cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    O que não funcionou em Espiral: O Legado de Jogos Mortais

    Longa estrelado por Chris Rock já está em cartaz nos cinemas
    Por Thamires Viana
    18/06/2021 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Idealizado, produzido e estrelado por Chris Rock, Espiral - O Legado De Jogos Mortais já está em cartaz nos cinemas brasileiros como um reboot da famosa franquia de terror criada por James Wan e Leigh Whannell em 2004. 

    A trama é focada no terror psicológico e traz Chris como o impetuoso Zeke, um detetive que se envolve cada vez mais em um perigoso jogo comandado por um assassino misterioso.

    Para te deixar por dentro do que esperar da novidade, pontuamos o que funciona e o que não funciona nesse novo capítulo do terror.

    Confira:

    O que funciona no filme?

    Bom, como em qualquer outro filme da franquia Jogos Mortais, as cenas de tortura são bem feitas. Há sangue, criatividade nas armadilhas, alguns bons momentos de tensão e até mesmo uma reviravolta inesperada no final do filme.

    E por falar em armadilhas, a primeira cena do longa apresenta uma das melhores e mais assustadoras desse jogo macabro. Nela, um homem é preso pela língua no meio dos trilhos de trem e faz de tudo para escapar. 

    Há um alívio cômico também em algumas cenas de Samuel L. Jackson como um policial aposentado importante para a história. A união entre ele e Rock não beira o excepcional, mas garante um dinamismo entre os atores. 

    O que não funciona?

    Infelizmente, Espiral: O Legado de Jogos Mortais não mantém o mesmo nível da franquia original, algo que era muito aguardado pelos fãs do terror. O roteiro é fraco e boa parte da trama se sustenta em uma caçada ao assassino que vai perdendo o fôlego com o passar das cenas.

    Rock, que também é produtor executivo, não traz sua melhor atuação e entrega um personagem sem carisma, muitas vezes beirando o chato com as atitudes que toma. Em alguns momentos, temos a impressão de estarmos assistindo a uma sátira de Jogos Mortais, exatamente pela maneira nada convincente com a qual o ator tenta encarnar o detetive Zeke. 

    Continua após o anúncio

    Espiral: O Legado de Jogos Mortais

    O roteiro do longa é assinado por Pete Goldfinger e Josh Stolberg, dupla de Jogos Mortais - Jigsaw, e a direção é comandada por Darren Lynn Bousman, cineasta que comandou os filmes 2, 3 e 4 da saga original de Jogos Mortais.

    Com distribuição da Paris Filmes no Brasil, Espiral - O Legado De Jogos Mortais já está em cartaz nos cinemas brasileiros.

    Trailer oficial

    Veja também: