, não sabemos mais quando vai estrear.

Veja o trailer da série Homens:

Nesse artigo você leu sobre: Fabio Porchat, Homens, Porta dos Fundos

 

Veja também: Homens?: Conheça a série nacional hilária com Fábio Porchat


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus