cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    O que você deixou passar no primeiro episódio de Falcão e Soldado Invernal

    Séries da Marvel aproveitam espaço para desenvolver melhor seus personagens
    Por Daniel Reininger
    22/03/2021 - Atualizado há 7 meses

    WandaVision provou que os super-heróis da Marvel podem se dar bem em séries. O Falcão e o Soldado Invernal chegou na Disney+ com a mesma ideia de aprofundar seus personagens, muito além da pancadaria ou poderes e já conquistou os fãs do Universo Cinematográfico da Casa das Ideias.

    No cinema, é mais fácil explorar os grandes personagens, como Homem de Ferro e Thor, com filmes individuais e protagonistas, mas essas séries podem mostrar melhor os coadjuvantes do MCU, que merecem tanto espaço quanto os gigantes dos Vingadores.

    Primeiro episódio

    Para mostrar melhor quem são, Sam e Bucky passam todo o primeiro capítulo separados, apresentando seus dramas e problemas em ritmo lento, porque eles são pessoas como nós. 

    Sam tenta se reconectar com a família quando tira um tempo da Força Aérea, enquanto Bucky encara a terapia e se adapta ao novo mundo em busca de redenção.

    O capítulo traz boas cenas de ação e apresenta os inimigos da série, LAF, comandado por Batroc, e inspirado no vilão Flag Smasher, um vilão clássico do Capitão América. Mas quem são esses caras?

    Sam com o escudo do Capitão AméricaReprodução

    LAF

    LAF é uma organização criminosa que lucra com o caos em um mundo pós-Vingadores: Ultimato. Georges Batroc, um mercenário cruel, parece ser o líder do LAF, embora não esteja claro se é o caso mesmo.

    Os membros da organização são letais e bem preparados para quaisquer missões. Parece que o LAF é poderoso o suficiente para criar caos quando precisa.

    Não existe uma organização com o nome de LAF nos quadrinhos da Marvel, então é difícil prever o que vai acontecer exatamente. Dito isso, o fato de Batroc estar entre suas fileiras sugere que possa ter relações com a HYDRA, organização terrorista de grande poder.

    Novo Capitão América

    No final do primeiro episódio de O Falcão e o Soldado Invernal, vemos Sam (Anthony Mackie) assistindo incrédulo enquanto o governo dos EUA apresenta um novo herói: um novo Capitão América, que empunha o escudo icônico do herói.

    O homem misterioso por baixo do uniforme é John Walker (Wyatt Russell), também conhecido por seu codinome Agente dos EUA. Depois que o Capitão América original decide se aposentar, Sam recebe o escudo de Steve Rogers, mas ele decide devolver ao governo dos EUA, que usa o escudo.

    Se a série seguir os quadrinhos, Walker provavelmente se tornará um vilão.

     Nos quadrinhos, ele começa como um cara de uma pequena cidade que é inspirado a servir seu país, mas acaba corrompido pela ideia de ser um herói. 

    Novamente, com a presença desse novo personagem, espera-se uma maior ligação com o que restou da HYDRA.

    Novo Capitão América apresentado em Falcão e Soldado InvernReprodução

    Inumanos

    Um diálogo entre Sam e seus aliados da Força Aérea pode ter dado a entender que os Inumanos existem no universo. A cena é a seguinte:

    O contato de Sam na Força Aérea, Joaquin Torres (Danny Ramirez), começa a interrogar o Vingador sobre Steve Rogers (Chris Evans). Ele comenta com o Falcão sobre as "teorias da conspiração malucas" da internet sobre o paradeiro do Capitão América.

    "Algumas pessoas pensam que ele está em uma base secreta na lua olhando para nós", disse Torres. Sam dá risada, pois ele sabe o que realmente aconteceu com seu melhor amigo. 

    Mas esse papo sobre a base secreta na lua, pode indicar a presença dos Inumanos no MCU. E se eles aparecerem no MCU, muito provavelmente será uma nova abordagem dos personagens e conceitos. A minissérie de 2017, que não é considerada parte do MCU, será ignorada.

    Temas abordados

    Além de mostrar as dificuldades pessoais de cada protagonista, um com questões familiares e financeiras, e o outro com estresse pós-traumático, a série vai analisar o que é ser patriota, ainda mais com a revelação do novo Capitão América, novamente um homem branco.

    Falcão e o Soldado Invernal promete também analisar a divisão mundial, o lucro a partir do caos, questões como nacionalismo exacerbado e ideologias conflitantes. E, claro, veremos como os heróis navegam nessa realidade.

    Quando Sam visita sua irmã Sarah (Adepero Oduye), fica claro o quanto os Vingadores falharam com ele. Ele pode ser reconhecido mundialmente, mas ele precisa trabalhar para se sustentar, mesmo depois de salvar o mundo. 

    Com as dificuldades financeiras de Sam, a desigualdade racial finalmente entra explicitamente no MCU. A irmã de Sam observa que "as coisas sempre se apertam ao nosso redor" quando o banco diz para eles que os recursos são escassos no mundo pós-Thanos. 

    Aí vemos outro lado da questão racial nos EUA, quem está pagando pelo apartamento de Bucky em Nova York? Tudo dá a entender que o governo o ajuda com terapia e, possivelmente, pagando suas contas. Porque um deles tem apoio e o outro não?

    Esse nível de desenvolvimento de personagens aumenta a pressão dos filmes, como em cima de Viúva Negra, para deixar esses personagens ainda mais realistas. Tudo mudou e se a Marvel seguir firme e forte, sem ceder à todas vontades dos fãs, pode criar algo ainda melhor.

    Conteúdo Relacionado