cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    O Estripador retrata caso real do assassino que chocou a Inglaterra

    Minissérie chega à Netflix um mês após serial killer morrer de covid-19
    Por Thamires Viana
    16/12/2020

    O Estripador, nova minissérie documental da Netflix, chegou ao catálogo nesta quarta-feira (16) e promete agradar os assinantes que curtem saber todos os detalhes de casos sinistros! A produção retrata em quatro episódios uma série de assassinatos que chocou a Inglaterra na década de 70.

    Conhecido como O Estripador de Yorkshire, o assassino é descrito como uma versão moderna de Jack, o Estripador, pseudômino de um dos serial killers mais conhecidos de todos os tempos, mas que nunca foi identificado. 

    Conheça mais sobre a série O Estripador:

    Abordagem

    O Estripador retrata a chocante história real de uma onda de crimes que aterrorizou o condado de Yorkshire, localizado no norte da Inglaterra, entre os anos de 1975 e 1980. Peter Sutcliffe, conhecido como O Estripador de Yorkshire, matou 13 mulheres usando facas, martelos e chaves de fenda, e sua característica era mutilar os corpos das vítimas, assim como Jack, o Estripador.

    A série traz dezenas de depoimentos e entrevistas com ex-investigadores que trabalharam no caso, testemunhas e sobreviventes que revelam os impactos dos crimes na cidade, além de relembrarem os esforços da polícia local para capturar o serial killer, algo que só ocorreu em janeiro de 1981. Além disso, a minissérie também apresenta imagens reais e documentos que fazem parte dos arquivos da polícia.

    Peter Sutcliffe

    Tido como um dos piores assassinos da história do Reino Unido, o homem alegava que seus crimes eram obras divinas e que sua missão era matar prostitutas, embora suas vítimas não fossem. Ele foi condenado com 20 sentenças de prisão perpétua pelos 13 assassinatos e por sete tentativas em 1981, mas foi diagnosticado como esquizofrênico paranoico e passou três décadas internado em um hospital psiquiátrico até ser transferido para um presídio em Durham, cidade localizada no nordeste da Inglaterra.

    Sutcliffe morreu em 13 de novembro deste ano, aos 74 anos de idade, após ser diagnosticado com covid-19 e ter tido complicações devido a problemas cardíacos e diabetes. Segundo à imprensa britânica, o condenado se recusou a receber tratamento para a doença. 

    Jack, O Estripador

    O pseudônimo Jack, o Estripador se tornou um mais conhecido de todos os tempos, mas o assassino nunca foi identificado. Sabe-se que seus crimes aterrorizaram a periferia de Whitechapel, distrito de Londres, em 1888, e que ele cometeu cinco assassinatos entre 31 de agosto e 09 de novembro daquele ano. 

    Os ataques geralmente envolviam prostitutas que viviam e trabalhavam nos bairros mais pobres da cidade e que os crimes envolviam muita brutalidade e mutilação. As mulheres tinham suas gargantas cortadas e tinham seus órgãos internos retirados. Isso levou as autoridades a suspeitarem que o assassino tinha algum conhecimento em anatomia e cirurgias. Na época, existiam cerca de cem suspeitos para os crimes, mas a polícia nunca conseguiu identificar o homem por trás das atrocidades.

    O nome Jack, o Estripador passou a ser usado pela imprensa local após a divulgação de uma carta na qual uma pessoa alegava ser o assassino, mas acredita-se que isso pode ter sido alguma estratégia dos jornalistas da época para aumentar o interesse do público pelo caso e assim duplicar a venda dos jornais. Jack, o Estripador tornou-se protagonista de dezenas de obras ficcionais e chegou a ser eleito como o pior britânico de todos os tempos.

    O Estripador já está disponível no catálogo da Netflix com 4 episódios de 50 minutos cada.

    Confira o trailer: